Conheça um pouco mais do Clássico: 1984 de George Orwell

quarta-feira, 12 de julho de 2017




“Era um dia frio e ensolarado de abril, e os relógios batiam treze horas.” Estas catorze palavras dão início à obra mais aclamada do autor inglês George Orwell. "1984" é considerada uma das três obras essenciais que tratam de futuros distópicos, ao lado de “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley e “Laranja Mecânica”, de Anthony Burgess.

Em “1984”, seguimos Winston Smith imerso na sua realidade: um planeta mergulhado em conflitos militares eternos entre superpotências – Oceania, Eurásia e Lestásia. Mais importante do que o perpétuo estado de guerra, Winston está sob um constante estado de vigilância governamental - assim como todos na Pista de Pouso Número 1, nome do finado Reino Unido neste universo proposto por Orwell. 

Como operário do governo, Winston trabalha no Ministério da Verdade, o qual, de modo irônico, é o departamento governamental responsável por constantemente editar dados históricos, retroativamente fazendo adaptações históricas de forma que o Partido único - e o Grande Irmão, o onipresente e onisciente líder - sejam sempre mencionados permeados por glórias e como o grande provedor de tudo e todos.

Em toda virada de página, encontramos uma nova tinta para essa realidade distópica. A esmagadora vida a serviço do Partido, as sutilezas da novilíngua, a língua desenvolvida pelo governo de forma a diminuir palavras já existentes, reduzindo seus significados e, lentamente, restringindo a capacidade de pensamento da população. Se não conseguem pensar em algo, é porque este algo não existe. 

Poderíamos agora passar alguns momentos debatendo o arco da personagem de Winston Smith: seus três atos e o caminho que ele percorre na aventura, para utilizarmos um termo para lá de aristotélico. 

Pois bem, a jornada do protagonista reflete exatamente o que nós, alheios à realidade da Oceania, pensaríamos se fôssemos jogados dentro daquele contexto. Ele se vê um peixe fora d’água, exatamente da forma que os leitores se sentem lendo cada vírgula sobre o universo proposto por George Orwell. Sem entrar em detalhes, é um peixe que, observadas todas as circunstâncias ao seu redor, precisa entrar na água - qual seria a alternativa?

1984”, lançado 35 anos antes da data-título da obra, traz em suas páginas uma realidade esmagadora. É praticamente impossível conseguir entender com profundidade o que as circunstâncias nas quais Winston Smith - e todos ao seu redor - significam na nossa realidade. Cada momento dentro das próprias casas sendo monitorado pela “teletela”; cada fato histórico efêmero e incerto, retroativamente escrito diariamente. A capacidade de pensar por si só não existe, e lentamente a capacidade de pensar em si vai sendo reduzida, redefinida e esmagada.

O que era Londres, uma cidade tão viva nas páginas de Sir Arthur Conan Doyle, Virginia Woolf, Charles Dickens e tantos outros autores, se torna um enorme cinza esmagador. A cidade na qual uma caminhada de cinco minutos tem a capacidade de fazer qualquer um se perder nas maravilhas, se torna um cenário desolador, inóspito, amedrontador. É doloroso imaginar um universo nos quais todas as nossas pequenas liberalidades, que fazem de nós quem somos, são suprimidas. O conceito de personalidade some, e apenas existe uma massa amorfa trabalhando em nome do Grande Irmão - este que é constantemente referenciado na cultura popular. Afinal, ele nada mais é do que o Big Brother, que vigia a tudo e a todos, em todos os momentos. Não à toa, é da obra de Orwell que sai a inspiração para o reality show que divide opiniões Brasil e mundo afora

Nas palavras do crítico inglês V.S. Pritchett, “1984” é um romance assustador e deprimente, mas a originalidade, o suspense a indignação fazem da obra de George Orwell uma leitura viciante e que te suga desde os primeiros parágrafos até o desfecho. Depois de terminar o livro, não há nada mais valioso do que olhar ao seu redor e apreciar quem você é, o que te cerca e o que você pode ser. “1984” é brilhante não só nas suas páginas, na construção do seu mundo, mas da forma que faz o leitor pensar tudo aquilo que jamais questionou.

Forte né pessoal?
Esse texto foi produzido por um jornalista exclusivamente para nosso blog, então confesso que ainda não li essa obra, no entanto já tendo lido "A Revolução dos Bicho", do mesmo autor, consigo captar essa essência, pois já tive o prazer de conhecer a escrita ferina do mesmo!

E vocês, já leram?



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

16 comentários:

  1. Oi Andrea, ainda não conheço a escrita do autor, mas achei realmente forte e interessante. A originalidade e criatividade do autor ao criar essa obra na época é surpreendente e não sabia que havia sido dela que surgiu a inspiração para o reality show que parece que nunca vai sair de moda rsr. A obra é um clássico e pelo que li a leitura é diferente e enriquecedora, curti a resenha ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu também já li A Revolução dos Bicho desse autor, e amei o livro. Acho a escrita do autor muito boa! Tenho muita vontade de ler esse livro dele. Esse livro parece ser realmente ótima, e eu sempre vejo bastante gente elogiar o livro. Espero ter oportunidade de ler esse livro logo :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Oi! Ainda não li nada do autor, mas A revolução dos bicho ta na minha listinha de desejados a tempos. Não me interessei muito por 1984, mas a escrita do autor deve ser realmente muito boa. Que bom que a obra é rica em originalidade e suspense. Beijoss

    ResponderExcluir
  4. Andica!
    Tive oportunidade de ler esse livro em 1978 e lembro que fiquei contando os anos até chegar 1984, porque tinha 'medo' que as 'previsões' fwitas por George Orwell iriam se concretizar... Claro que era adolescente e acreditava em tudo que era livro de ficção. Fiquei bem aliviada quando chegou 84 e nada daquilo foi realidade.
    Livro fabuloso!
    “Bendito seja eu por tudo o que não sei, gozo tudo isso como quem sabe que há o sol” (Fernando Pessoa)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Ainda não li esse livro, mas sempre tive curiosidade para ler este e outras obras do autor.
    É sempre tão bem comentada que eu sempre fico curiosa.
    Vou ler em breve
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Forte mesmo hein!? Confesso que não conhecia o autor, nem a obra.
    Mas me bateu uma super curiosidade de conhecer a escrita dele, depois de ler esse texto.
    É bom saber que a originalidade dele vem conquistando leitores pelo mundo afora.
    Vou anotar a dica e quem sabe não possa conferir em breve?
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  7. Ainda não li nada de George Orwell, mas acho muito interessante ler livros clássicos, e depois de ler estes comentários sobre o autor, fiquei muito curiosa para ler algum livro dele.

    ResponderExcluir
  8. Uau Andréa! Que bacana esse texto que o jornalista escreveu para o blog.
    Quero muito ler esse clássico e A Revolução dos Bichos, garanto que serão leituras muito bem aproveitas, com narrativas repletas de reflexões e aprendizados, pois as críticas sociais são bem vivenciadas nos dias de hoje, não é?
    Vai ser uma leitura surpreendente, pois nunca li um clássico distópico. Estou muito curiosa para conhecer a escrita desse autor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Claro que já tinha visto falar de algumas obras deste autor, porém nunca me interessei pela leitura exatamente por retratar algo que ao meu ver e bem complexo, com uma trama que não me cativa a leitura, apesar de achar suas estória muito criativa, ainda sim não me interessei.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, faz tempo que quero ler esse clássico que abriu as portas para o gênero distopia, tão famoso atualmente. Sempre ouvi muitos elogios sobre o autor e agora fiquei ainda mais animado para conhecer sua escrita. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Andrea!
    Ainda não li nenhum desses livros. O que eu mais tenho vontade é ler A Revolução dos Bichos, porque há tempos está na lista pra ler.
    Geral fala bem do George Orwell, então a expectativa aumenta.
    Adoro a distopia e adorei saber a premissa dos acontecimentos em que se passa 1984.
    Não sabia que o livro essa inspiração para BBB '-' Agora fiquei curiosa.
    Obrigada pelas indicações!
    Abc

    ResponderExcluir
  12. Olá! Esse livro será uma das minhas próximas leituras. Aliás, já tô bem atrasada em lê-lo! Todos que conheço que leram dizem a mesma coisa: é um livro triste e bem pessimista. Mas que distopia não é? Acho que o ponto principal é a crítica, não podemos deixar que a nossa realidade se aproxime desses horrores.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Esse livro é muito bom! Eu confesso que só li porque sempre via as pessoas falar desse livro (e até achava que eu não iria gostar), mas ele me surpreendeu bastante, e adorei o livro. Depois eu também li A Revolução dos Bicho, e amei também. Esse autor realmente é muito bom!
    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Ainda não tive o prazer de conhecer a escrita do autor, mas tenho certeza de que irei me surpreender! Tenho esse livro na estante e pretendo ler em breve. Também quero ler A Revolução dos Bichos.
    Ótima indicação.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. OII ! não conheço a escrita do autor, que parece ser beem forte, marcante e interessante, gosto muito de livros nos coloca para pensar, e esse que parece fazer muito bem o seu,eu imagino o mundo de tantas formas no futuro, mas, que nada nos tire o direito de pensar, de questionar, iriamos virar oq? Só de ler a sua resenha ja tenho vontade de agradecer mesmo por hoje todos nós ainda termos mais do que nunca o direito de escolha, de pensamento, eu gosto de livros distopicos apesar de preferir os filmes, mas esse me interessou bastante, quem sabe algum dia eu leia. Nao sei muito sobre a Revolução dos Bichos, mas procurarei saber mais.

    ResponderExcluir
  16. Infelizmente ainda não tive oportunidade de ler nenhuma abra desse autor maravilhoso!! Mas adorei a indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.