✓ Resenha: Wicked - Gregory Maguire

segunda-feira, 5 de setembro de 2016


Sinopse: Imagine acompanhar a clássica e prestigiada história de O Mágico de Oz, de L. Frank Baum, pela perspectiva de Elfaba, a Bruxa Má do Oeste! Em Wicked, Gregory Maguire nos proporciona essa chance de conhecer o outro lado da moeda, e mergulhamos novamente no fantástico mundo da Terra de Oz.
Neste livro, descobrimos todos os detalhes da vida da garota de pele verde que cresceu cercada de desafios e preconceitos, até se tornar uma bruxa infame uma esperta, irritadiça e incompreendida criatura que põe à prova todas as noções sobre a natureza do bem e do mal. A improvável amizade da Bruxa Má do Oeste e Glinda, a Bruxa Boa do Norte, donas de personalidades tão opostas que se tornam melhores amigas; a rivalidade das duas ao se interessarem pelo mesmo homem; e a reação ao governo corrupto do Mágico de Oz também estão no foco de Wicked.
A obra de Gregory Maguire arrebatou milhões de pessoas em todo o mundo e baseou um musical na Broadway, que, desde sua estreia, em 2003, já quebrou diversos recordes e conquistou muitos prêmios, incluindo o Tony Awards, considerado o Oscar do teatro. Em 2016, o musical estreou em São Paulo.


Gênero: Ficção Fantástica
Editora: Leya
Páginas: 496
Melhor Preço: R$44,90 (Submarino)
Classificação: 9,9 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora




Olá pessoal!! 
Recentemente eu li O mágico de Oz (e na vdd li, para poder iniciar este livro), então devo avisar que terá spoiler se você não leu. Li, e simplesmente amei o clássico de Baum. Anos mais tarde, Gregory Maguire lança Wicked, uma versão do mundo de Oz, contada de uma maneira diferente. 
Atualmente tem várias histórias onde contam a história da Vilã. Não de forma original, e isso sempre me incomodou um pouco. Porquê? Por que se eu sou um autor e escrevo um vilão como sendo mal, ele é mal e ponto! A não ser que eu venha contar o outro lado dele. Mas então, vem um outro autor e transforma o vilão de alguém rs. Muitas vezes em bonzinho, injustiçado, vítima de uma fatalidade que o deixou louco e cruel. É um dos motivos para que eu não "gostasse" de historias assim. 
Mas, esse livro me fez crer que eu estava enganada. O outro lado, pode ser bom. Pode ser muito bom. Contudo, um dos fatores que me fez apreciar essa história sem preconceitos, é que nossa protagonista, Bruxa má do Oeste, não é boa, mas também não é má. Quem sabe? Rs.  
Na história original não temos um nome específico para a Bruxa má do Oeste. Mas, aqui ela se chama Elfaba.  Outra característica dela que também não fica claro no clássico de Baum é sua cor esverdeada. Contudo, em Wicked essa é a característica por qual é mais lembrada e conhecida. 
Elfaba é uma moça de língua afiada, determinada, sarcástica entre outros adjetivos de uma jovem atrevida. 
Ela nasceu na região de Munchkinlândia. Filha do unionista (como se fosse um padre, eu acho) Frex e uma bela moça, Melena.
No início do livro se desenvolve a historia do casal, pais de Elfaba, e conhecemos o desprazer dos pais ao conceberem a criaturinha verde. Só podia ser um sinal do mal! É o que todos iriam pensar na região, por isso ela é criada meio que escondida no início.
Depois, passamos para a fase adolescente da moça e seus estudos em Shiz. Onde conhece a bela Galinda. Que em certa momento do livro passará a se chamar Glinda, que nós conhecemos como a Bruxa boa do Norte (Aqui ela não é a Bruxa Boa do Sul, como no livro original). O relacionamento das duas não é nada bom, como era de se esperar, mas ainda as veremos mais próximas. 
Elfaba é uma personagem forte. Eu me vi apaixonada pelo seu temperamento ácido e suas falas sarcásticas. A sua audácia e visão ampla sobre todos os assuntos só soma as suas características distintas dos demais personagens. Aliás, temos muitos personagens interessantes e nenhum deles irrelevante na história. 
Elfinha, definitivamente é diferente dos colegas de "faculdade". Todos sempre preocupados em se apaixonar, diversão, moda ou sua posição social. Ela é dada aos estudos e foge das superficialidades. Sempre preocupada com as causas políticas e sociais de Oz. Aliás, esse livro é cheio de referências ao mundo em que vivemos. O preconceito, a diferença de classes sociais, a sede pelo poder, o conflito de religiões e a relação entre as diferentes regiões de Oz. Aparentemente alguns se acham superiores por nascerem em certas regiões. E isso torna esse livro ainda mais interessante e completo.
Eu achei que seria difícil o autor transformar a historia de O mágico de Oz, em algo, digamos, mais concreto, plausível, já que aqui é uma outra versão mais "realista" digamos assim. Não tem aquela coisa todo do conto de fadas que acontece sem motivo e tá tudo bem, tudo certo. Em Wicked um pequeno acontecimento leva a outro que leva a outro e no fim tudo faz sentido. Aliás, foi um dos pontos que gostei do livro. O que no começo parece não ser tão importante, mais pra frente o autor mostra que não estava li, ou aconteceu por acaso. 
E imagine como fiquei emocionada quando o autor introduziu estrategicamente os personagens do livro original no decorrer da história. Eu me emocionei haha.



A verdade é que Elfaba não me parece má, mas tenta a todo custo ser detestável. Nunca está nem aí para o que pensam dela e não se preocupa em fazer amigos. Sempre enxerga conspiração em todo lugar e isso a torna uma pessoa amarga, mais do que já é. O fato dela ter sido "rejeitada" pelos pais (e isso foi de cortar o coração pra mim) contribui para sua frieza com relação às outras coisas, na minha opinião. Como se ela se blindasse do mundo a sua volta. Se ela conseguiu suportar e passar por cima da indiferença deles, o que mais poderia desestabilizar ela? Ah sim, sempre tem alguma coisa... a amizade, o amor e todos aqueles sentimentos cruéis que parecem bonitos demais. Mas só para quem não se machuca. 
Oz está passando por uma crise no país. Mas, de certa forma ninguém se atreve a desafiar o mágico em seu poder. E Elfaba que acha terrível algumas injustiças de seu governo, não descansa até descobrir um jeito de mudar isso. Mesmo que isso coloque sua vida em perigo e a tenha que a afastar das únicas pessoas que viria a se importar.
Uma das causas que defende é o tratamento digno dos Animais. Sim animais com A maiúsculo pois é assim que se divide os animais que são comuns e os Animais que falam e são inteligentes e até mesmo estudam! 
Mas, acredito que o conflito maior de Elfaba seja com sua fé. Que no caso ela não tem rs. Sempre disse não acreditar no Deus inominável (o que para o pai era uma tristeza), e que não possuiu uma alma. Então, ela vive essa reflexão sobre o bem e o mal muitas vezes, mesmo que de forma implícita. Principalmente sobre o mal e suas raízes. É um ponto alto do livro, em que se é discutido a origem do mal e o que faz muito sentido no livro, já que conhecíamos a bruxa como malvada e queremos saber o porquê. Mas, o que não sabemos é que ao olharmos a história por outro ângulo, percebemos que estávamos olhando pelo ângulo errado. 
E não pense você que é mais uma história distorcida da bruxa má que na verdade era boazinha. Elfaba não é boazinha, está longe de ser rs.
O final desse livro me surpreendeu. Tive medo que ficasse furos com a história original ou que parecesse uma explicação rasa e atá mesmo patética para o que Elfaba fez com Dorothy e seus amigos, mas, foi tudo muito bem executado, pensado, e perfeito. Outro ponto que fiquei pensando... "Isso não vai funcionar. Como explicar isso?", é o fato de Elfaba não poder chegar perto da água. Quem leu, já sabe que é assim que ela morre (isso não é spoiler pois ta no livro original), com um balde de água. E sim, mais uma vez o autor se saiu bem com a "alergia" a água que ela tem. Consegue transformar essa alergia de Elfaba em algo interessante e no mínimo curioso. 
E a solução pra isso não parecer ruim demais. Afinal, a primeira coisa que pensei é... essa menina deve feder kkkkk. Mas até pra isso tem um jeito. 
A transição dos atos, em que se passam anos e nem se explica de imediato o que aconteceu, pareceu que iam me incomodar, mas foram feito de maneira confortável, tudo, ou tudo que se precisa saber é explicado no decorrer. Alguns diálogos, fiquei sem entender bem, não sei se foi muito complexo, ou a intenção do autor era deixar que o leitor interpretasse da sua maneira... só sei que eu ainda voltarei nessas partes específicas pra ver se matei a charada haha. Ou pode ser que eu seja lenta demais pra entender kkkk. 
Enfim, foi um dos melhores livros que já li na minha vida! Uma obra prima para os amantes de fantasia. Estou encantada e minha vontade ao terminar de lê-lo, foi começar tudo de novo. Fiquei sabendo que é uma série e pretendo ler o restante também. 
Eu, que não costumo gostar das vilãs, acho que posso dizer que Elfaba é a primeira vilã feminina de que gostei. Talvez seja minha favorita de agora em diante.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

21 comentários:

  1. Amo releituras mas também me incomodo com os pontos citados, é preciso originalidade, o que percebo que irei encontrar nesse livro. Gostei da personalidade de Elfaba e tenho certeza que serei cativada por ela, e me interessei também pelas críticas e referências a nossa sociedade atual, alem de mostrar características de Oz por outro ponto de vista, depois da resenha concluo que preciso ler esse livro urgentemente

    ResponderExcluir
  2. Acho que um dos grandes motivos dos autores lançarem livros com vilões que nem são tão vilões assim foi por causa da série Once Upon a Time. Conheço a história de Oz por cima (apesar de ter o livro) e fiquei super interessada para fazer a leitura dos dois livros (Oz e Wicked) Acho genial quando autores conseguem adaptar histórias mágicas para histórias mais reais (indico - muito - Enquanto Bela Dormia) Fiquei curiosa para ler sobre essa alergia de Elfaba com água e como ela faz para se manter limpa - talvez com muito vidros de perfumes ??? kkkk Agora quero ver de quem são as outras histórias que o autor irá escrever

    ResponderExcluir
  3. Se tem um livro que eu sempre quis ler é esse, principalmente depois de ouvir as músicas da peça de teatro, que são maravilhosas. Mas primeiro eu teria que ler o Mágico de Oz pra entender tudo direitinho. A capa é simplesmente maravilhosa e o enredo parece ser ainda mais. Elphaba parece muito comigo pelo que eu percebi, e depois dessa ótima resenha, vou passar o dia ouvindo as músicas.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Preciso reler este livro....Que demais, ainda não conhecia este livro e fiquei muito empolgada com tua resenha! Adoro livros de releituras, ainda mais este. Adorei toda a edição dele, e tuas palavras me deixaram super animada, é sempre bom ver o outro lado, pois nos dá outra perspectiva da historia, ainda mais sendo de uma vilã. Mais um livro para os desejados! Adorei tua resenha=)

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não tinha dado nada por esse livro.
    Ai vem a sua resenha e me deixa super curiosa.
    Como faz? haha
    Parece ser uma história incrível, fiquei empolgada, ainda mais sendo da perspectiva da bruxa né?
    Adorei a capa também.
    Espero conhecer a obra em breve.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Sabrina!
    Gosto muito das releituras dos contos de fadas porque os autores ficam livres para mudar o enredo da forma que acham melhor e dão um novo sentido a história.
    O Mágico de Oz é um clássico bem antigo e ver que o autor fez uma modificação mais realista e ainda trouxe para o livro, problemas que podemos viver na nossa realidade é espetacular.
    “Educar é semear com sabedoria e colher com paciência.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de SETEMBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Oi Sabrina!

    Eu não conhecia o livro e fiquei curiosa com sua resenha. Nunca li o livro O Mágico de Oz, apenas assisti aos filmes e encontrei algumas similaridades que gostei.
    Bem, não vou adicioná-lo na minha lista de desejados pq está enorme. Mas gostei de saber sua opinião!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  8. Eu sou loucaaaa por esse livro! Amo O Mágico de Oz e estou louca para saber mais sobre o lado da Bruxa Má.

    ResponderExcluir
  9. Que resenha maravilhosa!
    Eu também não costumo gostar das versões de vilões, dos autores tentarem humanizá-los, mas depois de tantos elogios e pontos positivos, mesmo você também não gostando, quero dar uma chance ao livro!
    E pretendo fazer como você: ler o original antes. Porque por mais que todo mundo saiba da história, é sempre bom aprofundar mais, né?
    E gostei de saber que você gostou do final, mesmo com receio de não ser bom, ele te surpreendeu.
    Obrigada pela dica!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  10. Oi, Sabrina!!
    Recentemente comprei o livro do O Mágico de OZ é depois descobrir que também existia Wicked!! Estou apaixonada pela estória do livro pois sempre quis saber sobre a bruxa má do livro O Mágico de Oz!! Com certeza esse livro vai entrar na minha listinha de leitura!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  11. Olá Sabrina! Estou aqui me perguntando como ainda não conhecia este livro!
    Que perfeito!! Eu amooooo esse gênero! Fiquei mto curiosa pra ler e conhecer mais detalhes da obra, que pelo visto, é mto boa!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Oi Sabrina!
    Menina, amei sua resenha! É a primeira vez que leio uma resenha desse livro e veio no momento certo, pois ganhei um exemplar em um sorteio e está na minha estante, muito lindo! Ainda não comecei a leitura, gostaria de ler O Mágico de Oz primeiro, já que vi somente filmes, livro não. E preciso recordar os fatos e personagens. Mas estou certa de que vou gostar muito dessa história. Sua resenha está ótima. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Nunca li O Mágico de Oz, só assisti o filme mais atual e vi a história contada em muitos lugares, como em uma série que eu assisto, Once Upon a Time. Por isso é até estranho ver a Bruxa Má do Oeste ser chamada de Elfaba rsrs que não é o nome dela na série. Mas mesmo assim adoraria ler o livro, mas antes preciso ler O Mágico de Oz, pra entender tudo melhor.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  14. Oi..
    Nunca li nenhum releitura,ja havia lido resenha de o Magico de Oz,principalmente por ser muito comentado,e gostei bastante ,ai fiquei sabendo dessa releitura mas ainda nao tinha lido nenhuma resenha e gostei bastante da sua;apesar de nunca ter gostado de nenhum vilao queria muito ler um livro em que o vilao cativa o leitor e parece que esse é caso,com certeza vou ler mas assim como você vou ler primeiro O Magico de Oz pra ter um comparativo..
    um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  15. Vi algumas pessoas falando desse livro, mas não me animei muito para ler.

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Apesar de gostar bastante do universo do Magico de Oz, nunca li nada a respeito dessa obra. Fiquei bastante curiosa com este livro por acompanhar uma vilã e não os mocinhos.
    Assim como você, acredito que prefiro conhecer a obra original primeiro, então depois partir para a leitura desse livro.

    ResponderExcluir
  17. Oinn. Esse livro meio que é a minha cara. Amo a história do Oz e seu mundo sempre me interessou bastante. Já tinha ouvido muito falar e amei o livro e a Bruxa Má do Oeste. Amei sua resenha. Essa é uma ótima releitura dos contos de Oz..

    ResponderExcluir
  18. Não sou muito fã de fantasias, não sei se conseguiria chegar ao fim desse livro, para o momento atual, não leria esse livro por enquanto.

    ResponderExcluir
  19. Nunca li O Mágico de Oz e agora fiquei mega curiosa para ler esse livro. A história parece ser incrível! Também não tenho vilão favorito... rsrs
    Vou colocar o livro na minha wishlist.

    ResponderExcluir
  20. Nunca li O Mágico de Oz e agora fiquei mega curiosa para ler esse livro. A história parece ser incrível! Também não tenho vilão favorito... rsrs
    Vou colocar o livro na minha wishlist.

    ResponderExcluir
  21. Nunca li nem assisti O Mágico de Oz, apesar de minha prima, que é apaixonada pela história, me pressionar a algum tempinho kk
    Eu acho super legal essa onda de escrever livros mostrando o outro lado dos vilões, pois sempre lemos história da ótica dos protagonistas "bonzinhos". Tem muitas sagas que eu gostaria de livros separados contando detalhadamente a história de personagens maus, como por exemplo Harry Potter.
    Gostei da resenha e principalmente de ter uma super dica do que dar de aniversário para minha prima rs :) Beijos

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.