Destaques

assine a newsletter

terça-feira, 22 de setembro de 2015

✓ Resenha de Filme - Maze Runner : Prova de Fogo

Sinopse:Thomas (Dylan O’Brien) e seus companheiros Clareanos vão encarar seu maior desafio até agora: procurar por pistas sobre a misteriosa e poderosa organização conhecida como C.R.U.E.L. Sua jornada os leva até O Deserto, um cenário desolado repleto de obstáculos inimagináveis. Unindo-se com lutadores da resistência, os Clareanos desafiam as forças superiores da C.R.U.E.L. e descobrem seus terríveis planos para todos eles.
Título Original: Maze Runner: The Scorch Trials | País de Origem: Estados Unidos da América | Gênero: Ação, Ficção Científica, Thriller | Duração: 130 minutos | Ano de Lançamento: 2015 | Atores de Destaque: Dylan O'BrienKaya Scodelario | Filmow: Maze Runner: Prova de Fogo 3.8





Maze Runner: Prova de Fogo é a tão aguardada continuação do primeiro filme da franquia. Com muito mais aventura e perigo, os jovens continuam sua fuga incessante do C.R.U.E.L.. Desta vez, novos personagens surgirão e ambientes diferentes mostrarão o quanto um livro jovem adulto pode se tornar um exemplo brilhante de ficção científica. 


Após a fuga da Clareira, eles são apresentados ao mundo real: um mundo no qual os jovens são a Cura, e para tanto, precisam passar por testes e servir de forma complacente àqueles que os utilizam como objeto de estudo para o Catástrofe e Ruína Universal: Experimento Letal. 


Ao serem levados à sede, Thomas, Minho, Teresa, Newt e Frypan descobrem que não eram os únicos a viverem em uma Clareira. Existiam outros jovens, e dentre eles o Aris, que descobrirá algumas falhas em seu novo "estabelecimento" e na receptividade, além da aversão dos anfitriões ao C.R.U.E.L. . Com base em uma desconfiança esperta, os jovens se unem e partem em busca de um grupo que poderá ajudá-los a combater o Experimento.


A partir deste ponto, só melhora. A ação triplica, o cenário é incrível e o gráfico dos efeitos especiais é esplêndido. Apesar de neste segundo momento a ficção científica estar focada na busca da cura e nos Cranks, ela continua onipresente, mesmo o longa ganhando mais tons de aventura.

Aliás, para os mais exigentes, aviso que é um filme diferente. Mesmo sendo uma mistura de gêneros já antigos, é uma distopia como Jogos Vorazes e Divergente. Há uma variação, mas não deixa de ter elementos parecidos.


A cenografia é repleta de efeitos, como a maioria das produções atuais. Entretanto, os elementos digitais foram utilizados com maestria, já que muitos componentes do livro não poderiam ser adaptados em forma física.

Já na sonografia alguns momentos em que as cenas ocorrem em fast-foward e a cena fica praticamente muda, me deixaram incomodada. Mas nos momentos de tensão e corrida a trilha sonora vai nas alturas e consegue transmitir mais ainda a emoção dos atores.

Sobre os atores: boa parte continua, atuando tão bem ou melhor quanto no primeiro filme. Os personagens ganham desenvolvimento, e algumas escolhas do elenco sã finalmente justificada. Menos o Dylan O'Brien. O intérprete de Thomas continua deixando cética. No livro personagem apresenta elementos de frieza e inexpressividade, mas na telona ficou exagerado, como uma caricatura do protagonista. Pode ter sido um erro de atuação  ou uma escolha da produção, mas poderia ter sido melhor.

Dylan  O' Brien com uma expressão no rosto

Aos apaixonados por aventura e ficção científica, eu (super) recomendo. E definitivamente: o filme é uma "corrida", dos Cranks, do C.R.U.E.L. . Ou seja, prepare-se para ficar sem fôlego com os clareanos. 




Comentários via Facebook

1 comentários:

  1. Oi querida,
    Fui assistir a esse filme no final de semana e gostei bastante, ainda não consegui ler o segundo livro estou com ele aqui em casa, mas acredito que deve ser ainda melhor que o filme.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com

    ResponderExcluir

© Fundo Falso | Por Andréa Bistafa – Desde 2010 - Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in