✓ Resenha: O Que Há de Estranho em Mim - Gayle Forman

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016




Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.
Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.
Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Melhor Preço: R$ 16.90 (Extra)
Classificação: 10 Excelente





Oi  
Oi Gente, 
Olha eu aqui novamente pra fazer a resenha de um livro que eu simplesmente amei e não sei nem por onde e como começar a falar dele. As vezes fazer resenha e tentar não pagar muito pau é tão difícil. Então vocês podem esperar alguma babação da minha parte. Vamos lá.

O Que Há de Estranho em Mim foi o meu primeiro contato com a escrita da Gayle Forman e hoje posso dizer que comecei a leitura pelo livro certo! Ainda não li os livros mais famosos da autora, Se Eu ficar e Para Onde Ela Foi, mas a partir das  resenhas que eu tive a oportunidade de ler, sei que apesar de ambos os livros serem Young Adults  (escritos voltados para um público que vai de adolescentes a jovens adultos) as temáticas abordadas nas obras diferem bastante, porém a estruturação da escrita é a mesma. A Gayle escreveu em O Que Há de Estranho em Mim uma história profunda, com aspectos fortes, que nos põe no meio de um drama familiar e de cara com uma adolescente em plena fase de mudança e da sua estruturação psicológica. 

Britt é uma adolescente comum, seu único diferencial é tocar numa banda de rock, ter cabelos coloridos e algumas tatuagens, algo que não é tão diferente nos dias atuais. Ela mora com o pai, a madrasta e um irmão mais novo, porém, ela e a madrasta (monstra, como ela chama), não se dão bem nem um pouco e o relacionamento piorou muito mais depois que o bebê nasceu, sendo assim elas vivem em pé de guerra dentro de casa e por esse motivo ela passa a usar a banda como válvula de escape para passar mais tempo na rua. Apesar desses pesares a vida de Britt corre normalmente, ela vai razoavelmente bem na escola, compõe belas músicas, sua banda até vai participar de um festival. Mas tudo começa a mudar, no dia que o seu pai a obriga a participar de uma viagem em família para o Grand Canyon e não aceita não, como resposta. Porém a viagem que deveria ser com toda a família termina com o pai e a filha viajando juntos de carro, só que o destino final, não é o que Britt esperava. 
Ao invés de uma viagem turística para o Grand Canyon o pai a levou para A RED ROCK, um reformatório comportamental, uma espécie de internato onde os pais colocam os filhos que tem algum "problema de comportamento", em outras palavras colocam os filhos que não correspondem as normas da sociedade, na esperança de que eles possam ser curados com terapia. 
Aparentemente, isso parece ser algo legal, até você perceber que: a maioria das meninas ali não chegam a ter um problema, algumas são lésbicas, outras simplesmente tem uma vida sexual ativa e as que realmente tem problemas, como as com transtornos alimentares, não receberão o tratamento necessário, porque o lugar não tem estrutura para isso. 

O que cada uma de nós havia feito para estar ali? Cassie gostava de meninas mais do que achavam que deveria. Bebe gostava de meninos mais do que deveria. V pensava na morte mais do que deveria. E eu? Por que é que estava ali? Porque era mais parecida com a minha mãe do que deveria? Porque assustava meu pai mais do que deveria?

O lugar não tem médicos especializados para o tratamento psicológico das garotas, e sendo assim as terapias na Red Rock se baseiam em destruir a auto estima, machucar o orgulho, basicamente quebrar o espírito das garotas para que assim elas voltem para casa "domadas", e assim vão de trabalhos forçados à humilhação pública. As garotas não podem se falar e não devem criar laços de amizade umas com as outras, porém não há nada que una mais as pessoas que a revolta, com poucos dias dentro do Red Rock, Britt recebe ajuda de algumas garotas, instruções de como tentar driblar o regime carrasco do reformatório. V, Bebe, Martha e Cassie são para Britt um oásis dentro do inferno e é assim que surge o grupo "Sisters in Sanity" O título real do livro (por isso eu reclamo das traduções, apesar de coerentes elas perdem um pouco a essência real da obra), e junto esse grupo vai tentar derrubar o sistema na esperança de tentar manter a sua sanidade.




O Enredo de O Que Há de Estranho em Mim é completamente envolvente, os personagens são cativantes e acredito que principalmente para os adolescentes, que estão enfrentando essa fase, até mesmo algum problema semelhante dentro de casa, é impossível não se identificar. Britt é uma personagem muito bem formulada, ela não é a rebelde sem causa que o pai imagina, apesar de ter vários motivos para sê-lo, sendo um deles a negligência que recebe do pai depois do que aconteceu com sua mãe. Se há um personagem com quem nos revoltamos nesse livro é com o pai dela, ele é fraco e hipócrita, se há em toda a história um personagem emocionalmente desajustado, esse é ele. Confesso que nem no final eu consegui perdoa-lo, ou compreender os seus motivos. 
Para mim o ponto forte na trama é a amizade das meninas, a união que elas começam a desenvolver, apesar dos pesares. Elas proporcionam umas as outras o tipo de ajuda e terapia que o lugar onde elas foram internadas deveria, mas não oferece. E essa cumplicidade que elas nos mostram é enriquecedora.

Outra coisa que eu achei muito forte na história é o fator: Crítica Social. Talvez lendo a minha resenha você pode estar pensando que lugares como a Red Rock só existem na ficção, só que não. Na nota da autora no final do livro, ela nos revela que lugares assim realmente existem nos EUA e ela pesquisou sobre eles na época em que escrevia para a revista Seventeen. E eu posso dizer que infelizmente lugares como esse também existem no Brasil, já conheci um lugar que funcionava no mesmo regime, mas ao invés de adolescente os pacientes eram viciados em drogas, e eu fiquei chocada ao perceber que até as desculpas do responsável do lugar para as reclamações dos pacientes a família, eram as mesmas. Ou seja, a história levanta a visão das pessoas para os abusos ocorridos nesses ambientes, pois geralmente as pessoas que internam os familiares em um lugares assim, não estão querendo puni-los, mas ajuda-los, mas issoalgo que instituições assim, não podem fazer.

Vocês podem perceber né? Que essa é uma leitura bem intensa e bastante reflexiva. A escrita da Gayle, para mim, foi maravilhosa. A trama é muito bem escrita e estruturada, ela teve o cuidado de dosar todos os elementos muito bem, a carga dramática, a reflexão, a amizade, os conflitos e até mesmo um leve toque de humor e um romance que apesar de sutil e singelo é maravilhoso. O ritmo de leitura é rápido, pois a história flui desde a primeira palavra. O livro fala bastante sobre música, porém a maioria citada na história é autoral, exceto Firefly da banda American Music Club e é o tema romântico e Britt (Nhoin ♥)

Achei essa uma leitura perfeita, nota 10, recomendo sem dúvidas. Eu posso dizer que comecei a ler a Gayle Forman pelo livro certo e que ela é maravilhosa desde o começo, já que esse é o seu primeiro romance. Agora, quero ler os demais, pra ver se vou gostar tanto deles, quanto eu gostei desse. 
Espero que vocês tenham curtido a resenha, desculpem a extensão, mas é que eu não conseguiria descrever a perfeição desse livro em menos palavras. 

Beijos.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

29 comentários:

  1. Oie tudo bom???
    Eu vi esse livro da Gaylen, na verdade, ele é o segundo livro publicado dela e não o primeiro. Eu gostei muito desse arranjo no cronograma de publicação, porque você consegue ver o quanto a autora evoluiu para escrever os livros. Tem uma diferença na forma que esse livro foi escrito com os outros publicados recentemente, mas como você disse, não deixa de ser um livro maravilhoso. Gayle não decepciona!
    =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então de Romances, esse é o primeiro, o livro anterior a esse segue outra linha. Eu gostei muito mais do estilo de escrita desse livro, do que desse estilo "mais popular" que a autora assumiu pra escrever as outras publicações.
      Obrigada pela Visita.

      Excluir
  2. Oi, tudo bem?
    Já li três livros da autora e gostei bastante deles. O que mais gostei foi Se Eu Ficar, que recomendo pra você inclusive, já que assim como O Que Há de Estranho em Mim ele traz uma história mais série.
    Achei a premissa desse livro muito interessante e só tenho visto resenhas positivas sobre ele.
    Estou só aguardando o meu chegar e espero gostar muito dessa história.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ma, eu espero que tu curta, eu realmente adorei. Se eu ficar já está na minha lista de desejados, eu tô com apenas um ano e apenas um dia aqui e pretendo ler em breve também, beijos.

      Excluir
  3. Eu tinha curiosidade de ler esse livro,mas não sabia muito bem do que se tratava e gostei muito da sua resenha e fiquei com ainda mais vontade de ler agora.

    ResponderExcluir
  4. Oi Kris, eu ainda não li esse livro mas morro de curiosidade. O primeiro que eu li da autora foi Eu estive Aqui e me apaixonei pela escrita, estou com grandes expectativas para essa leitura. Acho que o tema abordado é muito importante e acredito que a maneira com que ela desenvolva a história, deva ser instigante e envolvente. Fico feliz ao saber que você gostou tanto e ainda mais por saber que é o seu primeiro contato com a autora.

    ResponderExcluir
  5. Oi. Eu já li da Gayle se eu ficar, para onde ela foi e estive aqui. Esse está na minha lista de leituras também. Mas vou confessar uma coisa eu já tinha visto algumas resenhas sobre o livro mas não tinhae chamado tanto a atenção assim... Só que sua resenha foi tão bem feita e tão completa que agora swi muito mais sobre o que o livro se trata e a ansiedade para ler aumentou e muito.
    Fiquei com raiva só pai e da madrasta dela. O engraçadinho que parece a história da minha vida. A única diferença é que não fui para um colégio interno e sim morar com meus avós. Haha.
    Curti bastante sua resenha mesmo. Parabéns.
    Bj
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  6. Oiiiiii

    Me arrependo muit de não ter comprado esse livro, é a terceira resenha que eu vejo falando tão bem do livro, ele tava tão baratinho nas lojas Americanas. A protagonista parece ter muita personalidade o oposto do pai hahhahaha. Só o fato de ter criticas sociais na obra me interessou duas vezes, falta livros assim, e por ser um livro destinado aos adolescentes, é maravilhoso, faz com que pensem.


    Bjos

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que orgulho ler esses livros que ganham 10 em todos os quesitos.
    Esse livro tem arrancado diversos elogios em todas as resenhas que leio, acho que justamente por pelo que você falou: É uma leitura forte e reflexiva e isso com certeza traz muito aprendizado.
    Já estou com esse livro em casa e não vejo a hora de ler.
    Adorei a dica e os pontos.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  8. Eu já li algumas resenhas sobre esse livro e realmente é quase uninânime que a escrita da autora é maravilhosa. A sua resenha se diferencia no seu ponto de vista, lógico, ao explicar que essas instituições não estão tão longe de nós. Muito boa a sua comparação!

    Beijos,
    Mariana Baptista
    umavidaporlivro.wordpress.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bom?

    Eu ainda não li nada dessa escritora, pois eu não havia gostado da premissa dos livros publicados até o momento. Acredito que, assim como você, terei que começar por esse.

    Ótima resenha, só em fez crer que adorarei esse livro <3

    Obrigada pela dica!

    Beijos.

    http://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Adoro Gayle Forman e já li todos os livros que ela publicou no Brasil. Apenas esse ainda não tive a oportunidade, mas já está na lista de leitura e tenho quase certeza que vou apreciar muito. Fiquei mega empolgada com a sua opinião e isso só me atiçou a curiosidade para ler o mais rápido possível.
    Meu Amor Pelos Livros
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    Eu li esse livro, mas não achei o melhor da autora. COnfesso que o livro Se eu ficar e Eu Estive aqui são os melhores até agora para mim. Não que a trama seja ruim, apenas que não me conquistou totalmente. E a autora sempre traz temas para reflexão.
    Bjks!

    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    O que mais gosto nos livros da Gayle, é que ela tira os personagens de suas zonas de conforto, e com isso nos meio que acabamos saindo da zona de conforto também. As temáticas que ela abordam nos fazem pensar, refletir. Esse é um dos dois livros que ainda não li da Gayle, e sem nem ler, posso dizer que irei gostar da estória.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Adoro leituras intensas e levam a reflexão, sempre aprendemos com a história. Eu ainda não li esse livro, mas conheço a escrita da autora com os outros livros lançados aqui no Brasil e fiquei apaixonada. É uma narrativa que flui com facilidade.
    Depois da sua resenha e do 10, vou colocar na minha lista de leitura.
    Obrigada pela dica
    beijos
    Conchego das Letras

    ResponderExcluir
  14. Não tinha visto o novo layout. Ficou simplesmente lindo. Parabéns.
    Sem dúvidas você começou pelo livro certo. Eu já tentei ler se eu ficar e definitivamente não rolou, a personagem principal é muuuuuuuuuito irritante e eu desista nas primeiras 70 páginas e olha que fui muito longe.
    Goste da premissa do livro o que ha de estranho em mim, adoro os temas fortes abordados, acho que vai ser mega proveitoso sim.
    ótima resenha, fiquei feliz do livro ter sido tão positivo para você hehehee
    bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu nunca li nada da autora e tenho visto algumas resenhas bem positivas em relação ao livro. Acho que vou começar a lê-la por ele, porque a premissa me atraiu bastante e os outros livros dela me deixaram com preguiça. Espero que a história para mim seja tão encantadora e boa quanto foi para você! :)

    ResponderExcluir
  16. Menina eu adoro a Gayle Forman, sou muito fan dela, mas até hoje eu ainda não me senti segura em comprar esse livro, pois tenho medo de ficar impressionada e ficar com aquilo na cabeça sabe? Eu sei que o livro é bem forte em relação ao que as personagens passam durante a estória e sinceramente acho um pouco cruel embora como tu disse isso ainda exista né? Kas jão sei ainda. Realmente foi o unico livro dela que não comprei e tenho pensado bastante antes de comprar. O ULTIMO que comprei foi aquele que fala do suicidio que ainda não li nada do gênero, mas depois que saiu esse fiquei com as minhas dúvidas =x

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/02/resenha-espera-de-romeu.html

    ResponderExcluir
  17. Eu li "Se Eu Ficar" e adoreei. É triste, mas tocante, achei maravilhoso. E eu gostei tanto do livro que quero ler tooodos os livros da Gayle. Eu não conhecia esse da sua resenha, mas pela sua resenha eu acho que vou colocá-lo na frente de todos.
    Adorei sua resenha! Estou ansiosa para ler esse livro!

    paradonaestante.blogspot.com.br
    facebook.com/paradonaestante

    ResponderExcluir
  18. Oiee Kris ^^
    Esse livro ainda vai me deixar doida...hehe' essa foi, eu acho, a primeira resenha positiva dele que eu li, e eu tô doida agora, arrependida por não tê-lo comprado antes, pois vi que muita gente não gostou muito do livro. Eu AMO os livros da Gayle, mas estava com receio de que esse não seria tão bom quanto os outros. Saber que ele é reflexivo e intenso me animou ainda mais. Eu queroo *-*
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem??

    Não li nenhum livro da autora, mas também pretendo começar por esse!
    O tema parece ser abordado com propriedade e de forma reflexiva.
    E essa capa está maravilhosa né?! Amei a resenha, só vejo críticas positivas sobre ele

    XOXO
    Umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Oi!

    Kris, achei a história muito envolvente e com um tema bem contemporâneo, infelizmente assuntos tão polêmicos são tratados como doença pq a sociedade não consegue se "adaptar" ao "diferente". Ainda não li nenhum livro dessa autora, mas você não é a primeira blogueira que leio sobre a facilidade em navegar nas páginas da obra de Gayle.


    Beijos!

    ResponderExcluir
  21. Oie Kris,
    estou com esse livro aqui em casa desde o lançamento, mas estou muito receosa em lê-lo, já li algumas resenhas positivas, mas a sua foi a mais entusiasmada e a que chegou mais perto de rachar o muro desconfiança que eu criei, acho que não vai ter jeito, vou ter que arriscar e ver onde essa trama irá me levar.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  22. Olá!!

    O que eu pude perceber, os livros da Gayle publicados pela Arqueiro, tem uma pegada muito mais pesada e tensa do os que os demais.
    Não quis ler essa obra, pois mesmo que tenha AMADO o Eu Estive Aqui, não sei se gostaria da pegada dessa obra.
    Sua resenha foi MEGA positiva e ficou linda *-* Eu achei maravilhosa!
    Acho que por ser a primeira obra da autora, ela provou que é uma grande profissional!
    A temática é boa e espero passar um pouco o periodo para ler em breve!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  23. Olá!

    Nunca li nenhum livro da Gayle, mas sou doida para ler vários e esse é um desses. Gostei bastante da sua resenha pois ela n fala do pai da Brit só ate ele colocar ela na instituição,ela fala também sobre como ele é problemático e pelo que parece ele se encontram ao final. Espero que a bruxa da madastra dela tenha se dado bem mal.
    O tema realmente é importante de falar x pois engloba varias coisas, n só lugares cono o do livro ou para recuperar viciados em drogas, até mesmo em asilos ocorre Maps tratos e os parentes tem que ficar de olho aberto, zelando pelo seu familiar.
    Adorei sua rsenha, com certeza ainda quero ler esse livro.

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Amo livros com histórias intensas e reflexivas, por que são elas que ficam marcadas no leitor. Eu ainda não li nada da escritora, mas espero mudar essa quadro em breve. A capa do livro nos dá uma noção de como vai ser a história.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Este livro já está na minha lista de leituras e não vejo a hora de conhecer essa história. Toda essa coisa dela ser levada para o reformatória e tudo o que vive lá tem me deixado bastante intrigada e ainda não vi ninguém dando nota baixa para ele. Você deu 10 em tudo e isso é ainda mais animador.

    ResponderExcluir
  26. Oi!
    Eu me perdi da Gayle no seu primeiro livro lançado aqui no Brasil, mas sempre vejo as pessoas falando em como os outros são melhores e menos enrolados.
    Gostei muito dessa temática forte e reflexiva desse livro, pois é algo que nos choca, e tudo que choca e te deixa encabulado já pode ser considerado uma boa escrita.
    Espero dar outra chance a essa autora, principalmente de uma resenha tão positiva.

    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir
  27. Oiii
    Nunca li nada da autora,as essa capa me diz que devo começar por esse.
    Adoro quando o autor nos colocar para refletir.
    Sua resenha me envolveu de tal forma, que agora estou torcendo para madrasta dela se ferrar.
    Espero que o livro me envolva assim como fez com você e que eu goste dele tanto quanto você.
    Obrigada pela sugestão.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.