✓ Resenha: Misery - Stephen King

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Sinopse: Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca. Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho.
A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.


Título: Misery
Autor: Stephen King
Gênero: Suspense
Editora: Suma de Letras
Páginas: 326
Melhor Preço: R$ 27,93 (Amazon)
Classificação: 10 (Excelente!)




  Oi.pessoal! Finalmente eu li um livro de Stephen King! E me pergunto, por que não fiz isso antes? Haha. Além de ter sido meu primeiro livro lido dele, é também o primeiro que adquiri (na verdade foi um presente). 
Confesso que além da expectativa, eu estava com um medinho de me decepcionar. Sabe quando a gente imagina que o autor é maravilhoso e depois... nada? Bem, nesse caso eu me surpreendi e muito. Eu já curtia muito suas adaptações para o cinema, mas lê-lo foi uma experiência completamente diferente. E ainda mais incrível.

  Misery, que teve sua adaptação para os cinemas no ano de 1990, conta a história de Paul Sheldon, um autor mega famoso e sua fã número um, Annie "Maluca" Wilkes. Não é spoiler, pois logo no primeiro capítulo vemos que a menina não bate bem da caixola. Ela resgata Sheldon de um acidente na estrada e "salva" sua vida, mantendo-o em "segurança" no calor de sua casa confortável. Só que não... 
Bem, Paul logo percebe que algo está muito errado e ali começa o inferno de seus próximos dias. 
Ela é fã de seu romance mais vendido e sua heroína Misery. E, durante a recuperação de Paul em sua casa, ela lê o último exemplar da série, mas para sua surpresa, o livro não termina como ela esperava. E agora, dependente dela para se recuperar (pois ele está com as pernas imobilizadas), Paul terá que escrever uma continuação somente para ela ou sofrerá das crueldades dessa fã que acredita ser como uma salvadora maternal de Paul.



  Misery é agoniante do começo ao fim. A maneira como King brinca com o psicológico do leitor e até mesmo com o do personagem é genial.

  Annie, apesar de maluca e psicótica, tem seus momentos gloriosos com pensamentos sagazes e perspicazes. Isso podemos ver no decorrer da história. Ela é uma mulher detestável e desprezível e isso é fato tanto para o leitor quando para Paul, mas, ela age como uma leitora fiel. E uma leitora fiel não é um crítico avaliando de forma neutra e sim, alguém incondicionalmente apaixonado pela história que é capaz de compreendê-la melhor até mesmo que o próprio autor. E, de certa forma, ela tem razão quanto a algumas estratégias usadas na literatura e no cinema que não são justas com seus leitores/expectadores. Isso desperta Paul.
Stephen King é tão talentoso que conseguiu inserir dois escritores em Misery. Ele mesmo e Paul Sheldon.

  Sim, dentro do livro há a história em que Paul vai escrevendo. E são dois autores completamente diferentes e notamos isso pela escrita da narrativa de Paul no retorno de Misery. Isso foi fantástico. 
Você passa todo o livro alucinado, ávido pelos próximos passos de Annie e de como Paul irá se livrar daquela situação.

  Eu terminei o livro quase sem respirar e atônita.

SPOILER ->>> : curiosamente, a sensação que tive era de que a presença de Annie era mais evidente quando não mais existia, quando estava morta. E acho que Paul também sentia o mesmo. Aquela sensação de incômodo, de estar sendo perseguido, não física, mas mentalmente, é implacável. E de certa forma, ela nunca se livrará dela, ela está empregada nele como quando o Novril tomava conta de seus sentidos inevitavelmente. Era preciso para não mais sentir a dor. É precisa que ela exista para que ele se lembre até mesmo para seguir em frente. Foi minha percepção.  ->>> FIM DO SPOILER!



  A males que vem para o bem de uma forma cruel e sinistra, mas, que ainda assim funciona. Acho que foi o caso de Paul.

  Eu simplesmente viciei na escrita de King. É uma narrativa fácil, fluída, instigante e nunca te deixa cansado. Esse livro é incrível, excepcional, principalmente para quem é escritor como eu. É interessante acompanhar as conversas que Paul tem consigo mesmo, arrisco dizer que são os momentos mais brilhantes do livro. A criatividade dele é evidente, revelando-se nas coisas mais simples, na cumplicidade com os personagens e a vivacidade do mundo que sai do papel através de um mente transbordante. É como observar as engrenagens de um relógio trabalhando. Paul Sheldon tem um humor negro que arrancou algumas risadas minhas e serviram para aliviar momentaneamente a tensão. Ele tem essa capacidade de fazer piada com a própria desgraça.

  Paul é o personagem em questão que teve sua maior evolução. De repente, alguma coisa estava errada antes de Annie, e de uma forma macabra começou a dar certo enquanto era mantido prisioneiro. Se ele irá escapar ou não, você só vai descobrir lendo. E, por favor, leia!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

15 comentários:

  1. Oi Sabrina!

    Bem vinda ao clube! *-* Amo os livros do King. Já li alguns e só fico mais fascinada a cada leitura. Tenho Misery mas ainda não o li. Gostei demais da sua resenha e fiquei meio agoniada lendo-a! rsrsrsrsrsrs

    Espero que vc leia mais livros do autor e que continue gostando tanto. Te indico a trilogia Bill Hodges, foge do parâmetro do autor mas vale a pena, é maravilhoso!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Olá, Sabrina!
    Amei a resenha! Estou começando a entrar no mundo de Stephen King! Comprei recentemente It, Sob a Redoma e Misery! Depois da sua resenha, acho que lerei Misery! King realmente é fascinante!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa, depois da sua resenha eu PRECISO ler!
    Eu só li Carrie, a estranha do Stephen e gostei bastante, sempre quis ler outros, mas nunca vejo a oportunidade, mas acho que o universo me deu um sinal pra comprar logo com essa resenha, HAHA.
    Gostei bastante da trama e tenho certeza que vou adorar, ainda mais tendo uma nota alta dessas!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Oi, Sabrina!!
    Amei a resenha!! Ainda não li nenhum livro Stephen King mais sem dúvida esse livro entrou para minha lista de desejados!! Fiquei muito curiosa sobre o livro!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  5. oie! king é Kinh né! Arrasando com suas histórias e seus personagens...Amei esse livro! Eu qro!!

    ResponderExcluir
  6. Quero tanto conhecer a escrita dele.... Acredita que até onde ainda não li nenhum livro? Carrie está na minha wishlist faz tempo, mas ainda preciso de um empurrão pra comprar. Esse livro parece ser um arraso mesmo, e dei uma conferida no spoiler e até me arrependi kkkkkk.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nossa! Que história louca haha
    Nunca li King e confesso que não tenho vontade de ler as obra dele, fazer o que né?
    Mas o livro em questão parece ser bem tenso e intenso.
    Pra quem gosta desse estilo literário acredito que é uma boa pedida e que irão gostar.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  8. Essa história it´s crazy!
    Meu Deus! Só o Stephen para fazer um livro desse jeito.
    Amo as histórias dele.
    O gênero do livro é ótimo e a narração é muito boa.
    Amo muito ele.Já li quase todos os livros.

    ResponderExcluir
  9. Estou louca para ler esse livro. Deve ser interessante ver como a Annie lida com o final da sua personagem favorita e como a vida de Paul é ''ligado'' a isso. Fiquei curiosa para ver como funcionou essas partes que tem uma história dentro de outra história e como o escritor se safou (ou não kkk) da fã louca. Ps: mesmo não gostando de spoiler gostei que você disponibilizou um porque tem gente que gosta e até se anima mais para ler depois que fica sabendo de algo que não deveria kkk

    ResponderExcluir
  10. Sabrina!
    Gostou mesmo, hein? Dez em todos os ítens...
    Fico feliz por você, porque na minha opinião Misery não é um dos melhores livros do autor e se gostou tanto, gostará ainda mais dos outros, cada um com sua peculiaridade.
    “A vida guarda a sabedoria do equilíbrio e nada acontece sem uma razão justa.” (Zíbia Gasparetto)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. Uau! Que livro é esse! Mas claro, não podíamos esperar menos do mestre não é? Vou tentar ler imediatamente esse livro e saber como o Paul se safa hahaha
    Beijinhos
    https://myworstthoughts.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Tenho vontade de ler os livros desse autor, mas acabo sempre adiando :/

    ResponderExcluir
  13. Olá.
    Adoro a escrita de King. Ainda não tenho esse livro, mas já está na lista, assim como muitos outros do autor. Sua resenha está perfeita. Que bom que gostou da leitura! Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Segunda resenha que leio desse livro hoje, e ele parece ser muito bom mesmo. Estou super curiosa com o que a Annie faz com o Paul, e como ele consegue escapar, isso se conseguir né rsrsrs quero ler com certeza.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  15. Eu sou apaixonada pela escrita do King! Esse livro eu ainda não tenho, mas depois de ter lido O Iluminado, eu sinto que preciso ter uma coleção de todos os livros do autor <3

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.