✓ Resenha: Tristeza em Pó - Daniele Toledo

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Sinopse: “A mentira que me fez ser presa, espancada e violada para o resto da minha vida, por ter sido acusada de matar minha filha Victória, de 1 ano e 3 meses, com cocaína na mamadeira.” Segundo turno da eleição presidencial no Brasil. Enquanto brasileiros se levantam para ir às urnas e decidir o futuro do país, num pequeno pronto-socorro localizado na interiorana Taubaté, a 120 quilômetros de São Paulo, uma jovem de apenas 21 anos tem o rumo de seu destino, terrível e irremediavelmente alterado. A dona de casa foi presa, acusada de matar a filha de 1 ano e 3 meses. Segundo a polícia ela havia colocado cocaína na mamadeira da criança. Após ser presa, espancada e sofrer graves sequelas pelo resto da vida um laudo aponta que as substâncias encontradas foram receitadas. A jovem conta tudo que passou neste livro comovente.
TRISTEZA EM PÓ a história verídica de uma das maiores injustiças e maldades contra uma mãe que a medicina, a justiça e a mídia cometeram no Brasil.
Através de um relato comovente, Daniele Toledo conta o seu drama, sobre ter sido acusada injustamente de matar sua filha Victória, de 1 ano e 3 meses, com cocaína na mamadeira. Uma mentira que a levou à prisão e deixou marcas profundas para o resto de sua vida.
Os depoimentos de Daniele, são repletos de emoção do começo ao fim do livro, e revela o retrato de um lado sórdido e obscuro da história, trazendo à tona os detalhes cruéis do que ocorreu, levando o leitor a uma reflexão sobre os valores e as atitudes impensadas que a fez passar por tanto sofrimento injustamente.

Título: Tristeza em Pó
Autor: Daniele Toledo
Gênero: Biografia
Editora: nVersos
Páginas: 176
Melhor preço: R$24,90 (Casas Bahia)
Classificação: 10 (Excelente!)
Livro cedido em parceria com a editora.




        Eu demorei um pouco antes de escrever essa resenha, porque eu precisava digerir a história, pra não trazer a vocês uma resenha agressiva, porque eu achei que terminaria a leitura de Tristeza em pó desolada, mas não, fiquei triste sim, mas o que me dominou de fato durante todo o curto espaço de tempo que eu passei com o livro foi a revolta. Uma das frases da Daniele na obra me tocou muito porque senti isso na pele no tempo que passei com a minha mãe no hospital, quem já esteve com parente, ou internado na ala pública de um hospital universitário sabe que é assim. Você se sente como uma atração de zoológico, as vezes parece que estudar medicina mina um pouco a humanidade de algumas pessoas.

"Como o hospital escola era um centro de formandos, muitos alunos e professores passavam no quarto dela pra estudar o caso. A vitória era uma atração ali.
Foi muito triste o que a gente viveu."

        A biografia da Daniele é um daqueles livros que soca a sua cara repetidamente, é o relato fidedigno da vida de uma mulher pobre no Brasil, um país machista, preconceituoso, elitista e corrupto. Para nós que estamos do lado de cá da faixa de pobreza, ouvir o relato da vida da dela nos trás uma sensação de representatividade.

Quem já foi uma daniele?
Quem escapou de ser uma daniele?
Quantas e quantas mulheres já podem ter sido violentadas dentro dos nossos hospitais sucateados e se calado, com medo de represálias, com medo de não acreditarem?

Porque estupro é o único crime que ao invés de se fazer justiça vão em busca dos antecedentes da vítima.
Pra quem está do lado de lá dessa linha de pobreza, essa história pode servir para abrir os seus olhos para essa injustiça social, pode te fazer refletir e quem sabe até mesmo, fazer a sua parte de alguma forma.

      Em Tristeza em Pó, Daniele Toledo nos conta de um maneira pessoal, com uma linguagem simples, clara e coerente a história da sua vida, desde a adolescência quando foi usuária de cocaína, vício que veio abandonar algum tempo depois, quando se descobriu grávida do seu primeiro filho. Da separação do primeiro namorado ao início do outro relacionamento, ao qual deu a luz a Vitória, ou Tótoia como ela gosta de chamar, menina frágil que já recebeu esse nome devido a vitória que alcançou por sobreviver, passou boa parte de sua vida entrando e saindo do hospital. A menina sofria de alguma doença que nunca foi realmente diagnosticada e foi numa dessas entradas com a filha em mais uma internação no Hospital Universitário de Taubaté que Daniele aos 21 anos foi estuprada por um estudante do 5° ano de medicina, dentro do próprio hospital e não se calou. Mesmo recebendo ameaças de desconhecidos e tentativas de suborno, sendo inclusive transportada com a filha para um quarto particular dentro do próprio hospital, Daniele não aceitou, identificou o estuprador e manteve a acusação. Dias depois foi dada a alta da sua filha ainda doente. Uma vez em casa Vitória volta a passar mal, Daniele retorna com a menina para o hospital e tem o internamento negado, ao ver a piora no quadro da menina as médicas de plantão a medicam de qualquer forma, minutos depois a menina acaba vindo a óbito. Testes rápidos são feitos em uma substância branca encontrada na boca da menina e acusam Daniele de ter assassinado a filha colocando cocaína na sua mamadeira. 
        A mídia sensacionalista já está a postos na porta da delegacia e a imagem de Daniele é veiculada na televisão aberta, não como acusadora, mas como culpada de ter matado a filha, e ela recebe do Datena a alcunha de O Monstro da Mamadeira. Ela é levada para o presidio e é lógico que a notícia chega rapidamente. Assim como estupradores em presídios masculinos, em presídios femininos não há piedade para quem agride ou mata crianças, e assim Daniele é  barbaramente espancada e só não morre, porque creio eu, aquela não era a sua hora. Tem início ai uma grande jornada de Daniele pelo sistema carcerário, durante muito tempo lhe foi negada até mesmo a assistência jurídica, até que a jornalista Cristina Christiano percebe que há algo errado naquela história e resolve se envolver em busca de justiça e esclarecimento dos fatos.

       Vou parar o resumão por aqui, apesar que ainda que eu conte a vocês tudo o que li, jamais será a mesma coisa de vocês lerem o relato emocionante dessa mulher. A história da Daniele é chocante, porque poderia ser eu ou você. Porque mostra o que há de pior nas pessoas, que para omitir um estupro foram capaz de negar atendimento a uma criança e deixa-la morrer, acusando logo em seguida a própria mãe de assassinato, não a permitindo sequer sofrer a morte da sua filha. Mostra a corrupção na advocacia, de pessoas que utilizam o sofrimento alheio como trampolim. Mostra como a mídia pode destruir em segundos a vida de uma pessoa, liberando uma notícia falsa por mero sensacionalismo. Mas, também mostra que existem profissionais que vão em busca da verdade e são capazes de salvar vidas. Mostra como é possível dar a volta por cima, mesmo que os danos sejam permanentes. Mesmo que no final da história a Vitória não volte, que a causa da sua morte nunca tenha sido determinada, que a Daniele ainda lute com o governo do estado de São Paulo pela indenização devido aos danos permanetes que a sua saúde sofreu durante a sua prisão injusta. E que o estudante que a estuprou, tenha saído impune de tudo e hoje seja um médico atuante e renomado. Ainda teremos a esperança de que viveremos em um tempo, onde não temeremos ser mais uma daniele, num hospital, na rua, numa escola...
na nossa própria casa.

      Recomendo a leitura desse livro para todas as pessoas, com o discernimento e a maturidade suficiente para entende-lo. Recomendo especialmente as mães, aos pais, aos estudantes de jornalismo e aos jornalistas formados, não cometam o mesmo erro do Datena, de destruir uma vida e nunca sequer ter se retratado. Recomendo aos estudantes de direito, aos advogados e advogadas em exercício, aos juízes e juízas, aos carcereiros e carcereiras, aos estudantes de medicina, aos médicos e médicas, as enfermeiras e enfermeiros. Essa sem dúvida será uma leitura enriquecedora PARA QUE NÃO SE ESQUEÇA, PARA QUE NUNCA MAIS ACONTEÇA.

Somos todas Daniele Toledo.





Espero que vocês tenham gostado da resenha, essa foi pra mim uma leitura muito prazerosa e que eu sei que vou levar como lição pro resto da vida, se um dia tiverem a oportunidade leiam. Essa é uma biografia que realmente vale a pena!

Vocês também podem assistir esse documentário sobre o caso da Daniele


Não deixem de me contar as suas opiniões nos comentários. 
Beijos

#PARAQUENÃOSEESQUEÇAPARAQUENUNCAMAISACONTEÇA.
#PORTODASELAS #MEXEUCOMUMAMEXEUCOMTODAS #JUSTIÇA
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

23 comentários:

  1. Estou angustiada só de ter essa resenha.
    Não conhecia esse livro, mas já entrou para a lista de desejados.
    Parabéns pela excelente resenha!

    ResponderExcluir
  2. Me arrepio todinha sempre que escuto algum comentário sobre o caso.
    Passei 3 meses com meu filho internado numa UTI neonatal de um hospital escola, então sei bem qual a sensação de se ver como uma atração de zoológico: sempre vindo gente te estudar.
    E a experiência que eu passei foio que me motivou a desejar ler o livro. Claro, são histórias completamente diferentes, mas mesmo assim, meu coração de mãe falou mais alto quando descobri sobre esse livro.
    Gostei bastante da sua resenha sobre a obra: clara e verdadeira, assim como o que encontramos no livro. Ainda não o li, mas espero poder fazê-lo logo.

    ResponderExcluir
  3. Ual!!! Já tinha lido apenas uma resenha do livro, arrepiada com essa história!
    Forte e mto mto reflexiva, qro ler!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. A resenha está maravilhosa!! É uma história muito forte e triste dessa mãe que foi acusada de matar a sua própria filha!! Mais é importante para mostrar a verdade para sociedade que tanto a acusou. Bjoss!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Kris.
    Tristeza em Pó é realmente uma história triste, mas cheia de superação.
    Não consigo imaginar como deve ser ser estuprada, ainda mais por um aluno de medicina que deveria te ajudar, e ser acusada de matar a sua própria filha, que faleceu devido falta de assistência médica, e superar tudo isso.
    Deve ser um relato bem intenso e emocionante. Fiquei com bastante vontade de ler esse livro.

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha. Nota 10 em todas categorias :) Lembro vagamente desse caso. Mas fico imaginando o que essa mãe passou. O título do livro é ótimo. Com certeza irei ler. Você já leu os livros da Inana Casoy ? Tem a mesma premissa

    ResponderExcluir
  7. Só lendo a resenha fiquei arrepiada e com os olhos cheios de lágrimas lendo o sofrimento dessa mãe. Gente, que país é esse ?? A mulher sofre um estupro, identifica o agressor e ela que é punida ?????????? Mesmo sabendo que é uma história real gostaria muito que fosse uma história fictícia. Nunca tinha ouvido falar dessa notícia mas já salvei o documentário para ver e adicionei o livro na minha lista. Parabéns pela resenha !

    ResponderExcluir
  8. Nossa, que história...
    Parece ser cheia de emoção, cheguei a me arrepiar aqui, sério.
    Lembro bem pouco do caso e lendo agora a resenha fiquei ainda mais triste com tudo que essa mãe passou.
    O livro parece ser bem forte, que mexe com todos os nossos sentimentos.
    Fiquei encantada com a dica e com a resenha.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  9. Oi Kris!

    Nossa! Não conhecia o livro mas fiquei bem curiosa e toda arrepiada com sua resenha!
    Belas palavras para um livro tão complexo e sentimental. Gostei muito, vou adicioná-lo na minha lista de desejados!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  10. Nooosa Kris que resenha fantástica, apesar da história ser extremamente triste e desumana você conseguiu trazer o que o livro propõe a humanidade!
    Quando alguém de pergunta porque ser Advogada eu sempre digo que quero um mundo melhor, não retirando a culpa de quem realmente é culpado mas até mesmo essas pessoas merecem ser tratadas como seres humanos que são além de evitar que pessoas como Daniela sofram o que ela sofreu.

    ResponderExcluir
  11. Oi.
    Já havia lido uma resenha sobre esse livro. Realmente é um tema impactante, forte e reflexivo. E, infelizmente, real! Gostei muito da sua resenha, parabéns por saber usar as palavras perfeitamente, para descrever a obra. Uma dica valiosa de leitura. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Confesso que não conhecia a história da autora, e mesmo não gostando de biografias, sua resenha me tocou e me deixou curiosa pra conferir.
    Enquanto eu não tenho a oportunidade de ler, vou assistir esse documentário.
    Obrigada pela dica!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  13. Eu não conhecia o livro, e confesso que não gosto muito de biografias. Mas fiquei super interessada nesse livro. O livro parece ser bem forte, e fiquei arrepiada só de ler sua resenha.
    Já vou adicionar o livro na minha listinha.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oi Kris!
    Não curto ler biografias, mas essa resenha me deixou com o coração apertado. Como mãe, foi doloroso ler certas partes da resenha. Mas o pior de tudo, é saber que isso realmente acontece e vai continuar acontecendo. Uma leitura densa, real e reflexiva. Que com certeza merece ser lido. Só espero ter essa oportunidade muito em breve.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Oiiee, tudo bom?
    Amei a resenha, ainda não tinha ouvido falar do livro e nem da historia dessa mulher, o livro não é o estilo de leitura do qual estou acostumada, mas eu quero muito ler, deu para perceber que o livro é forte e que triste as coisas pelas quais essa mãe passou e ainda ser acusada de matar a própria filha, onde esse mundo vai parar não é mesmo, para onde esta indo a humanidade de cada um? espero poder ler o mais breve possível.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  16. Gente, eu fiquei muito triste só de ler sua resenha. Sempre que vejo algo sobre estupro me dá uma tristeza muito grande, um medo. E pensar que mataram uma criança só pra encobrir um homem estuprador, é totalmente revoltante. O livro com certeza entra pra minha lista de desejados, quero conhecer essa história que eu não conhecia.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  17. Gente, que história cruel, não dá pra definir o que é mais absurdo nela.
    Uma pessoa perde a filha, é presa injustamente, espancada e até estuprada por alguém que deveria ajudar.
    Só Deus sabe o que essa moça sofreu, não sei se consigo ler este livro, é muita crueldade e pelo que li aqui, ninguém foi punido!
    Cada vez fico mais decepcionada com o seu humano.

    ResponderExcluir
  18. Eu não conhecia ela, mas acho que o livro é muito bom! Com certeza é triste, por saber que isso realmente aconteceu com ela, mas eu fiquei muito curiosa pra conhecer a história dela. O livro entrou para os meus desejados =)

    Bjss ^^

    ResponderExcluir
  19. Oi tudo bem..
    Nunca tinha lido nada sobre o livro e confesso que nao sou fa de biografias,mas a historia de vida dela e bem inspiradora ,e é bom um livro que pode tirar aprendizado dele,ainda mais por se tratar de um caso tao comum que o uso de drogas,estupro e doenças ,estar em hospitais publicos e realmente horrivel so sabe que passa por isso. otima resenha.
    Um abraço e muito sucesso :)

    ResponderExcluir
  20. Não sou de ler o tipo de livro e ele tem uns temas bem tensos. Muita coisa ruim, muita crueldade.
    Não sei nem se teria coragem pra pegar uma coisa assim porque é cada absurdo e só de imaginar, só de pensar vendo a resenha dá um troço aqui. Desgosto mesmo. Não dá nem pra imaginar o que ela passou. Acho que seria bom por abrir os olhos para algumas coisas, mas não tenho estômago pra esse tipo de leitura. É só para os fortes mesmo.

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    A resenha desse livro me impactou de uma forma que você não faz ideia. Não sou de ler livros com esse assunto, mas me despertou um interesse enorme de entender todo esse processo o qual a Danielle sofreu, e só por ler essa resenha e conhecer um pouco sobre o livro acho que todo mundo deveria ter a maturidade e o entendimento para lê-lo pois como você disse, poderia acontecer com qualquer um.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Confesso que não costumo ler esse tipos de livros e apesar de ter gostado muito da resenha, no momento não leria, por ser um livro que exige um pouco mais de maturidade.

    ResponderExcluir
  23. Oi!
    Não gosto de ler biografia mas essa com certeza irei ler, acho que esse é um livro que todas as pessoas deviam ler principalmente para aprender a não julgar as pessoas sem provas, e não sair condenando nem noticiando sem saber de tudo, ou pelo menos o básico que no caso da Danielle teria evitado essa grande injustiça !!

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.