✓ Resenha: Mil Beijos de Garoto - Tillie Cole

quinta-feira, 28 de setembro de 2017






Sinopse: Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.

Título: Mil Beijos de Garoto (Skoob)
Autor: Tillie Cole
Gênero: Young Adult
Editora: Planeta
Páginas: 400
Onde comprar: Amazon / Saraiva
Classificação: 9,5 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora. 





Mil Beijos de Garoto é um livro que fez sucesso aqui no Brasil, antes mesmo de ser publicado por aqui. Vi inúmeras pessoas apaixonadas e exaltando esse livro antes de eu ler, então vocês já podem imaginar que eu fui cheia de expectativas né?

" Quando você sabe que algo é finito, isso torna aquilo muito mais significativo."

Temos um garoto e uma garota. Rune e Poppy. O casal se conhece ainda na infância, quando Rune Kristiansen, o pequeno Viking, aos cinco anos de idade, muda-se de Oslo (Noruega), para a casa vizinha de Poppy Litchfield, na Geórgia (Estados Unidos), e então mais que uma simples amizade, nasce uma ligação intensa entre ambos. Eles serão melhores amigos para sempre e sempre até o infinito.

Rune estava lá, ao lado de Poppy quando a menina perdia sua amada avó, aos oito anos. Nesse doloroso dia, Poppy descobre que a maior aventura da vida de sua avó foram todos os beijos que ela recebeu de seu finado e amado marido, então ela presenteia Poppy com um pote, dentro dele mil corações de papel cor-de-rosa. Com o presente um pedido: marcar em cada coraçãozinho um beijo de garoto que faça o seu coração quase explodir, todo beijo especial do seu garoto. Ainda com o coração partido Poppy conta a Rune o último pedido da avó e é nesse momento, no refugiu do bosque, que Rune sente ciúmes ao imaginar Poppy com outra pessoa, e então ali descobrem que nasceram um para o outro.

"Assenti com a cabeça e puxei uma pétala rosa-claro de flor de cerejeira do galho que pendia ao meu lado. Observei a pétala. Elas eram as favoritas da minha vovó. Ela gostava delas porque não duravam muito. Ela me falou que as melhores coisas, as mais bonitas, nunca permanecem por muito tempo."

O primeiro problema que encontrei no livro está nessa parte. Ambas crianças agem de forma madura demais para a idade citada, oito anos. Ambos descobrem ali que se amam, Rune já sente ciumes de uma forma adulta muito precocemente e rola uma cena de beijo que não me agradou, eu realmente não gostei de imaginar duas crianças beijando-se. Poderia ter sido um beijo no rosto, eles eram inocentes demais para uma atitude tão adulta.

Mas voltando, aos quinze anos, em meio a paixão avassaladora que ambos nutrem, Rune é obrigado pela família, decorrência do emprego de seu pai, a voltar para Noruega, por um tempo indeterminado, então de corações partidos Poppy e Rune se despedem com a promessa de esperarem um pelo outro, mantendo todo o contato possível.

Dois anos depois, Rune está de volta, mas parte dele se perdeu junto com o vínculo quebrado por Poppy. Sem nenhum motivo aparente, dois meses após sua partida, Poppy simplesmente parou de atender suas ligações, responder suas mensagens, ela simplesmente desapareceu, mudando-se até mesmo de cidade sem deixar vestígios. Isso desencadeia uma rebeldia em Rune, agressividade e maus modos, que direciona quase toda sobre sua família, principalmente sobre seu pai.
Um pouco antes da chegada de Rune à Geórgia, em sua antiga casa, Poppy também está de volta, mas agora ela carrega um segredo capaz de dilacerar o coração de Rune e ela vai evita-lo o máximo possível.

"Não sei bem por quê, mas capturar momentos me fascinava. Talvez porque às vezes tudo que temos são momentos. Porque não há repetições; o que acontece em um momento define a vida."

A Poppy sem dúvida é uma pessoa iluminada, uma personagem que ama a vida e seus pequenos detalhes, ela tem muito a ensinar para Rune, para a família e até para nós leitores. Cheia de sabedoria, ela é incrível, e como dizia sua avó, ela tem o luar no coração e raios de sol no sorriso.

Para poder me aprofundar mais nos meus pontos de vista, vou deixar um spoiler (que acredito que a maioria já saiba, mas de qualquer foram, cuidado!)

"Cada centímetro de mim quebrado, remendado com band-aids - band-aids sobre feridas abertas.
Temporários.
Fúteis.
Inúteis."

Poppy sumiu porque ela está doente. Poppy tem câncer e é irreversível, ela tem meses de vida e nada mais pode ser feito, então voltou pra casa para morrer em paz junto a família, e por isso não queria que Runne voltasse, queria poupa-lo já que sabia que ele não suportaria.

O amor de ambos é muito verdadeiro, é um amor maduro e que cuida, que acrescenta, que ilumina. Precoce um pouco pra idade, mas diante a sabedoria que Poppy sempre demonstrou, é completamente possível.
Apesar de todos os elogios aos personagens tão bem descritos, ainda assim, eu não tive o envolvimento que a maioria teve com a história. Cada detalhe fazia sim meu coração sofrer, cogitar estar no lugar de Rune me deixava pra baixo. E acho que foi exatamente aqui o problema, a autora nunca deu uma esperança para o leitor. Ela não nós cativa com a fé, com alguma possibilidade, ainda que ela fosse falha no final. Desde quando descobrimos a doença de Poppy, numa cena incrível de diálogo intenso tenho de ressaltar, todo o restante está fadado a dor e nosso coração fica apagado ainda que Poppy brilhe o livro todo.

Agora mais que nunca, Poppy tem de completar os mil beijos de seu potinho antes do reencontro com sua avó, e Rune não vai poupar esforços para que cada um deles seja de quase explodir seu coração.

Existe uma cena em decorrência dessa ânsia de viver que Rune quer entregar a Poppy que me remeteu muito a uma cena de "A Culpa é das Estrelas", e a partir daí eu não consegui mais parar de comparar as histórias. Mas o problema que sempre voltava na minha cabeça era que até em "A Culpa" havia uma pequena esperança, mudava-se o foco, e aqui não.

" É pior que qualquer dor. É pior que enfrentar a morte. Ver minha doença sugar a felicidade daqueles que eu amo é o pior de tudo."

Não vi necessidade no epílogo, depois de tanto sofrimento que Rune viveu, eu senti como se ele fosse condenado ainda mais, o final dele pode encher os olhos de algumas pessoas mas destruir outras, depende muito da sua religião ou crença. Não vou me aprofundar para não dar ainda mais spoilers!

No geral, o livro é lindo, cheio, repleto de mensagens para levar pra vida. A escrita da autora te consome e você nem percebe que está lendo, é quase como um filme. É um livro ótimo, não teria como a nota final ser diferente apesar de tudo que ressaltei acima. Mas vale lembrar que é pesado, não leia quando estiver em maus dias, pode ser um gatilho e tanto.

" (...) se a Poppy não está com raiva por ter uma vida curta, como qualquer um de nós pode se atrever a ficar com raiva por ela?"


Curiosidade: Poppy canta uma canção de letra muito parecida com Rastros na Areia, que ouvi ainda quando criança, pela voz de Duduca e Dalvan. Desconheço a canção em inglês, mas você pode ouvir a versão em português aqui.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

13 comentários:

  1. Andrea!
    Ai que saudade do meu primeiro amor há mais de 40 anos atraás...kkkk
    Tudo tão puro, simples, sem complicações, o sentimento de podermos enfrentar tudo...
    Acredito que o amor dos protagonistas vá nessa linha e tenham de provar para tudo e todos que se amam realmente.
    Por que não viu necessidade do epílogo?
    “Eis um teste para saber se você terminou sua missão na Terra: se você está vivo, não terminou.” (Richard Bach)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Este é um dos primeiros livros da minha lista de desejados. este tipo de historia mexe demais comigo, sempre se tona enriquecedora e cheia de lições para nossa vida.Creio que toda este aprendizado dos personagens de amor, doenças e superação é sempre um marco, e creio que é por isso que sempre fazem tanto sucesso, espero poder conferir em breve!

    ResponderExcluir
  3. Oi Andrea, esse livro é sim muito bom, mas eu tinha em mente que iria me emocionar muito lendo a história e me acabar de chorar (porque sou manteiga derretida), mas não, faltou alguma coisa, alguma conexão, e a parte que você diz que faltou a autora dar esperança fez sentido pra mim. Ainda assim, é uma história que merece ser lida, que considerei excelente e grande parte disso se deve a personagem Poppy, ela é mesmo inspiradora. Curti a resenha, as ressalvas e acho esse livro merece ser lido ;)

    ResponderExcluir
  4. Olá! Tudo bem?
    Já estou me vendo ao ler esse livro chorando horrores, simples assim. Amo livro emocionante, que ao virar uma pagina você se derreta em lágrimas. A sua resenha me fez amar os personagens sem ao mesmo conhece-los, amei o jeito que você descreve o livro.
    Estou tão ansiosa pra ler esse livro!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Andréa.
    Eu chorrei horrores lendo esse livro.
    Mas enfim, a atitude dos personagens realmente não condizem com as idades deles, porém confesso que isso para mim não foi um problema, a historia de amor dos dois é linda, a escrita da autora incrível e espero muito que sejam lançados outros livros dela por aqui.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Já vi esse livro várias vezes por aí mas ainda não sabia a história dele, se eu fosse ler também ficaria comparando com A culpa é das estrelas, normalmente gosto muito de livros sick-list mas no momento estou evitando um pouco, claro que vou deixar o livro na minha wishlist para um futuro próximo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Andréa,
    Ah... Esse livro acabou comigo, já tinha sido avisada para preparar muitos lenços durante a leitura, mas jamais imaginei que esse livro seria tão arrebatador como foi. Me emocionei até a última página com essa linda história do amor puro, sincero e verdadeiro do Rune e Poppy, foi uma leitura com uma carga emocional que explodiu meu coração completamente ♥
    Lindo, apaixonante, arrasador! Esse livro é épico e destruidor de almas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. To roendo as unhas pra não sair logo pra comprar esse livro maravilhosooo.
    Amo livros que acabem comigo, que me fazem chorar e ja to doida por esse. 😍😍😍😍

    ResponderExcluir
  9. Oi Andréa.
    Ainda não li esse livro, mas vi várias resenhas positivas sobre ele.
    Mas, depois de ler a sua fiquei um pouco receosa. Ele tem muitas semelhanças com ACEDE, mas sem deixar o leitor com esperanças de um final feliz =/
    Mesmo assim acho que vou ler.
    Achei a capa super fofa!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, eu realmente estava vendo falar muito do livro, mas essa é a primeira resenha que leio dele, um livro repleto de tristeza né, to até com medo de ler, quando vi na resenha duas crianças de oito anos se beijando isso me incomodou um pouco, mas se formos analisar como as coisas estão hoje em dia, isso realmente tem acontecido, infelizmente. Não sei se darei uma chance ao livro, ainda mais que temos semelhanças ai com A culpa é das estrelas.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  11. A capa já tinha me conquistado, mas sua resenha me ganhou haha
    Não é um gênero que goste muito, mas autora parece ter colocado tudo de uma forma tão real que a história nos envolve.
    Parece aquele livro que nos faz pensar em diversas coisas.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Oi Andréa,
    Adoro livros que me comovem, me faz chorar e me apaixonar e acho que Mil beijos de garoto é o livro que irá me fazer ter essas reações. Rune e Poppy irão se conhecer da forma mais inocente e a amizade dos dois deve ser algo lindo de acompanhar. Mas como todo livro com esta temática, momentos de tristeza e alegria serão compartilhados e a partir daí uma história cheia de reflexão e crescimento é traçada. Não conheço nada da Tillie Cole, por isso estou bem curiosa para conhecer sua escrita.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu estou super querendo esse livro, li tantas resenhas que me deixou apaixonada pela historia desse romance fofo. A trama te envolve de uma maneira que ver como é uma paixão, um amor desde da infância, aquele amor puro e especial e isso que podemos ver na historia desse dois personagens. Estou super ansiosa por ler esse livro.

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.