✔ Resenha: Eu Te Darei o Sol - Jandy Nelson

domingo, 30 de agosto de 2015

Sinopse: Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia.
Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém.
Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.
Título: Eu te darei o sol
Autora: Jandy Nelson
Editora:
Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 384



Eu Tive o prazer de me encantar com Eu Te Darei o Sol já tem um tempinho, fiz a resenha lá no Conversas de Alcova e esse livro é tão encantador que eu acho que valeria a pena trazer essa resenha aqui pra vocês também. Nunca tinha lido nada da Jandy Nelson e inicialmente não foi uma leitura fácil, não porque a história não prendeu, ela prende (na verdade ela nos trança junto aos meninos nos cabelos de Judy), meu problema foi mais com a métrica dos capítulos que são bem extensos, coisa que eu não estou muito habituada, e mesmo assim a leitura fluiu muito bem e o enredo mostrou-se exatamente o tipo de história que eu gosto.

Eu Te Darei O Sol é uma história sobre descobertas, sobre perca e perdão. Ela nos mostra (no caso nos lembra) o quanto a infância pode ser dura e perigosa para quem foge aos padrões e que a vida não é a mesma coisa quando a gente tenta ser quem a gente não é. O livro mostra também o quanto ser pai e mãe é difícil e que às vezes por um mero deslize podemos causar grandes problemas entre nossos filhos e bagunçar a nossa casa.

A história é contada se dividindo por duas perspectivas ao longo de duas épocas diferentes. Ora vemos as coisas pelos olhos de Noah quando eles estão com 13 anos e depois vemos as coisas pelos olhos de Jude quando eles estão com 16. Ah, esqueci de dizer eles são um casal de gêmeos. Então, como é algo comum entre irmãos eles se amam, mas competem muito entre si pela atenção dos pais. Então para destrinchar os personagens eu preciso falar deles em suas duas fases.

Fase 1 -
Noah é um garoto recluso, está em fase de descobertas em relação a sua homossexualidade, é um exímio artista, vive e pensa como tal e acaba sofrendo Bullying por causa disso.
Jude é a garota perfeita, linda, forte, determinada e destemida. Em pleno auge da adolescência também está em conhecimento da sua sexualidade e seus longos cabelos loiros encantam os garotos ao longo da costa. É uma eximia esportista, surfista, aventureira e popular entre os seus amigos. Não tem o mesmo dom de Noah pra pintura, mas cria excelentes estátuas de areia que esconde só para si pois não tem aspirações em relação a arte.
Fase 2 -
Jude é uma garota reclusa e supersticiosa, cortou os longos cabelos se veste com "sacos de batata" (?) e seu único amigo é o fantasma da sua avó. Estuda na escola de arte, mas não dá sorte com suas esculturas de argila que acabam sendo sempre quebradas.
Noah é agora o garoto perfeito, lindo e popular, namora uma das meninas que foi amiga da sua irmã e agora é destemido. Desafia-se sempre a mergulhar do cume mais alto. Não desenha mais.

Por causa dos dons  artísticos Noah tem mais afinidade com a mãe e acredita que o pai não gosta dele devido a sua delicadeza. Enquanto Jude por causa da facilidade nos esportes acaba tendo mais afinidade com o pai e acha que a mãe a despreza por preferir a Noah. E é ai que as coisas entre eles começam a desandar.
Porém, a sinopse do livro me fez pensar algo totalmente diferente. Apesar das desavenças a coisa mais notável durante toda a narrativa é a cumplicidade entre os irmãos, a maneira que eles se conhecem e se completam. Ambos nos cativam, cada um ao seu modo.
O engraçado é que nas partes narradas por Noah você odeia um pouco a Jude, mas na parte narrada por ela você passa a ama-la também. Jude é mais madura que Noah, apesar de um pouco tresloucada. A parte do livro que trata da homossexualidade é sutil e bela, de uma delicadeza encantadora. Encaminha o leitor a uma bela reflexão sobre o que é a experiência de descoberta para um jovem gay, o medo que ele sente, a auto-aceitação, entre outras coisas.
Tudo nesse livro é uma grande lição, para jovens e para adultos, o primeiro amor, a perca da virgindade, a primeira decepção, a discriminação, o segundo amor, mas eu não posso falar sobre tudo para não dar spoiler. Leiam tenho certeza de que não irão se decepcionar.


Por fim, só cabe a mim dizer que o livro faz jus a todos os prêmios que ganhou, não sou nenhuma crítica de renome mas não precisaria sê-lo para dizer. Eu te darei o sol é uma história encantadora e escrita nas doses certas para que possa ser uma história realista. A Narrativa da Jandy traz em si uma carga emocional tão complexa que lhe torna um best seller para todos os públicos. Como a Gayle Forman disse: "Não é apenas o melhor Youg Adult", Eu te darei o sol é muito mais.

Recomendo a leitura a todos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Oi Kris!

    Tbm fiquei encantada qdo vi este livro na livraria, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo!
    Adorei sua resenha, pode ter certeza que já foi para minha lista de desejados!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.