✓ Resenha: Dumplin' - Julie Murphy

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sinopse: Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.

Título: Dumplin' (Skoob)
Autor: Julie Murphy
Gênero: Young Adult
Editora: Valentina
Páginas: 300
Onde comprar: Amazon / Saraiva
Classificação: 9,8 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora. 





Willowdean é gorda assumida, tem dezesseis anos e mora na cidade de Clover City. Está no ensino médio e trabalha como caixa em um restaurante de fast food. Tem uma quedinha por seu colega de trabalha, Bo Larson, o garoto bonito que estuda em um colégio particular. Ellen é a sua melhor amiga desde a infância e ambas são apaixonadas pela cantora Dolly Parton.

“O segundo ano do ensino médio acabou. O estacionamento se enche de gritos de comemoração e pneus cantando. Mas não experimento a mesma sensação de progresso que os outros. O que sinto é que estou presa, esperando que a minha vida aconteça.” (p. 22)

Sua mãe, que a chama de Dumplin, é ex miss e chefe do comitê do concurso de beleza mais antigo do estado, o Miss Jovem Flor do Texas. Sua relação com a filha é complicada, uma vez que ela não aceita o fato de a filha estar acima do peso e não querer mudar. Para piorar, sua querida tia Lucy faleceu recentemente, vítima de um infarto fulminante aos trinta e seis anos, quando pesava 235kg.

O concurso de beleza é o acontecimento mais importante da cidade e, enquanto todos só falam dele, Will o odeia com todas as forças. Principalmente por o concurso ser praticamente a vida da sua mãe.

Will nunca se sentiu desconfortável com o seu corpo, apesar de ser alvo de piadinhas por outros alunos do colégio. Porém, quando seus sentimentos por Bo se tornam recíprocos, ela se sente gorda demais e desconfortável em sua própria pele.

Cansada com o preconceito imposto pelos padrões de beleza, Will decide se inscrever no concurso e provar para todos, inclusive sua mãe, que não precisa deixar de fazer nada por não se encaixar nesses padrões. Porém, o que era para ser algo normal, acaba virando o assunto da escola. Will se vê sob os refletores, sendo alvo de bullying por alguns, mas também uma verdadeira inspiração para outros.

“Detesto ver gordas na tevê ou no cinema, porque parece que o único jeito de o mundo aceitar um gordo é se ele estiver infeliz com o próprio peso ou se for o melhor amigo piadista. E eu não sou nenhuma das duas coisas.” (p.84)

Will passa a compartilhar seus dias com três garotas que também fogem totalmente dos padrões de beleza e se sentem motivadas por sua atitude: Amanda, Millie e Hannah. Mitch, o grandalhão da escola que a convida para sair, torna-se seu amigo e, então, Will se vê em um impasse, pois na verdade se sente completamente atraída por Bo, o garoto bonito que não deveria se interessar pela garota gorda e a faz ter sentimentos contraditórios sobre si.

Em meio à tanta coisa acontecendo, Willowdean se encontra em crise, sem saber ao certo o que quer dizer ao mundo ao participar do concurso, sofrendo com a dor da perda da tia e as atitudes pouco compreensivas da mãe, se desentendendo com a sua melhor amiga e em meio à vários sentimentos envolvendo os garotos Bo e Mitch.

“[...] Mas não posso imaginar de que modo uma perda de cinco quilos, ou até mesmo de vinte e cinco, poderia amenizar a saudade brutal que sinto de Lucy, ou a confusão em relação a Bo, ou a distância cada vez maior entre mim e El.” (p. 122)

Sua mãe, Rosie, é uma personagem muito importante, pois as duas se desentendem sempre, principalmente devido ao peso de Will. Como organizadora e ex vencedora do concurso de beleza, ela não aceita que a filha esteja acima do peso. Sem o menor apoio em casa, Will se agarra com todas as forças à lembrança e à saudade de sua tia Lucy, com quem se identificava muito mais.

Dumplin’ é um livro incrível. Fala sobre aceitação e diferenças de um jeito natural e nada forçado, com uma protagonista que é muito parecida com nós, tão humana e verossímil quanto poderia ser. Trás muita representatividade e leva seu objetivo além do público adolescente, além das meninas acima do pesa, chega ao centro do problema, fala sobre a aceitação da familia, e como isso pode agravar ou amenizar o convívio social.

Will é uma personagem forte e corajosa, mas nem sempre se sente assim. Muitas vezes ela não tem nada a dizer e não quer transformar nenhuma atitude sua em uma “atitude corajosa”, por ser diferente dos padrões estéticos impostos pela sociedade, ela apenas quer ser normal e fazer coisas que qualquer pessoa poderia fazer.

Contudo, a forma como ela serve de inspiração para outras garotas é realmente cativante, e confesso que também serviu de inspiração para mim. Will mostra que não devemos deixar de fazer algo apenas porque a sociedade impõe. Não estamos fazendo nenhum mal ao mundo por não sermos altas, loiras e perfeitas. E, até mesmo este tipo de garota, pode ser insegura e alvo de deboche por algum motivo.

Eu gosto muito de livros que abordam o tema do bullying, principalmente por saber como é, e a importância do assunto ser discutido. Vi em Dumplin’ algo que não encontrei em outros livros do gênero, pois Will é tão humana que foge totalmente dos estereótipos. Ela é forte sem querer parecer forte, e é corajosa mesmo achando que não. Will quer dizer para as pessoas que não precisamos conquistar o direito de ser igual aos outros, ou ao que a sociedade impõe, ela só quer que possamos ser nós mesmos. Willowdean é incrível, te faz querer fazer a diferença e ignorar se você não é como os outros queriam. Seja você mesmo é a maior lição.

“[...] Eu perdi muito tempo na vida me preocupando com o que as pessoas diriam ou pensariam. E, às vezes, era em relação a coisas bobas, como uma ida à mercearia ou aos correios. Mas houve ocasiões em que me proibi de fazer coisas importantes. E tudo porque estava com medo de que alguém me olhasse e decidisse que eu não tinha valor. Mas você não tem que se incomodar com essas bobagens.” (p. 28)

O cenário da trama é muito convidativo, ambientado no Texas e contando com um concurso de beleza que é, historicamente, o acontecimento mais importante da cidade.

A narrativa de Julie Murphy é muito envolvente e nos faz virar página atrás de página. Os capítulos curtos tornam a leitura ainda mais dinâmica. A capa é simples, porém transmite tudo o que precisa dizer, sem muitos enfeites. A revisão e a diagramação também estão impecáveis.

Curiosidade: o apelido de Will, Dumplin, refere-se à um tipo de salgado que possui o formato de pequenos pastéis, o que é um apelido meio cruel para um mãe dar para a filha. No entanto ao longo da leitura, é compreensível os argumentos usados por uma mãe, por mais errados que fossem, o bem e a felicidade da filha era tudo que ela desejava. 








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 comentários:

  1. Oi Amanda.
    Adorei o enredo desse livro.
    Parece que a autora abordou muito bem o tema bullying ao retratar a vida de uma adolescente fora dos padrões de beleza da sociedade, com uma mãe que era uma ex-miss.
    A vida de Will parece ser mesmo difícil, mas ela parece ser bem forte e corajosa, mesmo não querendo ser.
    Fiquei com bastante vontade de ler esse livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Estou doida pra ler esse livro! A história dele parece ser realmente muito boa, e os personagens parecem ser muito bem construídos. Eu também gosto de livros que tratam o bullying e eu acho que vou gostar da forma que foi abordada nesse livro.
    Eu já comprei o livro, agora estou só esperando ele chegar. E espero gostar dele tanto quanto você :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda, acho que esse já começa a agradar pela capa, que pra mim tá muito linda e ai nos entrega uma personagem inspiradora, uma história fácil de se identificar, amores, problemas familiares, concursos de beleza, não li, mas amei a resenha e acho que quando conseguir ler essa história vou curtir muito, já criei empatia por Will e toda sua trajetória ;) <3

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda. Estou louca pra ler esse livro. Ele tem tudo pra ser uma das minhas melhores leituras do ano. Já senti empatia pela Will. Quero saber como vai ser a história dela com o Bo e o Mitch, além da relação super ditatorial da mãe dela.

    ResponderExcluir
  5. Quero muito ler este livro não só por abordar um tema que deve ser discutido, mas também por retratar o quando a busca por um padrão de beleza ele pode ser cruel, outro ponto que me chama a atenção nesta obra, e por se tratar também de relacionamentos amorosos, mas ainda sim pela relação filha e mãe, que nesta obra me pareceu ter altos e baixos, e nem sempre o que queremos pros nossos filhos e o que eles desejam, isto e poder de escolha que todo sujeito deve ter. Estou ansiosa por esta leitura.

    Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Fiquei encantada com a capa. Despertou muito minha curiosidade. Vou compra-lo assim que tiver dinheiro. Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Adquiri o ebook em inglês há pouco tempo e estou doida pra ler!
    Parece uma ótima leitura com bastante representatividade e temas importantes <3
    Vou ler em breve!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Eu ja tinha ouvido falar desse livro, porém confesso que ele não me chamou a atenção de forma alguma, eu adoro esse cenário de superação e quebra dos padrões mas o triângulo amoroso foi o que literalmente me quebrou, não sou muito fã, espero um dia mudar de ideia, mas agora para mim não funciona.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Eu havia visto livro, porém deixar passar porque a capa não me atraiu.
    Mas depois que vi a sinopse percebi que eu devia era ter lido haha
    Gosto da forma como autora discutiu um assunto tão comum hoje em dia, e queria ler para saber mais sobre a relação que Will tem com sua mãe.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Amanda!
    Difícil viver dentro dos padrões que a sociedade impõe, principalmente na adolescência.
    Gostei de ver que Will e suas amigas querem apenas mostrar que são 'normais' que não são diferentes das outras adolescentes e achei demais a ousadia dela em querer participar de um concurso de beleza.
    E que mãe é essa, hein? Vixe! E porque tentava fazer o melhor, avalie se não...
    Desejo uma semana de muita luz e paz!
    “Para cultivar a sabedoria, é preciso força interior. Sem crescimento interno, é difícil conquistar a autoconfiança e a coragem necessárias. Sem elas, nossa vida se complica. O impossível torna-se possível com a força de vontade.” (Dalai Lama)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  11. Oi Amanda,
    Quero muito ler essa obra de empoderamento desde quando vi o lançamento, fui conquistada pela premissa na mesma hora, e pelo que venho lendo em resenha, os comentários positivos mostram com brilhantismo essa história incrível e repleta de lições. Tudo indica que essa garota vai conquistar muitos leitores e não vejo a hora de ser cativada por ela também.
    Já estou encantada com a história da Will, estou ansiosa para acompanhar a jornada dessa personagem tão cativante que irá mostrar a importância do amor próprio. Esse livro vai muito além de um romance adolescente, traz uma história repleta de reflexão e lições.
    Beijos

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.