✓ Resenha: Codinome Lady V - Lorraine Heath

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Sinopse: Cansada de rejeitar pretendentes interessados apenas em seu dote escandalosamente vultoso, Minerva Dodger decide que é melhor ser uma solteirona do que se tornar a esposa de alguém que só quer seu dinheiro. No entanto, ela não está disposta a morrer sem conhecer os prazeres de uma noite de núpcias e, assim, decide ir ao Clube Nightingale, um misterioso lugar que permite que as mulheres tenham um amante sem manchar sua reputação.
Protegida por uma máscara e pelo codinome Lady V, Minerva mal consegue acreditar que despertou o desejo de um dos mais cobiçados cavalheiros da sociedade londrina, o Duque de Ashebury. E acredita menos ainda quando ele começa a cortejá-la fora do clube. Por mais que ele seja tudo o que ela sempre sonhou, Minerva não pode correr o risco de ele descobrir sua identidade, e não vai tolerar outro caçador de fortunas.
Depois de uma noite de amor com Lady V, Ashe não consegue tirar da cabeça aquela mulher de máscara branca, belas pernas e língua afiada. Mesmo sem saber quem ela é, o duque nunca tinha ficado tão fascinado por nenhuma outra mulher antes.
Mas agora, à beira da falência, ele precisa arranjar muito dinheiro, e rápido. Sua única saída é se casar com alguma jovem que tenha um belo dote, e sua aposta mais certeira é a Srta. Dodger, a megera solteirona que tem fama de espantar todos os seus pretendentes.

Título: Codinome Lady V
Autor: Lorraine Heath
Série: Os Sedutores de Havisham #1
Gênero: Romance de Época
Editora: Gutenberg
Páginas: 256
Onde comprar: Amazon
Classificação:
Livro cedido em parceria com a editora. 




"- Eu não acho que exista um homem capaz de me aceitar como eu sou. Pelo menos não na aristocracia. Não onde o comportamento apropriado é tão importante e é esperado que as mulheres se submetam ao marido em todas as questões. Não tenho talento para me submeter."

Minerva é mais uma solteirona britânica em meados de 1880. Considerada feia, ou pelo menos sem nenhum atrativo, não conseguiu conquistar nenhum homem, a não ser aqueles que estavam atrás de seu dote generoso. Filha de um homem que cresceu na vida por esforço próprio, sem nenhum titulo ou herança de familia, um homem muito esclarecido pelas dificuldades que a vida lhe impôs, incentivando sempre sua filha a agir com o coração, sem medo de ficar solteira, seguindo sempre suas convicções. Um homem admirável como poucos que vemos nos livros de época.

Minerva descrente de seu futuro, resolve que ao menos gostaria de saber como é ser tocada por um homem, e assim ela descobre com a ajuda da cunhada, o endereço de um clube noturno vip, onde as mulheres mascaradas podem manter encontros carnais com direito a tudo, sem expor suas identidades.

"Seu espirito competitivo, que mais de um cavalheiro tinha considerado nada atraente, estava chegando ao nível máximo Não era o desejo de toda mulher ser inesquecível?"

"Não era algo completo ou perfeito, profundo ou duradouro. Mas era calor e fogo, urgência e necessidade. Ela aceitava."

Ousada não é mesmo? O tipo de mocinha que eu torço para ter existido na vida real! Para complementar a atmosfera de "coisa proibida" até em seus momentos sociais ela geralmente está dentro do cassino de seu pai, jogando (e roubando) nas cartas.

No inicio da livro temos uma nota noticiada no Times em 1858, que relata uma terrível colisão entre trens, mas não consegui encontrar dados para levantar a veracidade da notícia e assim engajar essa história em um fato histórico, o que seria maravilhoso!

O acidente relata a morte dos pais de Ashe, que tornou-se conde de Ashebury sob a tutela do marquês de Marsden.

Ashebury cresceu assombrado por lembranças do passado, criadas pela imaginação de uma criança de oito anos frente a morte terrivelmente trágica dos únicos parentes que tinha. Se não fosse a companhia dos filhos do marquês, teria sido engolido pela solidão.

O marquês negligenciou completamente o crescimento dos livros e de seu afilhado, e a principio acumulamos implicância com o mesmo, mas no desenrolar da história notamos que a solidão que ele carrega pela perda da esposa, iria contribuir para o crescimento de nosso conde.

Então temos de um lado uma atmosfera libertina, sensual, onde sentimos aquele ambiente de "bordel" e do outro um sentimento carregado, assombroso e solitário. Esse encontro faz do livro algo totalmente viciante! Com pontos a favor para a fotografia da época voltada para a arte, o tabu da virgindade e sem esquecer da condição financeira, algo muito importante na época (e sempre né rs). Ashe está falido, apaixonado pela desconhecida do Clube Nightingale, e suspeitando que a solteirona que precisa agarrar o dote para sair do buraco, seja a mesma pessoa!
Ainda tem um sub tema, Ashe tem discalculia, que é algo parecido com dislexia, só que envolve conceitos numéricos. O que na época, ainda não era conhecido.

"- Eu não seria tão grosseira a ponto de suar. Eu poderia estar levemente coberta de orvalho."

A escrita da autora é extremamente divertida, os diálogos são inteligentes e ácidos. Apesar de alguns "enroscos" na tradução, fica evidente a sagacidade da autora. Puxando aqui e ali o machismo da época em cenas onde o prazer deveria ser mútuo.

"Os homens estavam estavam completamente vestidos, com calças paletós, coletes, camisas e gravatas com nós muito bem dados. Por que eles não eram obrigados a vestir trajes com os quais se sentiriam quase nus? Talvez porque a roupa de um cavalheiro não apelasse tanto à imaginação como a de uma mulher. Ainda assim, aquilo parecia muito injusto. Era certo que, se tivessem a opção, as mulheres gostariam de admirar braços musculosos e peitos nus."

Pesquisando brevemente, descobri que esse livro pertence a uma segunda série, onde a primeira conta a história de personagens que aparecem nesse, entre eles o pai de Minerva. Essa série tem o nome original de Diabos de Havisham, e acredito que a editora mudou para não ficar tão impactante (mas eu seria atraída muito mais fácil pelo titulo original!) assim como o nome desse livro que na verdade seria Caindo Na Cama com o Duque! Ual!

Curiosidade: o Clube libertino Nightingale foi baseado em um real chamado Parrot Club de 1850.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

16 comentários:

  1. Oi Andréa, tudo bem?

    Eu amo romances de época e estou doida pra ler esse! Não sabia que era o segundo de uma série, tomara que a editora lance os outros tb! E linda a sua foto, amei!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada da autora e com certeza não foi por falta de indicações e elogios. Apesar de adorar romances, li pouquíssimos históricos e acho que quero entrar de cabeça neste gênero por esta serie. Acho que vou adorar, do primeiro volume ao ultimo!!! Espero poder fazer isso em breve.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu já vi esse livro em ebook,mas nunca havia chamado minha atenção, mas lendo a sinopse da sua resenha fiquei mais interessada, me pareceu ser um tanto divertido o enredo e com alguns desencontros

    ResponderExcluir
  4. Oie! Tudo bem?

    Caramba guria! Amei a proposta desse livro! Sério! É a primeira vez que encontro algo do gênero em livros, principalmente de época, e com certeza irei atrás para realizar a leitura! Amei demais a indicação!

    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Não costumo ler romances de épocas, apesar de que sua resenha ter chamado atenção para obra. Que ótimo que a escrita da autora é divertida e adoro diálogos inteligentes. Adorei a resenha, tenho certeza que é um bom livro para quem gosta do gênero!

    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  6. Oiiii,

    Já super anotei a dica aqui, amooo romances de época, principalmente quando eles são fora dos padrões da época, deixa sempre aquela pergunta de se realmente existiu alguém assim rs. Já anotei a dica porque este parece ser diferente de todos os romances que já li e gostei muito desta ideia rs.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Apesar de não ter o hábito de ler romances de época, a cada resenha que vejo estou ficando mais curiosa para ler esse livro.
    Achei a premissa bem divertida e adorei a personalidade da protagonista, que não segue os padrões da época e que segue as suas convicções. Além disso, pelo que você falou, parece ser mesmo uma leitura bem leve e divertida.
    Adorei sua resenha e pretendo ler esse livro em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Eu juro que estou até envergonhada, pois não dei nada pra esse livro quando o vi, nem se quer tinha lido a sinopse para saber da proposta. Como puder duvidar de algum lançamento da Gutenberg no gênero? Sua resenha me deixou empolgada ao extremo, gosto muitos dos livros lançados pela editora pois sempre trazem uma proposta diferente nas histórias, com mocinhas bem fora dos padrões e ambientes bem mais peculiares. Ótima dica, beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Amei a capa! A sinopse também está bem interessante. Bom saber que a escrita é extremamente divertida e os diálogos são inteligentes. Uau! Se fosse traduzir ao pé da letra os nomes do livro realmente séria bem mais impactante, isso poderia atrair mais fácil algumas pessoas - como você haha'- outra não. Sua resenha além de me apresentar a obra me deixou interessada em ler também. Beijos'

    ResponderExcluir
  10. Oi Andréa!
    Pelo visto muitas pessoas estão extremamente apaixonadas por esse livro e acho que o mesmo vai acontecer comigo. Achei legal o livro ter uma atmosfera libertina e sensual. É bem interessante essa questão de o ar ser de "bordel".
    É uma pena, entretanto, que a revisão não seja nota máxima.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oiee Andréa! Resenha linda como sempre! Adorei saber tua opinião sobre esse livro, pois como boa fã do gênero estou maluca para conferir, ainda mais depois dessa nota alta que você deu. Parece ser bem divertido mesmo. Que pena que a revisão não acompanha a qualidade da história. Espero ter a oportunidade de ler muito em breve :D
    Beijoos

    ResponderExcluir
  12. Oiee Andrea ^^
    Eu já tinha visto esse livro antes, mas só a capa e sinopse. Fico feliz em saber que você gostou, mas eu não senti taanta curiosidade de ler, por mais que adore romances de época. Mas eu também torço para que mulheres como a Minerva tenham existido, seria muito deprimente se fossem todas submissas como as personagens secundárias dos RE...hehe'
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia a autora e não lembro de ter lido alguma outra resenha sobre este livro. Gostei muito do enredo, achei original e muito promissor. O fato dela querer sentir os prazeres da vida, mesmo que para isso tivesse que se disfarçar é muito legal, deve render bons momentos. Vou adicionar no Skoob para não esquecer dele.

    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Olá! Confesso que eu não sou muito fã de romances de época, até o momento não encontrei nenhum que desperte um grande interesse em mim. Porém, a sua resenha me deixou bastante instigada a ler este livro, rs. Enfim, adorei ler suas impressões a respeito dessa leitura.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Bom dia!
    Parece ser um ótimo livro. Essa escritora aindaa não conheço, mas vou adicionar esse livro na minha meta de leitura. E espero que seja tão bom quanto aparenta. ♡

    ResponderExcluir
  16. Não sei muito o que dizer sobre a sinopse desse livro! Ao mesmo tempo que me encantou, me deixou com um pé para trás, haha! A premissa parece ser muito boa. A capa é muito bonita, também.

    Pelo que você descreveu do livro, eu me interessei até... Mas não sei se o romance do marques com a moça decidida a ser solteira e feliz me conquistaria... Acredito que teria que ler mesmo!

    Boa indicação!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.