✓ Resenha: Tudo e Todas as Coisas - Nicola Yoon

terça-feira, 20 de junho de 2017




Sinopse: Tudo envolve riscos. Não fazer nada também é arriscado. A decisão é sua.
A doença que eu tenho é rara e famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Não saio de casa. Não saí uma vez sequer em 17 anos. As únicas pessoas que eu vejo são minha mãe e minha enfermeira, Carla.
Então, um dia, um caminhão de mudança para na frente da casa ao lado. Eu olho pela janela e o vejo. Ele é alto, magro e está todo de preto: blusa, calça jeans, tênis e um gorro que cobre o cabelo. Ele percebe que eu estou olhando e me encara. Seu nome é Olly.
Talvez não seja possível prever tudo, mas algumas coisas, sim. Por exemplo, vou me apaixonar por Olly. Isso é certo. E é quase certo que isso vai provocar uma catástrofe.

Título: Tudo e Todas as Coisas (Skoob)
Autor: Nicola Yoon
Gênero: Young Adult
Editora: Arqueiro
Páginas: 280
Onde comprar: Amazon / Saraiva
Classificação: 9,5 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora.




Tudo e Todas as Coisas é aquele estilo de livro tão envolvente que você acaba de ler em dois dias, ou até mesmo em um! Tem uma narrativa super gostosa, de fácil leitura e que prende a atenção, pois imediatamente sentimos uma enorme afinidade por Madeline, uma garota de 17 anos que sofre de uma rara doença imunológica combinada grave ou IDCG.

Sua doença faz com que ela possua alergia a praticamente tudo, o menor contato com o mundo exterior pode matá-la, por isso ela nunca saiu de casa em seus dezessete anos.

“A doença que eu tenho é rara e famosa. É uma forma de imunodeficiência combinada grave, mas você deve conhecê-la como “doença do bebê que vive na bolha”.
Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode provocar uma crise. Pode ser um produto químico no desinfetante usado para limpar a mesa que eu acabei de tocar. Pode ser um perfume. Pode ser um tempero exótico na comida que acabei de comer. Pode ser uma dessas coisas, todas elas, nenhuma delas, ou algo completamente diferente.” (p. 11)

Madeline Whitter é um exemplo de vida, pois mesmo que viva, literalmente, dentro de seu quarto todo branco, sem poder sair de casa nunca e só possuindo contato com duas pessoas: sua mãe e a enfermeira Carla, ela encara a vida de um jeito totalmente inspirador. A garota não só aceitou sua condição, como aprendeu a ser feliz com o que tem: o amor de sua mãe e a amizade de Carla, mesmo sabendo que nunca poderá conhecer o mundo.

Ela mora com a mãe em uma casa onde, para entrar, é necessário passar por um processo de descontaminação que dura cerca de uma hora. Madeline vive uma rotina imutável: estuda em casa, lê muitos livros (e ela também faz resenha deles!) e o tempo com a mãe se divide entre assistir a filmes, jogar Imagem & Ação ou brincar de palavras fonéticas. Sua mãe é sua própria médica, mas durante o dia quem cuida dela é Carla.
“[...] Estou sozinha no jardim de inverno e está escurecendo. O sol do fim da tarde entra pela parede de vidro e forma um trapezoide de luz. Ergo os olhos e vejo partículas de pó em suspensão, flutuando, cristalinas e luminosas, no feixe de luz.
Bem debaixo do nosso nariz existem mundos inteiros que mal notamos.” (p. 147)

Entretanto, tudo muda quando uma família se muda para a casa vizinha. É um casal com dois filhos, uma garota e um garoto lindo. Maddy passa a observar seu vizinho pela janela, que por acaso fica de frente à janela do seu quarto, e, após alguns dias, encontram um meio de trocarem o endereço de e-mail. 

Maddy então passa a trocar mensagens frequentemente com Olly, que é um garoto divertido e que gosta de matemática e de praticar parkour. Ele enfrenta, contudo, sérios problemas familiares em casa. 

“[...] Isso também faz parte do nosso ritual de aniversário: ela acende uma única vela no meio do bolo. Fecho os olhos, faço um pedido e assopro.
− O que você pediu? – pergunta ela assim que abro os olhos.
Só existe uma coisa que eu possa desejar: uma cura milagrosa que me permita correr lá fora, livre como um animal selvagem. Mas nunca peço isso porque é impossível. É como pedir que sereias, dragões e unicórnios existam de verdade. Então, peço alguma coisa mais provável do que a cura. Alguma coisa que não nos deixe tristes ao ser dita.
− A paz mundial – respondo.” (p. 18)

A premissa do livro é bem interessante, apesar de já sabermos que trata-se de uma história triste (lembrei de A Culpa é das Estrelas logo de cara rs), traz uma doença diferente, que por sinal eu nunca tinha ouvido falar. Gosto de livros assim porque sempre temos muito o que aprender com os personagens, e com Maddy não é diferente.

Amei a Madeline e torci por ela o livro todo. Ela é muito empática e adorável, a forma como vê o mundo e o amor por livros são apaixonantes. Olly também é um personagem fácil de amar, pois além de lindo e divertido tem um jeito super fofo de tratar Madeline.

“A matemática de Olly diz que é impossível prever o futuro. Acontece que também é impossível prever o passado. O tempo flui nas duas direções – para a frente e para trás -, e o que acontece aqui e agora altera tanto um quanto outro.” (p. 227)

Os cenários mesclam a casa toda lacrada do resto do mundo de Madeline, com a incrível paisagem de Maui no Havaí. A leitura é super dinâmica, pois a cada página nos deparamos com desenhos, páginas do prontuário de Maddy, conversas de e-mail, até mesmo resenhas de livros, poemas e páginas de pesquisa. O livro todo é lindo, nessa edição, além da capa, há também fotos internas do filme. A revisão está impecável e as páginas diferenciadas é o ponto forte.

O livro tem uma história curta, narrando um período de tempo não muito longo na vida de Madeline. Também não há muitas informações sobre seu passado ou detalhes mais profundos sobre a doença. Porém a obra traz uma leitura leve, divertida, extremamente cativante e lotada de lições de vida. E, é claro, um final surpreendente!

Agora é só assistir o filme e voltar contar para vocês sobre a adaptação!

“Talvez exista uma versão da sua vida para as escolhas que você faz e para todas as que não faz.” (p. 267)







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 comentários:

  1. Oi Amanda, ainda não li esse livro mas espero fazê-lo antes de ver o filme e gostei de saber que ele é envolvente e possui personagens cativantes. Inicialmente achei que a história iria focar em Maddy e sua doença, mas lendo a resenha vi que Olly também tem uma carga de drama que deve deixar a história ainda mais interessante. A capa do livro, com pôster do filme, é bonita, mas prefiro a anterior rs ;)

    ResponderExcluir
  2. Eu estou encantada por essa história desde que assisti ao trailer do filme e vi alguns resenhistas indicando ele caso você tivesse gostado de "Extraordinário" (meu favorito cof cof kkkk) O livro parece ser cativante, possui imagens, e a história que ele aborda parece ser tocante e nos propõe uma nova visão de mundo, com empatia e leveza. Adorei sua resenha Amanda, estou louca por essa leitura!

    ResponderExcluir
  3. Por tudo que ando conferindo, me parece ser uma obra recheada com lições mesmo.
    Além de ser uma leitura pra lá de envolvente e apaixonante!
    Estou bastante curiosa em relação a história e sobre o desfecho de tudo que envolve os personagens.
    Quero muito ler antes de assistir a adaptação. Sinto que vou gostar bastante das obras!
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Estou louca para conhecer esse livro, ver o filme. Já li tantas resenhas e cada uma mais linda que a outra, agora não sabia que a personagens erá como vocês que faz resenhas dos livros que ler, e tão bom ver uma personagem sendo como nós, isso éincrivel. Realmente faz lembra logo de A culpa e das estrelas mas espero que não seja tão triste o final né porque se não irei me acabar em pedacinhos. Procurarei ler antes de assistir!

    ResponderExcluir
  5. Oi Amanda,
    Nicola Yoon sabe criar uma história que chama atenção e Tudo e todas as coisas já está na minha lista de desejados. Madeline poderia ser uma adolescente chata e triste com sua condição, mas sua forma de encarar sua situação é tão diferente do esperado. Ela é feliz com a forma que vive, mas não sabe que anseia por mais até conhecer Olly. Ele fará com que a protagonista queira vivenciar novas experiências, conhecer outras coisas e viver um amor. Sei que o livro tem seu momentos tristes e de realidade, afinal de contas Madyy está doente e não é nada simples. É o tipo de história que gosto de ler e estou ansiosa por isso. Quero assistir ao filme também, que está com um trailer lindo!!

    ResponderExcluir
  6. oiii
    nossa quando vi esse livro ja me chamou a atenção esse livro eu ja adicionei na minha lista quando li a resenha me chamou mais atenção ainda
    Ja tem bastante resenhas e comentarios elogiando esse livro achei d+ so pela sinopse e me motivou mais ainda ler sua resenha apartir das frases marcantes que ovce coloca
    amei a resenha
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda,
    Quero muito ler esse livro e conhecer a história da Maddy e sua doença tão intrigante (também nunca tive ouvido falar dessa doença).
    Os comentários elogiando essa história envolvente e reflexiva me deixam bem animada em ler o livro. Gosto de histórias onde aprendemos com o amadurecimento dos personagens, a acompanhar a amizade e romance fofo da Maddy e Olly vai ser bem cativante.
    Ainda não assisti o filme, quero ler o livro antes.
    Beijos

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.