✓ Resenha: Confissões - Kanae Minato

terça-feira, 13 de junho de 2017

Sinopse: Seus alunos mataram sua filha. Agora ela quer se vingar.

O mundo da professora Yuko Moriguchi girava em torno da pequena Manami, uma garotinha de 4 anos apaixonada por coelhinhos. Agora, após um terrível acontecimento que tirou a vida de sua filha, Moriguchi decide pedir demissão.

Antes, porém, ela tem uma última lição para seus pupilos. A professora revela que sua filha não foi vítima de um acidente, como se pensava: dois alunos são os culpados. Sua aula derradeira irá desencadear uma trama diabólica de vingança. Narrado em vozes alternadas e com reviravoltas inesperadas, Confissões explora os limites da punição, misturando suspense, drama, desespero e violência de forma honesta e brutal, culminando num confronto angustiante entre professora e aluno que irá colocar os ocupantes de uma escola inteira em perigo.

Com uma escrita direta, elegante e assustadora, Kanae Minato mostra por que é considerada a rainha dos thrillers no Japão.
Você nunca mais vai olhar para uma sala de aula da mesma maneira.

Título: Confissões (Skoob)
Autor: Kanae Minato
Gênero: Thriller Psicológico / Suspense
Editora: Vestígio
Páginas: 176
Onde comprar: Amazon / Saraiva
Classificação: 9,7 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora. 




Alucinante e pesado, sombrio, e realmente assustador!

Confissões trás a história de Yuko Moriguchi, professora que leciona para alunos de treze anos. Eu não sei dizer se é ensino médio pois a trama se passa no Japão, e o ensino é um pouco diferente do nosso.

Yuko é mãe solteira por opção, sua filha Manami tem apenas quatro anos. Quando sai para trabalhar, Moriguchi deixa seu filha com uma cuidadora, mas na fatídica semana, estando a cuidadora doente, a mãe resolve levar a filha para o colégio e então, no final do dia encontra a garotinha morta na piscina. 
Tudo levava a crer que o afogamento fora uma fatalidade, mas com uma breve investigação por conta própria, Moriguchi descobre que foram dois de seus alunos quem mataram sua amada filha. E então a narrativa irá desenvolve-se até o leitor juntas os pontos e descobrir quem foi e quais os motivos que levaram dois adolescentes (quase crianças) a assassinarem outra.

"Mas o verdadeiro pesadelo ainda não tinha acontecido. A temporada de caça as bruxas estava prestes a começar"

Esse livro é forte em muitos aspectos, vou tentar citar alguns sem entregar os segredos da trama já que capítulo após capítulo há uma nova descoberta importante.

Primeiramente o livro aborda vários problemas sociais forte no Japão. Um deles o fator mãe solteira, lá sofre-se ainda mais preconceito e descriminação que no Brasil (um nível baixíssimo de tolerância). Eu morei no Japão e vi com meus olhos a diferença cultural, e o país, por mais desenvolvido que seja, peca muito mais que o nosso em alguns quesitos. Outra questão é a criação voltada quase que exclusivamente para o sucesso profissional que deixa falhas na construção da parte emocional das crianças, é falado um pouco também sobre suicídio, já que o pais é um dos recordistas nesse assunto, assim como homicídios que são raríssimos se comparados ao nosso país.

Passando por esses problemas que a autora, que é japonesa, aborda, entramos no debate: até onde pode chegar a justiça feita com as próprias mãos?
Se eu fosse resumir o livro todo a uma palavra, ela seria vingança. Temos uma teia, onde quanto mais se meche, mas "a mosca" fica presa, e ao longo da leitura não sabemos mais por quem sentir empatia e a quem odiar. É como se a morte da menina fosse o menor dos problemas diante todas as descobertas que rodeiam dois adolescentes de treze anos, com mentes terrivelmente perturbadas.

"Não estou sendo nobre ao manter a identidade de A e B em segredo. Não contei para a policia porque não acredito que a lei os possa punir. A queria matar Manami, mas no fim não provocou a morte dela; B não tinha desejo nenhum de matar, mas à levou a morte."

A narrativa da obra é extremamente ágil, os capítulos são montados como "confissões", que se revelam a cada novo personagem que entra na trama. Um livro teoricamente curto com uma profundidade na criação dos personagens feito com maestria. Como um "efeito borboleta" vamos vendo pequenos gestos resultarem em tempestades, detalhes que poderiam ter salvo vidas, mas quem poderia adivinhar? 

Mais uma vez temos um livro que nos lembra a importância do afeto e do cuidado na infância para o desenvolvimento da personalidade. E que ainda que seu passado reja muitos de seus atos, é seu caráter que diz quem você realmente é.

Eu te desafio, leitor, a ler o primeiro capítulo e não devorar o restante em horas!


O Filme
Título original: Kokuhaku
Adicione o filme ao seu Filmow

Após concluir a leitura e ficar muito presa a ela, descobri que já foi gravado um filme com base na obra em 2010 (mesma data da publicação do livro no Japão) O filme é japonês, então tem uma atmosfera diferente dos filmes que estamos acostumados a assistir, quem já conhece o cinema japonês sabe do que estou falando.

O filme segue muito bem a trama, tem a mesma atmosfera perturbadora e fria, no entanto lhe foge alguns detalhes cruciais, por isso recomendo que leia o livro primeiro.

"Era tudo que eu queria", disse ele. "Alguém que me notasse."
Entendi que ele estava falando sobre o que aconteceu com Manami." 







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

13 comentários:

  1. OI Andréa.
    Eu estou toda arrepiada, que premissa mais intrigante e que história triste né.
    Estou curiosa para saber o real motivo que levou duas crianças a assassinar a menininha e que coisa absurda uma mãe sofrer apenas por ter um filho e ser solteira, enfim estou curiosa demais para ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Ao ler a sinopse já fiquei tensa! Parece ser uma história bem forte mesmo.
    Daquelas que fazem nosso coração se despedaçar. Uma tristeza né!?
    Confesso que esse gênero não faz muito o meu estilo, até porque meu coração é frágil rs.
    Mas a obra tem a sua importância e fiquei curiosa pra conhecer o desfecho disso tudo.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oieee! Eu também falei sobre esse livro na minha página, mas de uma forma bem resumida sem muito detalhes, e agora, lendo a resenha, percebi que deixei de fora várias coisas haha, não dá pra falar tudo o que esse livro passa, é muita coisa, muitas críticas envolvidas, que só lendo entenderemos. Ele é bem impactante mesmo, e quandos e trata de crianças, pois acredito que essa é a fase que estão saindo da infância, é um assunto delicado, e como vc falou, é de suma importância o cuidado e a criação para a formação da personalidade, e consequentemente o caráter.
    SPOILER PRA QUEM LER O COMENTÁRIO RS.... Não sei se a professora seria capaz de se sentir vingada depois do que a sua escolha de vingaça causou. Ela não pareceu em nenhum momento arrependida, e isso, me assustou mais ainda do que as coisas que os meninos fizeram. Não estou defendendo o que eles fizeram, mas é como vc falou sobre fazer a justiça com as própias mãos, vale a pena? A gente não acaba se tornando igual ou pior do que quem nos feriu? Eu tbm odiei os meninos, e acho que nada justifica o que eles fizeram, pois inumeras crianças sofrem traumas e não se tornam ruins ou assassinos, mas, vale a pena arruinar essas vidas ao invés de dar uma chance para reabilitá-las? É essa sensação que eu tive, de que fiquei em cima do muro, entendi os dois lados, e ao mesmo tempo não kkkk. Sabemos que eles cometeram um erro terrível, mas sabemos tbm que tomar a atitude que a professora teve, também é cruel, enfim, é um livro e tanto e que recomendo muito.

    ResponderExcluir
  4. Andréa!
    Imagino que seja um livro triste, pois aborda uma realidade diferente da nossa, onde as mulheres/mães solteiras são bem desvalorizadas.
    O que me deixa um pouco acabrunhada para fazer a leitura é que não gosto muito do tema vingança, acho deprimente e mesmo sabendo que a protagonista deva ter sofrido muito, não acredito que seja motivo para tentar se vingar de quem matou sua filhinha.
    Desejo uma ótima semana!
    “Onde há estudo - há sabedoria.” (Textos Judaicos)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Andréa, até já tinha visto a capa desse livro, mas ainda não tinha parado pra ler nada a respeito dele e fiquei bem surpresa ao ver que morte de uma garotinha, 4 anos só :(, é o ponto de partida do livro que trata de muitos assuntos pelo que vi e com suspeitos tão novos e um país com uma cultura bem diferente da nossa fiquei bem curiosa pra ver o desenvolvimento dessa trama, assim como fiquei curiosa pra ver o filme também. Curti a resenha ;)

    ResponderExcluir
  6. Que livro interessante!
    Nunca ouvi falar nada sobre ele, e nem sobre a autora.
    Essa trama é bem diferente e gostei muito. Estou começando a ler mais esse gênero de mistérios, vingança e coisas desse tipo.
    Achei bem forte mesmo, mesmo sem ter lido ele ainda, dá para perceber que a história e pesada, sobre a mãe querer vingança!
    Bem legal. A capa não é muito bonita, porém não incomodas se a história for boa!

    ResponderExcluir
  7. Vi muitos pontos que me deixaram curiosa sobre esse livro na sua resenha: primeiro, o fato de abordar uma cultura diferente, com valores bem diferentes dos que conhecemos, o teor psicológico e as críticas sociais e temas pesados abordados. Com certeza vai para a wishlist!

    ResponderExcluir
  8. Olá Andrea!
    Não me admira muito você ler esses tipos de livros, já que você e bem fã de escritores asiaticos. A premissa do livro e incrivel, super boa. Gostei bastante da trama, dos misterios e também da personagem querer fazer justiça com as propias mãos já que em muitos pais adolescente não poder ir presos, até que entendo o sentimento dessa mãe.

    ResponderExcluir
  9. Uau! Que livro heinm... Obrigada pela indicação Andréa, pois não conhecia esse livro mas já fiquei vidrada nessa história tão intensa. Apesar da trama ser pesada não há como não ficar interessada em ler esse livro, quero saber o que levou os dois adolescentes a cometerem esse crime tão cruel. Também estou intrigada em saber até onde a sede de vingança e justiça da mãe foi.
    Como sou leiga sobre a cultura do Japão essa é uma ótima oportunidade de leitura para conhecer melhor os problemas sociais do país.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi Andréa,
    Confissões poderia ser apenas um drama de uma mãe sofrendo com a perca da única filha, mas a autora trouxe muito mais para esta história e um grande mistério precisa ser desvendado. Só de imaginar duas crianças cometendo um crime como este, muitas questões ficam no ar, do porque ou como dois jovens foram capazes de cometer tal ato. Até que ponto o que aconteceu pode ser consequência da criação pouco afetiva e rigorosa presente na cultura do país ou se isto já fazia parte de suas personalidades. Achei a premissa deste livro bem interessante, fiquei curiosa com a cultura e com o desfecho da trama.

    ResponderExcluir
  11. Oi Andrea tudo bem?
    Acho que vou a falência em breve, cada vez que leio uma resenha aqui adiciono um livro na lista de desejados, na verdade esse livro já está na lista algum tempo mas sua resenha aumentou ainda mais minha vontade de lê-lo. Eu fiquei imaginando o que poderia passar na cabeça desses adolescentes pra fazer isso. E acredito que o Japão omite tanto por ser um país de primeiro mundo que o que realmente acontece a gente nem chega a imaginar, adorei a premissa do livro acredito que é um livro que me fará passar a noite em claro sem arrependimentos.
    Adorei a resenha.
    Bjokas

    ResponderExcluir
  12. Oi, Andréa!!
    Gostei bastante da resenha que me conquistou completamente!! Não conhecia esse livro mas achei a história fantástica é também por que podemos conhecer um pouco da cultura japonesa. Fiquei muito interessada para ler essa história!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  13. Nunca li um livro que tivesse como cenário o Japão, isso por si só já é bem interessante e diferente. Eu não sabia que o livro é tão fininho. Provavelmente vou ler em um dia. Sim, vou ler. Estou curiosa pra saber mais sobre o que os dois alunos que fizeram essa crueldade e como vai ser essa "vingança" da mãe e todas as consequências disso. Não sabia que tinha filme. Vou tentar assistir depois de ler, pra ser sincera nunca vi nenhum filme japonês (se eu vi eu não lembro muito bem), então não sei como é a diferença dele.

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.