✓ Resenha: O Retorno de Izabel - J. A. Redmerski

quinta-feira, 13 de agosto de 2015




Sinopse: Determinada a levar o mesmo estilo de vida do assassino que a libertou do cativeiro, Sarai resolve sair sozinha em missão, com o propósito de matar o sádico e corrupto empresário Arthur Hamburg. No entanto, sem habilidades nem treinamento, os acontecimentos passam muito longe de sair como o planejado. Em perigo, Sarai nem acredita quando Victor Faust aparece para salvá-la — de novo. Apesar de irritado pelas atitudes inconsequentes dela, ele logo percebe que a garota não vai desistir de seus objetivos. Então não há outra opção para ele a não ser treiná-la. Com tamanha proximidade, para eles é impossível resistir à atração explosiva. Nem Victor nem Sarai podem disfarçar o que sentem, ou negar o desejo que os une. No entanto, depois de tantos anos de sofrimento e tantas cicatrizes emocionais, será que eles conseguirão lidar com um sentimento como amor? Só que Sarai — novamente na pele de Izabel Seyfried — ainda terá que passar por um último teste; um teste para provar se conseguirá viver ao lado de Victor, mas que, ao mesmo tempo, poderá fazê-la questionar os próprios sentimentos e tudo que sabe sobre esse homem.

Título: O Retorno de Izabel
Autor: J. A. Redmerski
Editora: Suma
Pág. 232
Melhor preço: R$20,32
Classificação: 9,9 (Excelente!)






Contém spoiler do livro anterior!

Apesar de Sarai levar uma vida normal após ter fugido da fortaleza do México, continua vivendo uma mentira. Sua quase mãe, Dina, sua melhor amiga, Dahlia, e seu namorado, Eric, não são suficientes para fazê-la tirar Victor da cabeça. Tudo o que ela mais deseja é viver novamente a vida perigosa com o assassino, que se tornou totalmente incomunicável após lhe dar uma vida nova no Arizona.

“Nunca vou poder contar que, depois de tudo pelo que passei, depois de tudo o que vi, o que mais quero é fazer as malas e voltar para aquela vida perigosa. A vida com Victor.” (p. 6)

Mas este não é seu único problema. Desde que foi salva, não consegue passar um dia sequer sem elaborar planos para invadir a mansão de Arthur Hamburg e matá-lo. Está tão determinada a isso que, mesmo sozinha, decide viajar para a Califórnia para acertar suas contas com o homem nojento responsável por tantas mortes.

“Não posso esquecer. A necessidade de matá-lo é como uma coceira no meio das costas. Não posso alcançar naturalmente, mas vou me curvar e torcer os braços até doerem para coçar.” (p. 18)

Quando Sarai viaja para a Califórnia, entretanto, tudo começa a dar errado. Acompanhada de Dahlia e Eric e vivendo uma vida dupla, a garota não arrisca apenas sua vida, mas envolve todos que conhece em uma briga de assassinos. Sua vida falsa rapidamente acaba e, mais uma vez, Victor surge como um herói para salvá-la.

Mas é claro que o confronto com Hamburg é apenas o começo quando Victor arranja problemas com a Ordem e decide incluir Sarai em suas missões, entre elas assassinar um poderoso traficante venezuelano.

Victor está muito diferente neste livro. Deixou grande parte de sua frieza para trás e, em muitas cenas, se comporta como um completo apaixonado, pelo menos para Sarai, embora todos ao seu redor percebam como o assassino está mudado.

“Por 28 dos meus 37 anos de vida, a única coisa que conheci foi a Ordem. Só conheci disciplina e morte. Nunca conheci amizade ou amor sem suspeitas e traições. Fui... programado para desafiar as emoções e ações humanas mais comuns, mas eu... Só quando conheci Sarai me permiti acreditar que Vonnegut e a Ordem não eram minha família, que me usaram como seu soldado perfeito. Eles me negaram a vida toda os elementos que nos tornam humanos.” (p. 89)

Sarai, por sua vez, está muito mais madura, deixando qualquer resquício de insegurança para trás, assumindo características tão frias quanto às de Victor, além da enorme determinação e persistência, mesmo que seja para se tornar também uma assassina. Não apenas à vontade com a ideia, ela também deixa claro que gosta de matar homens maus e do estilo de vida criminoso que deseja viver, junto a Victor, é claro. Sarai, a escrava sexual presa na fortaleza não existe mais, pois Izabel, a assassina, tomou o seu lugar.

“Sarai já está ficando mais dura. Já é inflexível quanto aos próprios erros e não deixa que eles a definam. E, para ter certeza de que não os repetirá, abandona as únicas coisas que lhe restam.
Sua humanidade.
Sua consciência.” (p. 717)

Se você acha que uma história sobre assassinos não pode ter cenas hot, está enganado rs. O Retorno de Izabel tem cenas bem picantes, mas, obviamente, não é nenhum Cinquenta tons de cinza.

A continuação de A Morte de Sarai foi muito bem elaborada, trazendo personagens mais maduros e muitos conflitos, além do nítido romance entre Sarai e Victor. Achei uma ótima continuação e fiquei muito satisfeita com o final (é normal torcer pelos assassinos se eles não forem tão malvados assim, né? rs).

A história também mostra o outro lado das mortes, afinal, em todas as histórias de super-heróis há o mocinho e o vilão, por que no caso de assassinos também não haveria?

“[...] A Ordem de Victor só trabalha com crime, ameaças sérias a um grande número de pessoas ou ideias que poderiam ter um impacto negativo na sociedade ou na vida como um todo”. (p. 46)

A narrativa é em primeira pessoa, intercalada entre Sarai e Victor, predominando a narrativa de Sarai. Dessa forma conhecemos os dois pontos de vista, apesar de neste livro ambos terem perspectivas parecidas, o que não ocorreu no livro anterior.

Os cenários são mesclados principalmente entre México e Estados Unidos, com cenas em diversas cidades, o que resulta dos personagens serem perseguidos por poderosos assassinos.

A diagramação está ótima, mas dois errinhos de revisão passaram despercebidos.

“Parece que fomos feitos um para o outro, como duas peças de um quebra-cabeça que de início parecem não se encaixar, mas se adaptam perfeitamente quando vistas pelo mais improvável dos ângulos.” (p. 66)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Oi Amanda!!!!

    Não li a resenha por causa dos spoilers, já que não li o livro anterior.
    Contudo, tenho muita vontade de ler esses livros, todas as resenhas que li, falam super bem da obra!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.