✓ Resenha: The 42ND St. Band - Renato Russo

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016






Entre os quinze e os dezesseis anos, enquanto convalescia de epifisiólise (rara doença óssea), Renato Russo - à época, ainda chamado Renato Manfredini Jr., em Brasília - criou a história de um grupo de rock formado em 1974, em Londres, a partir do encontro de ícones como Mick Taylor, dos Rolling Stones, e outros roqueiros imaginados pelo futuro líder da Legião Urbana.
Da origem à separação da banda, passando por momentos de sucesso astronômico, Renato pensou em cada detalhe. A partir do personagem Eric Russell, figura central da 42nd St. Band, nasceria Renato Russo, um dos maiores artistas brasileiros de todos os tempos, que tem, portanto, sua gênese revelada neste estrondoso romance inédito.


Título: THE 42ND ST. BAND
Autor: Renato Russo
Tradução: Guilherme Gontijo Flores
Editora: Companhia das Letras
Capa: Elisa von Randow
Páginas: 224
Onde Comprar: R$26,20
Classificação: 9,8 (Excelente!)




Oiee Pessoal 
Demorei mais olha eu aqui outra vez, desculpem o sumiço, vou parar até de tentar justificar, porque os problemas são os de sempre mesmo, nada de novo no front. O importante é que hoje cá estou, para trazer para vocês a resenha desse livro que sem dúvida é um lançamento épico da Editora Companhia das Letras: The 42nd St. Band.

Não é nenhum segredo que sou fã apaixonada da Legião Urbana e em especial do Renato Russo e é claro que quando eu tive a oportunidade de fazer essa leitura, eu não pensei duas vezes e fiquei muito feliz. Vindo de alguém que escreveu Metal Contra as Nuvens, Eduardo e Mônica, Faroeste Caboclo e Mais do Mesmo, entre dezenas de letras incríveis que mais pareciam ficção transformada em música, eu leria até uma receita de pão, quanto mais um dos seus primeiros indícios de genialidade. Porque é isso que The 42nd St. Band é, a prova bruta do imenso potencial e da genialidade impulsiva de Renato Russo.

Ao ler essa obra a impressão que temos é que Renato rascunhou na adolescência a história (ou parte dela) que ele esperava viver um dia. E a viveu. O livro não chegou a ser finalizado, de modo que esse resultado que temos em mãos é a organização dos  diversos rascunhos dele e assim acabamos por notar que a estruturação da obra é diferente da de um Romance comum, mas de uma maneira que facilita bastante a compreensão. 
A Narrativa é feita  revezando entre textos narrados em primeira pessoa por algum dos componentes da banda, entrevistas e linhas do tempo. De modo que um dos pontos principais é o incrível desenvolvimento dos personagens, É fácil notar em todos eles nuances da personalidade do Renato, sendo claramente o Erik Russel, um dos mais parecidos. Eu ouso dizer que é como se o Renato houvesse desenvolvido vários alter-egos seus e os colocado para viver nessas páginas. 

A Obra traz ainda, como era de se esperar várias nuances musicais, mostradas tanto através dos diversos jargões musicais utilizados na narrativa, quanto com os eventos da era de ouro do Rock'n Roll que ocorrem paralelamente com a obra e onde os personagens de The 42nd St. Band participam de alguns dos principais eventos históricos do milênio. É como se a obra nos mostrasse de maneira mais íntima algumas das inspirações do Renato Russo e consequentemente da Legião Urbana. Renato chegou até mesmo a escrever letras musicais dentro da obra e deixar fortes indícios de sua identidade como musicista na futura Legião Urbana. Mas, o melhor fica pro final, a cereja do bolo, um retrato visceral e cru da personalidade, dos sentimentos e da sexualidade do adolescente que aflorava desse ídolo `a frente do seu tempo, que nasceu para quebrar tabus.
Talvez, alguém que não seja fã da persona "Renato Russo"  veja o livro como nada de mais, mas sem dúvidas para os fãs como eu é como ter um livro sagrado nas mãos.





A Edição da Companhia das Letras está magnífica, foram desenvolvidas artes para as capas dos CD's da Banda descritos no livro, capas que eu curti muito. A edição do livro foi composta com uma tipografia azul escura sob um papel amarelado e proporcionou uma leitura bem agradável, a diagramação é bem organizada e facilita em muito a leitura, já que o livro foge no estilo habitual. 
No corpo da obra podemos ver além das ilustrações da Nina Farkas alguns rascunhos feitos pelo próprio Renato.




Enfim, eu amei a leitura e recomendo, sem nenhuma dúvida, principalmente aos fãs. É claro que devo ressaltar que a obra é um livro inacabado e foi avaliada como tal. 

Espero que tenham curtido a resenha, não deixem de deixar suas dúvidas e suas opiniões nos comentários, Beijos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.