✓ Resenha: Depois Daquela Montanha - Charles Martin

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo.
Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida.
Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada.
Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.
Publicado em mais de dez países, Depois Daquela Montanha chegará às telas de cinema em 2017, com Kate Winslet (de Titanic) e Idris Elba (de Mandela) escalados para os papéis principais de uma história que vai reafirmar sua crença na vida e no poder do amor.

Título: Depois Daquela Montanha
Autor: Charles Martin
Gênero: Drama/Romance
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Onde comprar: Amazon
Classificação: 
Livro cedido em parceria com a editora. 



Depois Daquela Montanha nos conta a história de Ben Payne. Um cirurgião que estava regressando para casa, mas teve seu voo cancelado devido ao mal tempo. Enquanto decide o que fazer, conhece no aeroporto a jornalista Ashley, em uma rápida conversa amigável. 

Decidido a voltar para sua cidade o quanto antes, logo que há cirurgia marcada para o dia seguinte, contrata um avião de pequeno porte e convida a jornalista para racharem os custos da viagem, chegando assim, o quanto antes ao seus devidos destinos. Ashley se interessa, já que está noiva e de casamento marcado para o final de semana.

O piloto, experiente, garante que pode fazer o voo sem maiores problemas, junto ao seu cãozinho, companheiro fiel de viagens!

Mas o inesperado acontece, Groover, o piloto, sofre um ataque cardíaco e num piscar de olhos o avião cai em meio a uma montanha, uma reserva florestal, em meio a nevasca. A civilização mais próxima, calcula-se estar a uns 200km. Serem resgatados não é uma opção, já que ninguém sabe que eles tomaram aquele pequeno fretado.

Ben sente a dor aguda nas costelas, com certeza quebrou algumas na queda, e encontra Ashley, com o fêmur fraturado. Dai em diante começa a luta pela sobrevivência, já que eles não possuem comida e o frio está a baixo de zero graus. 

Bom, eu levei mais de dois mês para trazer essa resenha a vocês, devido a triste coincidência da minha leitura ter ocorrido dias antes da tragedia com o voo da Chapecoense. Tragedia essa que me abalou demais, já que meu esposo conheceria algumas das vítimas, já haviam trabalho juntos. Ficamos arrasados e consequentemente refletiu aqui.

"Por mais que eu houvesse tentado prepara-la para meu regresso tardio, sabia que, tão logo o sol se pusesse, ela começaria a aguçar os ouvidos, tentando escutar meus passos retornando. E cada minuto passado daria a impressão de uma hora. Esperar por alguém faz isso. Transforma minutos em horas, horas em dias e dias em vidas."

A maior parte da história temos Ben, que é médico e por isso sabe como proceder em casos extremos, tentando manter a Ashely viva, já que o estado dela é mais grave que o seu próprio. No começo, como esperava por um livro romântico, entrei não acreditando que pudesse acontecer uma paixão entre os protagonistas, eles mal se conhecia, e notamos que o que prevaleceu foi a ética médica, o fazer o certo, da parte dele, o tempo todo. Enquanto não posso deixar de citar a força da protagonista feminina, que manteve a calma de uma forma que poucos fariam, mas que em nenhum momento soa irreal, você pode ver que essa é realmente a personalidade dela. Muito bem escrita e trabalhada.

Ao longo das tantas dificuldades que o casal enfrenta, acredito grandemente no nascimento do afeto, mesmo ele sendo casado e ela noiva.

Existem vários poréns por trás do casamento de Ben, que não entendemos se estão juntos ou divorciados até o final, mas sabemos que ele ama, loucamente, a esposa. Por isso ficamos entre a cruz e a espada em torce por esse casal. Mesmo sendo um romance, o foco da trama não é esse propriamente dito. A agonia do leitor é realmente sobre a situação delicada deles, da locomoção pela neve espessa, pela fragilidade física de ambos, dos perigos da vida selvagem que habita a montanha. O leitor fica preso a sobrevivência do casal, e o afeto entre os personagens nascem sutilmente no leitor assim como nos próprios.

"Sei que não estou dizendo nada que você já não saiba, (...) Acho que só estou querendo fazer um depoimento a favor dele, para dizer que é impossível ele amar você mais do que já ama. Eu nem achava que existisse amor assim, mas agora eu o ouvi, vi, senti e dormi ao lado dele, e, se você não o quiser, o que ele fará com um amor assim?"  (carta)

O livro é narrado na voz de Ben, e os capítulos se intercalam entre o presente e as memórias dele, onde vamos entendendo aos poucos, o que vem acontecendo em sua vida, e moldando suas características emocionais. O livro é bem mais sobre o personagem masculino, envolvendo a protagonista feminina na vida e na tragédia particular do mesmo.
Todo final de capítulo onde relata suas memorias, o narrador que é o protagonista, faz o joguinho do "não imaginava o que estava por vir" e isso acaba nos fazendo ler mais rapidamente, afim de saciar a curiosidade!

A narrativa do autor é bem detalhada, os cenários são bem descritos e fica fácil a visualização, inclusive conseguimos sentir a temperatura do ambiente frio. 

Lembram que citei sobre o cachorrinho do piloto que estava no voo? Ele também sobrevive a queda e tem uma importância psicológica grande no livro, uma reflexão muito bonita sobre amizade, e os valores da vida.

Esse livro tem algo como os romances de Nicholas Sparks, delicados, tão bom quanto. Amor profundo, além da alma.

O final pode surpreender alguns, mas para mim, que leio muito romance, foi um pouco previsível, contudo não perdeu a emoção, e me fez derramar algumas lágrimas mesmo assim, pois o interessante da escrita do autor é justamente colocar tanta essência em seus personagens que você passa a imaginar o passado de Ben apenas pela forma como ele olha e fala!

O livro promete virar filme em 2017, trazendo a atris Kate Winslet no papel de Ashley, e Idris Elba como Ben.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. poxa,tava até interessada mas se soa algo como Sparks meio que perdi o ânimo... mas ainda assim,darei uma chance de leitura... quanto ao filme, se sair mesmo vou assistir... amo Kate Winslet... vou tentar focar menos no romance e mais na situação de sobrevivência dos personagens...
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?
    Sua resenha me prendeu do começo ao fim, achei ela bem rica em detalhes, bem escrita!
    Com certeza vou colocar na minha lista, e espero apreciar tanto quanto você!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Olá, vi algumas resenhas dessa obra e confesso que a capa me induziu ao erro e eu realmente pensei se tratar de outro gênero...

    Mas mesmo assim vou anotar a dica, parece ser bacana.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Foi entre a cruz e a espada mesmo que fiquei em relação ao meu shipp e o Ben com a esposa dele! E passei a maior parte do livro com medo de comerem o cachorro ou ele morrer!
    Bjs

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.