✓ Resenha: O Casal Que Mora ao Lado - Shari Lapena

segunda-feira, 5 de junho de 2017





Sinopse: É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa; afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando. Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta; Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.


Título: O Casal Que Mora ao Lado (Skoob)
Autor: Shari Lapena
Gênero: Triller Suspense
Editora: Record
Páginas: 294
Onde comprar: Amazon / Saraiva
Classificação: 9,6 (Ótimo)
Livro cedido em parceria com a editora. 




Anne e Marco moram em casas germinadas com os vizinhos Cynthia e Graham. Certa noite, são convidados para uma reunião na casa dos vizinhos, porém, como Cynthia não gosta de crianças, pede para que eles não levem a sua filha Cora, de seis meses. A princípio, uma babá conhecida iria ficar com a menina, porém, um imprevisto a faz desmarcar em cima da hora e, para não estragar a noite, eles resolvem deixar a bebê em casa, vigiando-a através da babá eletrônica e fazendo visitas à casa a cada meia hora.

Ao longo da noite, Anne se sente incomodada, Cynthia parece flertar com seu marido e, após tomar taças de vinho em excesso, sente-se extremamente desconfortável. Marco, por sua vez, não parece querer ir embora. Para piorar, quando retornam de madrugada para casa, o inesperado ocorre: Cora havia sumido do berço e a porta da frente da casa estava entreaberta.

Imediatamente o casal chama a polícia e, em pouco tempo, o detetive Rasbach começa a investigar o rapto. Entretanto, nenhum dos pais possuem lembranças muito nítidas da noite, pois ambos beberam muito vinho.

“Que tipo de pessoa diz que um bebê não é bem-vindo a um jantar? [...] Era uma irresponsabilidade. Ela se pergunta o que as outras mães do grupo pensariam se contasse a elas. Nós deixamos nossa filha de seis meses sozinha em casa e fomos a um jantar na casa dos vizinhos.” (p. 10)

O casal que mora ao lado é uma leitura eletrizante. A narrativa é totalmente envolvente, que flui de forma rápida e repleta de suspense, deixando o leitor o tempo todo apreensivo, desesperado para descobrir o que está acontecendo.

O livro todo tem esse clima agitado, tenso, deixa um nervosismo no ar, uma necessidade de querer investigar também, saber quem está mentindo e quem está falando a verdade. Temos personagens com personalidades diferentes e cada um reage ao ocorrido da sua maneira.

Anne parece o tempo todo descontrolada, o sentimento de culpa é enorme: ter deixado a filha sozinha em casa foi um erro. Além disso, o abuso no consumo de vinho a faz se perguntar se pode ter feito algo do qual não se lembra.

Marco também está apavorado, nervoso, a situação toda lhe parece absurda. Culpamos todos os personagens pela tragédia: Anne e Marco por terem deixado a filha sozinha, Cynthia e Graham por não terem permitido que a bebê participasse do jantar. Há várias atitudes negligentes ao longo da noite que culminam no ocorrido.

Começa a investigação com o detetive Rasbach e, a princípio, não há evidências de que alguém tenha invadido a casa. Há também o estranho casal vizinho, Cynthia deu em cima de Marco a noite toda e vetou a bebê em seu jantar, já Graham aparentou estar apático durante todo o jantar.

Logo os pais de Anne, Alice e Richard, se juntam ao casal para apoiá-los e ajudar no caso. Mas a investigação começa a tomar um rumo inesperado e totalmente sem volta, que poderá destruir ainda mais a família.

Trama muito bem elaborada e um ritmo frenético, que não se perde em nenhum momento do livro, não deixa nada a desejar no quesito suspense. Foge do previsível e transporta totalmente o leitor para dentro da narrativa, fazendo-o elaborar suas próprias teorias.

A capa e a revisão estão muito bem feitas, as letras são grandes e ajudam na leitura, a capa é simples mas eficiente. A revisão também está impecável.

“Tem muita prática em sentir raiva sem demonstrá-la. Anne disfarça. Não é o que todos fazem? Todos não fingem ser algo que não são? O mundo inteiro se baseia em mentiras e trapaças.” (p. 236)







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 comentários:

  1. Eu tenho estado bem curiosa sobre esse livro, vi muitos comentários positivos e ele poderia ser um escolhid meu para leitura para me aventurar em suspenses. Adorei suas colocações sobre a história, realmente me deixou curiosa

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Estou louco para ler esse livro. A trama me contagiou bastante, principalmente por amar histórias de rapto de crianças, principalmente as com muita adrenalina. Fiquei ainda mais curioso com o mesmo depois desta resenha.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda, A história parece ser muito boa e ritmo frenético é um ponto positivo, pois deve fazer o leitor não querer largar o livro e só lendo a resenha eu também já quero dar uma detetive pra achar a bebê e espero que ela esteja bem rsr. Confesso que quando tiver a oportunidade de ler esse livro vou achar difícil criar empatia pelos pais da bebê, como assim vão jantar e a deixam sozinha?!, mas se não fosse assim não haveria história e anotei a dica pra leitura futura ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi Amanda,
    Adoro thrillers e suspenses e O Casal que mora ao lado tem uma das premissa que mais me chamou atenção nos últimos meses. A história aborta muitos temas que vão além do mistério, pois temos os pais que podem ser visto como negligentes ao deixar a bebê sozinha e casal de vizinhos que impedem que a pequena Cora participe do jantar. Tentei me colocar no lugar do todos eles mas fica díficil me imaginar fazendo as escolhas que eles fizeram na trama, primeiro porque eu não iria deixar minha filha sozinha (mesmo que fosse estar bem perto) e, segundo, jamais impediria meus amigos de levarem seus filhos a alguma festa que eu fosse organizar. Mas como este tipo de trama sempre nos reserva surpresas sinto que nem tudo é o que parece e só lendo o livro é que saberei o que, realmente, aconteceu.

    ResponderExcluir
  5. Não gosto muito da capa,mas acho que ela tem tudo a ver com a trama.
    O que mais gostei de saber é que o ritmo é frenetico e não parado e que foi bem elaborado. No começo quando vi as primeira vezes sobre ele não me interessei masa cada resenha que ando leio minha vontade de querer ler aumenta e vejo varias resenhas positivas. Fico feliz que tenha gostado e obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Estou com vontade de ler esse livro desde que ele foi lançado e sua resenha me deixou com mais vontade de ler ainda! Adoro esses livros que nos fazem ler cada vez mais e mais e que tem um ritimo mais acelerado, porque infelizmente tenho escolhido livros lentos pra ler e não estou gostando muito. Espero ter a oportunidade de ler esse livro em breve <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Eu estou muito curiosa para ler esse livro, eu adorei essa premissa o fato de que a negligência por parte dos pais me deixa um pouco triste, mas ainda assim estou muito intrigada para ler e descobrir o que realmente aconteceu.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Confesso que não faz muito meu tipo de leitura.
    Mas fiquei curiosa para conhecer um pouco mais da relação do casal principal e o desfecho com a filhinha, família, sobre os vizinhos e tal!
    Parece ser uma leitura envolvente.
    Quem sabe eu me arrisque nessa aventura, nesse thriller policial, em breve!
    Gostei bastante da capa!
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda,
    Adoro livros desse gênero, amo um bom suspense psicológico com uma história envolvente e viciante que prende o leitor do inicio ao fim, e pelo jeito esse livro tem potencial.
    O que mais gosto em livros desse gênero é a parte investigativa, adoro acompanhar a parte policial, e essa trama bem elaborada e cheia de reviravoltas instiga o leitor a tentar desvendar junto esse suspense. Estou bem curiosa para acompanhar o rumo da investigação e saber o desfecho dessa história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Amanda!
    Pude participar do Mochilão da Record que teve aqui na minha cidade e desde que vi a explanação e do que se tratava o livro, fiquei bem curiosa para descobrir se o bebê foi realmente sequestrado e em que circunstâncias tudo aconteceu, e claro, descobrir que cometeu tal ato.
    Desejo uma ótima semana!
    “Onde há estudo - há sabedoria.” (Textos Judaicos)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Quando li uma resenha sobre esse livro fiquei pensando em como os pais tem coragem de deixa uma bebê sozinha em casa, isso não se pode fazer mas agora tem aquele misterio do que realmente aconteceu naquela noite. São misterios que me agradam e envolvente, a trama parece haver drama, misterio e muito suspense nesse caso. Acho que vale a pensa ler ele.

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.