✓ Resenha: O Quarto Dia - Sarah Lotz

sábado, 21 de maio de 2016




Sinopse: Em O Quarto Dia, Sarah Lotz conduz o leitor por uma viagem de réveillon que tinha tudo para ser perfeita. Mas às vezes o novo ano reserva surpresas desagradáveis...
Janeiro de 2017. Após cinco dias desaparecido, o navio O Belo Sonhador é encontrado à deriva no golfo do México. Poderia ser só mais um caso de falha de comunicação e pane mecânica... se não fosse por um detalhe: não há uma pessoa viva sequer no cruzeiro.
As autoridades acham indícios de uma epidemia de norovírus, mas apenas descobrem os corpos de duas passageiras. Para piorar, todos os registros e gravações de bordo sofreram danos irreparáveis.
Como milhares de pessoas podem ter sumido sem deixar rastro? Teorias da conspiração se alastram, mas só há uma certeza: 2.962 passageiros e tripulantes simplesmente desapareceram no mar do Caribe.

Título: O Quarto Dia
Autor: Sarah Lotz
Gênero: Terror
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Onde Comprar: Compare aqui
Classificação: 9,9 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora. 




“Um passageiro psicótico, uma mulher morta, o norovírus e um engenheiro quase catatônico. Quanta merda a mais podemos colocar na pilha?” (p. 131)

O Quarto Dia é daqueles livros que você simplesmente não consegue largar. De uma envolvência e suspense fora do normal, Sarah Lotz apresenta mais uma obra assustadora, perturbadora e de tirar o fôlego. Prato cheio para os fãs do terror!

A história se passa no Navio Belo Sonhador, da Foveros, em um cruzeiro de ano novo, em dezembro de 2016. O que era para ser uma deliciosa viagem de verão, contudo, se transforma em um pesadelo repleto de acontecimentos inexplicáveis.

A narrativa é dividida em capítulos intitulados: A Assistente da Bruxa, O Condenado, A Criada do Diabo, As Irmãs Suicidas, O Anjo da Misericórdia e O Guardião de Segredos, onde cada capítulo tem o foco em um personagem específico.

Grande parte da obra se passa entre o 4º dia do cruzeiro, onde as coisas começam a sair dos eixos, até o 8º dia. Neste meio tempo, conhecemos Maddie – A Assistente da Bruxa – que é na verdade assistente de Celine del Ray, uma médium que viaja como convidada no cruzeiro, mantendo um grupo de seguidores, Amigos de Celine, dispostos a ouvirem ela entrar em contato com seus entes queridos falecidos e trazer conforto com suas palavras. 

Celine possuía dois guias espirituais que a ajudavam a realizar o “contato” com os entes falecidos: Archie (o trágico garoto de rua da Londres do século XIX) e Lizzie Bean (a trágica socialite da década de 1920). Todavia, sua assistente Maddie era a principal responsável em coletar as informações sobre os falecidos que contataria em suas sessões.

A médium, anteriormente, foi alvo de polêmica ao afirmar para a mídia que Bobby Small e sua mãe estavam vivos – passageiros de um dos aviões que caíram durante a Quinta-Feira Negra – mesmo após terem encontrado o DNA de ambos entre os destroços do avião. (Obs.: A Quinta-Feira Negra refere-se à obra Os Três, da autora, que narra a história de quatro aviões que caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes no mundo - resenha aqui).

Somos apresentados, então, à Gary, ou melhor, ao Condenado. Um professor casado, especializado em dopar e estuprar mulheres, que faz de Kelly – uma das passageiras do cruzeiro – sua vítima. 

Conhecemos também Althea, uma das camareiras do navio. As amigas Elisa e Helen, que, por sua vez, viajavam com um único objetivo: tirar suas vidas durante o ano novo. Jesse é o médico do cruzeiro, possuidor de um pequeno segredo: é viciado em meperidina. O Guardião dos Segredos narra os acontecimentos com Devi, um dos seguranças. Também está a bordo Xavier, um blogueiro que desmascara fraudes, determinado a desmascarar Celine.

As coisas começam a dar errado quando surge um problema técnico no navio e todos os passageiros são mandados até o Ponto de Encontro. O problema, na verdade, teve início com um incêndio, deixando um dos engenheiros muito ferido e quase em estado catatônico, além de danificar os cabos que iam do motor aos geradores. Com o navio parado e sem previsão de quando chegaria ajuda – se é que alguma ajuda foi chamada! – mais uma péssima notícia é dada à tripulação: a bomba de vácuo do sistema sanitário deixa de funcionar e as pessoas são obrigadas a fazer as necessidades fisiológicas em sacos plásticos. E tem mais: não há comida cozida pela falta de eletricidade, a maioria dos restaurantes fecha, as filas para pegar “comida” – apenas sanduíches! – são enormes, as pessoas estão revoltadas pelas condições insalubres do navio e por não saberem quando vão voltar para casa.

Para ajudar, um vírus se alastra pela tripulação, causando um surto de vômito e mal estar.

O cruzeiro está um caos. As pessoas brigam por comida, desesperam-se pelo fato de ninguém nunca dizer se a ajuda está a caminho ou quando conseguirão ir para casa, há sacos com dejetos humanos por todos os lados, sem contar os primeiros andares do navio que foram tomados pelo fedor – as privadas entupidas transbordaram e alastraram-se pelos conveses. Também não há comunicação externa, rádio ou internet.

Paralelamente à isso, a tentativa de Gary de estuprar sua vítima passa dos limites, levando ao assassinato. A história da passageira morta, por sua vez, logo se espalha e um boato de que ela está assombrando o navio toma conta. Mas não é só isso que tende ao lado sobrenatural: muitos passageiros afirmam ter visto A Dama de Branco na parte inferior do navio, Althea pode jurar ter visto um menininho perambulando por lá também (apesar de o cruzeiro ser apenas para maiores de 18 anos), Celine parece outra pessoa e passa a se comunicar com entes falecidos de quase toda a tripulação, mesmo sem a ajuda de seus assistentes.

E o que ocorre, então? Encontram o navio à deriva após cinco dias desaparecido, mas a melhor parte é que há apenas dois corpos a bordo: o de Kelly e o de uma senhora não identificada. Todos os outros mais de dois mil passageiros simplesmente sumiram. O diário de bordo e a caixa-preta do navio sofreram danos, tornando-se inúteis para desvendar o que ocorreu no Belo Sonhador.

A história vai se desenrolando e cada capítulo narra o que está acontecendo com um personagem, em uma linha de tempo contínua, sem retroceder à narrativa. A leitura é muito envolvente e dinâmica, contando com posts do blogueiro, notícias de jornal e tweets no desenrolar da história. A obra foge de qualquer clichê possível, apresentando algo totalmente diferente (apenas se familiarizando com a obra anterior da autora).

A capa é linda, segue a mesma linha de Os Três e trás aquele ar de mistério e a lateral na cor da capa. O tema é bem original e perturbador, seguindo também o mesmo rumo de sua obra anterior, que, por sinal, se relaciona com O Quarto Dia muito mais do que imaginamos antes de terminarmos a leitura. Sarah Lotz mescla eventos sobrenaturais, como fantasmas, mediunismo e até mesmo demônios, com um terror psicológico e crescente a cada página. Sentimos as emoções – e o desespero – de cada personagem. O mistério que ronda toda a situação também instiga a imaginação com várias teorias malucas. Para onde foram todos os passageiros, afinal?

Os cenários e os personagens são completos e bem conectados, não lidamos com personagens estereotipados ou rasos. Conhecemos cada canto do navio da Foveros, imaginando cada cena. Temos uma obra muito completa, elaborada e narrada minuciosamente, prendendo a atenção do leitor do início ao fim.

Encontrei apenas dois erros de revisão durante a leitura. A diagramação também está ótima, mas confesso que senti falta das orelhas no livro.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

20 comentários:

  1. Tenho muita vontade de ler esse livro, ainda mais depois de já ter lido o outro título da autora. Já li algumas resenhas sobre essa história em especial, algumas retratando pontos mais positivos e outros mais negativos, porém estou com várias expectativas sobre o enredo. Fiquei bem intrigada sobre a ambientação e suas considerações me deixaram ainda mais motivada para conferir. Obrigada pela indicação!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não li esse livro mas tenho muita curiosidade sobre ele, acho que vou ficar com medinho em alguns momentos mas mesmo assim eu quero ler. Acho que essa foi a resenha mais completa que eu já li sobre essa obra e a que mais me deixou por dentro dos detalhes. Gostei muito de ver a sua opinião e estou ainda mais interessada em realizar a leitura dessa obra.

    ResponderExcluir
  3. Já li diversas resenhas sobre o livro, mas essa foi a mais detalhista, tanto que tive a impressão que você contou o livro todo! Hahahahhaah
    Eu sempre lembro do filme O Navio Fantasma quando vejo alguma resenha desse livro. Antes de ler ele eu quero ler o anterior. Sei de pessoas que não fizeram isso e perderam as referência... eu não quero perder.
    Eles podiam jogar as necessidades fisiológicas deles no mar, né? Pra que ficar guardando no navio?!
    A proposta do livro chama bastante minha atenção. Espero não me decepcionar com o final, pois já vi gente reclamando.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá

    Esse livro está virando oito ou oitenta. Ontem mesmo li uma resenha que a menina deu 1 estrela pra esse livro. Agora vejo a sua que adorou e fiquei bem curioso pra saber o que tem de mais nessa estória pra dividir as opiniões. Gostei de ter vários acontecimentos ao mesmo tempo e todo esse mistério. Espero ser do time que gostou da estória.

    Everton Equipe Rillismo
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi
    Não sei o que pensar desse livro. Essa foi a resenha mais positiva que li até agora, mas confesso que estou morrendo de medo de encarar essa leitura.
    Li Os três e amei tudo, menos o final. Realmente a autora tem uma escrita maravilhosa, mesmo assim estou pensando se vale a pena.
    Bom ver sua opinião. Equilibrou tudo.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Estou dividia, se leio ou não esse livro. O primeiro livro da autora eu tinha muita vontade de ler, mas apos algumas resenha vi que não era tudo aquilo que eu imaginava. Já O Quarto Dia parece ser melhor, apesar de ter uma narrativa parecida com o outro e alguns pontos que você destacou como os personagens e a conexão entre eles.
    Mas ainda que acredite que é ame ou odei, acho que se eu não curtir nem vou arrisca em outras obras da Sarah.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Sou uma apaixonada por Thriller e esse vem chamando minha atenção desde o lançamento. Achei a premissa absurdamente instigante e fico curiosíssima para ler. Sua resenha ficou ótima e conseguiu me deixar ainda mais empolgada. Nunca li nada da autora e provavelmente irei começar por esse :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oiee ^^
    Não é a primeira vez que eu vejo elogios para os livros da autora, e para os personagens também. Eu não sou fã do gênero, mas tenho visto tanta coisa boa sobre o livro que estou mega curiosa para conhecê-lo, mesmo sendo fora da minha zona de conforto. Fico feliz em saber que a autora acertou no desenvolvimento dos personagens e da história, e mais curiosa ainda ao ver que você gostou tanto do livro. Aiaiai, eu quero *-*
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Gosto muito de Thrillers, e estava super receosa de ler esse livro, pois havia visto várias críticas negativas tanto deste quanto do livro anterior, terceiro dia.
    Mas lendo sua resenha percebi que a obra é realmente incrível, e que vale super a pena conferir essa história, principalmente pela autora conseguir dar profundidade a cada personagem, nos imergindo na história

    ResponderExcluir
  10. Olá...
    Confesso que já vi algumas resenhas, umas com opiniões positivas outras negativas, mas mesmo assim meu interesse nesse livro só cresce, as perguntas não param de vir na minha cabeça, eu quero solucionar esse mistério kk estou louca para saber aonde toda essa estoria vai acabar... ótima resenha, me deixou mais curiosa...
    Beijocas...
    https://westfalllivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, sabe que desde o lançamento desse livro eu sinto vontade de ler, acho que ele trás um assunto bem intrigante e essa história toda me deixa com um suspense! gostei muito da sua resenha e pretendo ler o livro o quanto antes, estou bem curiosa!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi Amanda, a sua resenha é uma das poucas resenhas postivas que já li sobre este livro. Já ouvi inclusive, criticas bem ácias quanto ao enredo. Ainda estou confusa se quero ou não, mas anotei os pontos positivos que você destacou.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi Amanda, acho a escrita da autora realmente surpreendente e completamente envolvente, isso é inquestionável. Estou muito curiosa para ler essa obra, mas espero sinceramente que a narrativa não siga igual ao livro anterior, que eu até gostei, confesso, mas para mim faltou profundidade devido ser narrado através de notícias, e afins. Não sei se é o caso desse. Mas, apesar disso, quero saber como a Sarah desenrola esse mistério e saber onde estão os outros passageiros.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  14. Oie!!!
    A sinopse já tinha me interessado bastante, mas sua resenha revelando um pouco mais de cada personagem chave me fez ficar mega curiosa com a condução desta investigação e, é claro, com a conclusão do que aconteceu aos tripulantes.
    Agradeço a indicação, pois ainda não havia lido nada a respeito do livro ou da autora.
    Bjinhos ;)
    Elaine M. Escovedo
    http://www.caminhandoentrelivros.com.br

    ResponderExcluir
  15. Não curto terror, essa coisa de história assustadora e perturbadora realmente não é pra mim, acabo tendo pesadelos e não gosto nem um pouco quando isso acontece. Não sei porque quando colorem a lombada tiram as orelhas, não vejo porque uma coisa não possa existir junto da outra, não atrapalharia em nada a presença das orelhas no livro, também sentiria falta. Não sabia que esse livro era tão interligado a Os três... isso deve ser algo bem legal de descobrir, mas realmente não tenho interesse em nenhum dos dois.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  16. Oi Amanda, tudo bem?
    Eu amo livros do gênero suspense/terror, então não é novidade que estou doida para conferir o livro. Estou muito curiosa para saber como os passageiros do navio desapareceram e para onde foram, essa parece ser uma obra muito envolvente por ser tão recheada de mistério. Achei legal a autora ter dividido em capítulos enormes que mostrassem as perspectivas diferentes dos personagens, acredito que dessa forma ficará muito mais fácil visualizar a história. Adorei a sua resenha e espero ler o livro em breve!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  17. Ooi,
    Só li coisas positivas sobre o livro, mas como não sou fã do gênero acho que vou passar a dica. Mas vale dizer que sua resenha está incrível! Se fosse um pouco mais corajosa iria estar louca para conhecer o livro.
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  18. OLá, tudo bem? :)
    Meus Deus, fiquei com muita vontade de ler! Já tinha lido algumas resenhas sobre o livro anterior da autora, mas sempre achei que não faria o meu género. Mas após este post quero ler ambos os livros. Não sei se depois conseguirei dormir, pois tudo que abrange espíritos mexe muito comigo, mas estou disposta a arriscar :P
    Beijinhos
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  19. Olá! Sinceramente, perdi as contas de quantas resenhas já li dessa obra. Já estava ficando cada vez mais desanimada. Sou mais do que ansiosa para conhecer o enredo de Os Três há muito tempo e, quando fiquei sabendo do lançamento de mais uma obra da autora, fui correndo ver as primeiras páginas disponibilizadas pela editora. No entanto não me senti nem um pouco atraída pela história criada, infelizmente. Porém sua resenha foi a primeira que li, se não me engano, a citar os passageiros que desaparecem sem explicações e o personagem da citada linha do tempo. Anotarei a indicação e, quem sabe, tente dar uma chance futuramente, pois seus comentários me deixaram curiosa. ><

    Beijos,
    Fernanda Goulart.

    ResponderExcluir
  20. Mesmo não sendo nada fã de livros com climas mais sobrenaturais, estou bem curiosa com esse livro por lembrar uma coisinha da série Fringe. Gostei desses títulos sugestivos dos capítulos e o que significam na trama e o fato de ter uma médium, que deve dar uns sustinhos nos tripulantes que abusam da sorte.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.