✓ Resenha de Filme: O Jogo da Imitação

domingo, 9 de agosto de 2015

Título Original: The Imitation Game
País de Origem: Estados Unidos da América, Reino Unido, Irlanda do Norte 

Gênero: Drama, Biografia
Duração: 114 Minutos
Ano de Lançamento: 2014
Atores de destaque: 
Benedict Cumberbatch,
Keira Knightley, Alex Lawther                                       
Filmow: O Jogo da Imitação 4.3

Sinopse: Baseado na história real do lendário criptoanalista inglês Alan Turing, considerado o pai da computação moderna, narra a tensa corrida contra o tempo de Turing e sua brilhante equipe no projeto Ultra para decifrar os códigos de guerra nazistas e contribuir para o final do conflito.






Os alemães com sua máquina criptografada chamada Enigma, tinha um sistema seguro e diariamente mutável de comunicação. Entretanto, era um concorrência desleal com a Tríplice Aliança desprovidos de qualquer tecnologia semelhante, e pior: sem nenhuma pista dos próximos ataques dos aliados. A cidade de Londres era frequentemente bombardeada, e finalmente surge um projeto de interpretação da complexa máquina. 

Alan Turing foi um dos matemáticos inicialmente escolhidos para tal feitio. Benedict Cumberbatch dá vida a um homem de inteligência brilhante e simultaneamente muito introspectivo. A postura e o modo de falar casam perfeitamente com as ações de um cientista perfeccionista que posteriormente veio a ser conhecido como o pai da computação. Isto porque, a descoberta do modo de funcionamento da Enigma se deu através da criação de uma outra máquina, a Christopher, que tem muito em comum com os computadores atuais. 




Os demais cientistas e matemáticos contratados após Alan são bons personagens, apesar de juntos formarem uma equipe tão "mais do mesmo" quanto uma dupla de detetive e assistente. Os atores escolhidos conseguem transmitir bem as mensagens, principalmente Matthew Goode que discorda o tempo todo de Alan e suas ideias. A única mulher da equipe é interpretada por Keira Knightley, que dá um verdadeiro show com frases de efeito e ideais feministas.



A temática homossexual surge juntamente à homofóbica, já que Alan era gay e naquela época tal "conduta" era proibida por lei no Reino Unido. Inclusive um casamento falso com sua colega de trabalho acontece, mas nem por isso ele escapa da castração química que contribuiu para sua morte precoce.

Sempre tive uma certa aversão aos filmes ambientados na Segunda Guerra Mundial, mas este me ganhou justamente pelo fato de se passar nesta época. A ambientação é impecável e os ambientes com tijolos expostos e tons amarronzados, além dos figurinos de inverno e dos uniformes militares agradou muito meu estilo retrô. Os esforços para conseguir deixar o filme parecidíssimo com a realidade são visíveis e fizeram efeito.


Além de ser uma ótima pedida para os amantes de ciência, também pode agradar aqueles que gostam de filmes dramáticos e briográficos. Eu escolhi assistir pelos dois motivos e não me decepcionei em nenhum destes aspectos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. Oi Mylane!

    Quero muito assistir este filme, to só esperando um tempinho vago aqui e vou logo conferir!
    Adorei sua resenha, ficou maravilhosa!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito surpreso no final. O interessante é que O jogo da imitação, em princípio, parece-II Guerra Mundial. Tem soldados, tanques, ecos de bombas, a sombra de Hitler. Avanços, percebemos que abrange mais do que um evento histórico. abrangido pela presente de nossas vidas. Alan Turing foi um herói injustamente esquecido. Turing não existiria sem Bill Gates ou Steve Jobs não teria existido. Mesmo algumas lendas atribuído à Apple Turing Wolf.

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.