✓ Resenha: Eu Estou Aqui - Clélie Avit

domingo, 30 de outubro de 2016

No cenário frio e asséptico de um hospital surge a paixão entre Elsa, uma montanhista em coma há cinco meses depois de cair durante uma escalada, e Thibault, que se refugia no quarto da moça, por não querer visitar o irmão, o motorista bêbado que causou a morte de duas adolescentes num acidente automobilístico.
Delicadamente composto, o romance mostra o envolvimento gradual entre dois personagens cuja comunicação se dá instintivamente. Enquanto Thibault pode conversar e incentivar Elsa a retomar o domínio de suas ações, a jovem ouve, percebe e sente toques em seu corpo, mas não tem como comunicar seus desejos e anseios. Os dois passam a se conhecer tanto pelo que transmitem um ao outro – Thibault em suas confidências, Elsa tentando demonstrar que corresponde a seus estímulos – quanto pelo que os amigos da montanhista comentam a respeito do rapaz ou falam a ele sobre Elsa. Junto da moça em coma, Thibault sente-se tranquilo e protegido da revolta contra o irmão, internado em estado grave no mesmo hospital. Elsa, embora cercada pela família e por amigos, se entusiasma com a ousadia de Thibault, que não se acanha em beijá-la. E quando os parentes discutem a possibilidade de desligar os aparelhos que a mantêm viva, é com ele que Elsa conta para lutar por sua própria sobrevivência.

Título: Eu Estou Aqui
Autor: Clélie Avit
Gênero: Drama
Editora: Rocco / Fábrica 231
Páginas: 288
Onde comprar: R$27,60
Classificação: 9,8 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora. 



Eu Estou Aqui é uma obra quem trás a perspectiva de dois personagens distintos. Que não se conhecem e em comum entre eles, apenas há um hospital.

Elsa está em coma.
Montanhista, Elsa sofreu um acidente em uma geleira. Em coma há cinco meses, os médicos já aconselham a família a pensar no desligamento do respirador artificial, suas chances de voltar são praticamente nulas. Mas Elsa ainda está lá, ela não se move, não enxerga, ela apenas ouve. E cada capítulo seu será narrado pela própria, nos trazendo grande comoção pela sua situação a cada parágrafo.

"Odeio tempestades, mas esse arco-iris parece me devolver a esperança.
Tempestades devem servir para alguma coisa."

Tribault não está internado. Seu irmão quem está, dirigia embriagado e bem, causou dores irreversíveis.

Em uma das visitas ao irmão, no qual Tribault apenas levava a mãe pois recusava-se a ver o irmão, por engano ao procurar as escadas, ele acaba no quarto de Elsa, e é lá que ele encontra toda a paz que a muito tempo buscava.

Entre os dias, entre os fatos da vida dos dois, vão se criando laços mais fortes que as condições de ambos permitem, e esse livro fala justamente sobre esperança, mesmo nos casos em que ela é quase nula. Sabe aquele ditado "não sabendo que era impossível, foi lá e fez"? Esse ditado é base da trama.


Extremamente delicado e sensível, a autora conduz o leitor a questionamentos sobre eutanásia, desperta empatia tão profunda que não tem como o leitor chegar ao fim da trama sem sentir o coração na garganta. Enquanto na pele de Tribaut o leitor experimenta a solidão, aquela onde mesmo com familiares e amigos por perto, o vazio se faz presente. 

"Estou amando uma garota em coma.
Nesse momento, isso parece ser a coisa mais sadia que poderia me ter acontecido."

A trama tem um foco direto, sem rodeios. A autora misturou superficialidade e profundidade de uma forma que talvez até tenha me incomodado, pois deixou a vontade de saber mais, me deixou presa na trama por dias após a conclusão. Mas por outro lado, o emocional foi tão bem colocado, que o coração acelera perto do final. Rapidamente você se vê torcendo tanto para Elsa abrir os olhos e conhecer o dono da voz que passou a ser seu único porto seguro, que não sente o passar das páginas, tão leves e ao mesmo tempo tão carregadas de sentimentos. É um livro escrito para comover, para refletir, para renovar a esperança. 

Quando o sentimento é puro, são as almas quem se reconhecem.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

14 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Quando eu li a sinopse desse livro, pela primeira vez, não me chamou a atenção. Mas agora lendo sua resenha, fiquei bem mais interessada. Espero poder ler em breve, pois acredito ser uma leitura com muita emoção e reflexão, além de ser um assunto extremamente delicado. Vou querer conferir! Beijinhos.
    Sua resenha, como sempre, perfeita!

    ResponderExcluir
  2. Andica!
    Acredito que a ajuda foi mútua: ele por se sentir solitário e encontrar nela um porto seguro, mesmo em coma, e, ela em buscar forças em seu interior, para emergir do coma e poder colocar um rosto naquela voz que escutava nas trevas...
    Deve ser mesmo um livro emocionante.
    "O conhecimento chega, mas a sabedoria demora."(Alfred Tennyson)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de OUTUBRO com 3 livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  3. Oi Andréa!

    Essa é a segunda resenha que leio deste livro e, claro, fiquei bem curiosa para lê-lo. Adoro um bom drama e o que mais me chamou a atenção é a riqueza de sentimentos que a autora emprega no livro. Só não gostei muito da capa... poderia ter sido melhor neh ROCCO? rsrsrsrsrs

    Adorei sua resenha! Ótima como sempre!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  4. Uaaau, que sinopse incrível é essa? Só posso falar que fiquei pensando em tudo o que eles passaram e bem ansiosa pra ler sua resenha.
    Deve ser bem emocionante mesmo ler capítulos narrados pela personagem, sempre nos perguntamos o que acontece a uma pessoa que está em coma, se ela ouve e tudo mais, esse livro é uma das vertentes do que pode acontecer .
    No final da sua resenha fiquei quase implorando pra saber o que acontece kkkk aaai, que vontade de ler agora! Bem louco uma pessoa se apaixonar assim pela outra ne, esse livro deve ser lindo!
    Adorei a resenha, beijos .

    ResponderExcluir
  5. Oi Andrea!
    Eu sou aquelas doidas que não lê sinopse! Julga um livro pela capa e alguns notas soltas. E eu o julguei completamente errado!
    o.O
    Que resenha! MeuDeus quero esse livro pra ontem!
    É difícil lidar com o tema eutanásia sem cair mas mesmice de quase uma fantasia.
    Vai pra lista de futuras aquisições!
    Obrigadaaa

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito de livros que conseguem passar sentimentos e ainda fazer você aprender ou ter algum tipo de discussão sobre determinado assunto. Esse parece ser assim. E muito sensível, bonito e que faz pensar e se comover. Parece meu tipo de leitura favorito e deu uma curiosidade pra ler agora.

    ResponderExcluir
  7. Oi!!
    Gostei muito de conhecer esse livro adorei a premissa dele e agora estou muito curiosa para fazer a leitura!! Amei a capa!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  8. Oiie!
    Amei a resenha, se eu já estava curiosa pra ler imagina agora!!
    O enredo tá lindo, essa capa então...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Oi Andréa se eu já tinha me encantado com a capa do livro, agora então não sei nem o que falar depois de ler essa tua resenha tão doce e apaixonante. A trama parece ser dramática e linda no mesmo ponto e a tua resenha me deixou muito curiosa sobre como essa narrativa será condizida. Pra variar você sempre ilustra as suas resenhas com fotos maravilhosas.
    Amei. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Andréia!
    Acho esse livro lindo demais, pela capa e pela história maravilhosa. Adorei que o romance tão impossível entre eles tenha acontecido mesmo assim. Só fiquei curiosa sobre como o livro é sob a perspectiva dos dois... e a Elsa?
    Enfim, amei demais, parece ser tocante do início ao fim e eu quero muito ler.

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia esse livro, mas fiquei super empolgada par a ler ele. parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  12. Em geral eu gosto muito de dramas,e esse é um que eu tenho desejado desde a primeira vez que eu ouvi falar e já é a terceira resenha que eu leio q fala sobre a delicadeza que a autora teve, portanto, é cada vez mais desejado

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro mas gostei muito dessa historia, achei bem interessante os temas que a autora discute principalmente em uma visão mais ampla de quem está sentindo e quem está acompanhando, parece ser uma historia bem emocionante e tocante mas espero que tenha um final feliz e se tiver oportunidade quero muito ler esse livro !!

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.