✓ Resenha: Onde Deixarei Meu Coração - Sarra Manning

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014




Sinopse: Simples, careta e sem graça. É assim que Bea se vê. Então quando a super descolada Ruby e seu bando de populares passam a se interessar por sua opinião, isso só pode ser uma pegadinha. Certo? Pelo menos é assim que sempre acontece nos filmes... Mas o convite para passarem as férias em Málaga parece pra valer. E com um bônus: Bea pode se afastar da mãe irritante e controladora. No entanto, depois de apenas 48 horas na Espanha, Bea se flagra mudando o itinerário. A menina decide visitar Paris para encontrar o pai que nunca conheceu. Afinal, a cidade luz pode emprestar um pouco de clareza a um período nebuloso de sua vida familiar. No caminho, ela conhece Toph, um estudante americano mochilando pela Europa. Enquanto procuram pelo pai dela nos cafés e boulevards de Paris, ela perde a cabeça em vez disso. Será que Bea é a garota de Toph ou a boa menina que sua mãe espera que ela seja? Ou será esse o verão mágico em que Bea finalmente torna-se dona do próprio nariz?


Autor: Sarra Manning
Editora: Galera Record
Pág. 336
Melhor preço: R$21,76
Classificação: 10 (Excelente!)



 “Normalmente, não sou do tipo de garota que faz coisas loucas, idiotas ou irresponsáveis. [...] Vamos encarar, ninguém pode ser entediante e perfeita como eu e não enlouquecer pelo menos uma vez. Mas eu não podia enlouquecer em um ambiente seguro e controlado. Não, eu tinha que enlouquecer em uma estação de trem em Málaga.” 

Bea é uma adolescente inglesa de 17 anos que se acha a garota mais sem graça do mundo. Ela é toda certinha, bem comportada, boa filha e boa aluna na escola, mas talvez, só seja assim porque não saiba ser diferente. Mantém uma rotina diária de estudos, trabalha aos sábados de manhã e fica de babá para seus irmãos gêmeos aos sábado à noite, todos os sábados.  Sua mãe tem apenas o dobro da sua idade e, por ter engravidado cedo, seu maior medo é que aconteça o mesmo com a filha, por isso ela é super protetora e dificilmente deixa a filha sair ou ter, como ela diz, uma vida social.

Bea tem a auto-estima baixa e se considera careta. É fascinada pela França, pelas aulas de francês e pela culinária francesa, pois seu pai era um estudante Francês que, infelizmente, abandonou sua mãe assim que ela engravidou, portanto Bea nunca o conheceu, embora ir a Paris por causa de seu pai seja sua obsessão e seu maior sonho.

Certo dia, Ayesha, uma antiga amiga de Bea, aparece inesperadamente em seu horário de almoço do trabalho e se aproxima da garota como se nada tivesse acontecido, embora elas tenham brigado anteriormente e Ayesha tenha deixado sua amizade de lado para ser melhor amiga de Ruby, que é simplesmente a garota mais popular do colégio. Ruby também se aproxima de Bea e a convidam para ir para a balada no sábado.
É claro que sua mãe não a deixaria ir, porém sua avó - a avó Minor - a convence e Bea acaba indo mesmo que não esteja com muita vontade, pois não consegue dizer não a Ayesha. As garotas vão para a festa - Ayesha, Ruby, Emma e Chloe - onde ficam o tempo todo tentando arranjar garotos para Bea dar uns amassos. Como se não fosse o bastante, ainda a convidam para viajar para Málaga, na Espanha, e é claro que sua mãe só a deixa ir depois que a mãe de Ruby a convence.

Entretanto, quando Bea vai para a viagem, as verdadeiras intenções das garotas aparecem e talvez elas não estejam tão interessadas assim em sua amizade. Frente à nova situação, Bea se descobre muito mais independente, madura e, convenhamos, nada sem graça. Em uma reviravolta, Bea acaba em Marselha, não antes de se vingar das meninas, com seis novos amigos americanos - Erin, Jess, Bridget, Aaron, Michael e Toph - vivendo experiências jamais imaginadas e indo em busca de seu sonho e de seu pai em Paris, descobrindo muito sobre si mesma e seu passado. Muitas emoções acompanharão a garota por Paris, onde vivencia desde a descoberta sobre seu pai até seu primeiro amor.

 “Esse era o lance de ser chata e sem graça e não ter coragem. As pessoas presumiam que era seguro falar todo tipo de crueldade que deviam ter guardado para si mesmas porque nunca imaginavam que você teria a ousadia de contar para alguém. Mas estava tudo ali. A verdade absoluta e incontroversa soletrada com caneta de feltro com códigos de cor, aspas e um organograma fácil de seguir.”

A capa é linda e chama a atenção logo de imediato. A linguagem é bem adolescente, repleta de gírias e menções a marcas e personalidades da moda. A leitura flui muito rápido, é fácil e gostosa, feita em primeira pessoa, é realmente é difícil parar de ler! Confesso que por não ser meu estilo de leitura favorito, tive certo receio quanto à história, mas simplesmente amei e não esperava uma leitura tão envolvente. 

O tema é um mistura da vida adolescente, com paqueras, amigos e rebeldia, junto com uma verdadeira história de vida, em um cenário que complementa a beleza da leitura. Os personagens são bem caracterizados e descritos, desde os familiares de Bea, as amigas - ou inimigas - e os garotos que aparecem no caminho, sem contar a própria personagem principal que simplesmente nos encanta. 

A diagramação e a revisão também não deixaram nada a desejar. Entretanto, aqui vai um alerta: prepare seus lencinhos de papel! É impossível não se emocionar com a história de Bea e morrer de amores por ela!

 “Este ano eu aprendi que a vida não tem esses finais bonitos e arrumadinhos que você pode embrulhar com um laço. É mais bagunçado que isso.”

Só para constar, esse livro em titulo original chama-se Nobodys Girl (Garota de Ninguém em tradução livre.)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 comentários:

  1. Oi flor, tudo bem?

    Eu adoro a escrita da Sarra, o mais recente que li dela foi A Caminho do Verão e amei. Esse só estou lendo resenhas positivas sobre ele e já quero, anotei na lista de compras do ano que vem.

    Amei a sua resenha ,ela só me deixou mais empolgada.


    https://ateliedoslivros.blogspot.com.br


    bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Amanda!

    Olha! Fazia tempo que eu não via um 10 por aqui! rsrsrsrsrrsrs
    Tbm adorei a capa, a sinopse não havia me chamado tanto a atenção, mas como temos gostos parecidos, achi que eu tbm iria gostar da leitura!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  3. Olá Amanda!
    Eu estou a tempos querendo este livro gracioso e a cada resenha que me esbarro falando sobre ele o desejo de tê lo aumenta mais.
    Beijokas e boas festas ;)

    ResponderExcluir
  4. Olá, Amanda.

    Já li resenhas desse livro que as pessoas amaram e outras que nem tanto. Eu ainda não me decidi se irei ler ou não. Mas essa capa é super linda e a sua nota me deixou mais animada. >.<

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá Amanda
    Li algumas resenhas , mas nenhuma que me deixassem tao curiosa pelo livro quanto a sua, Vou pela sua avaliaçao :D

    ResponderExcluir
  6. Depois dessa, eu com certeza vou ler esse livro!!!

    http://madnesshoujo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. O Livro é muito interessante ,em certos casos muitas meninas se sentem assim ,Normal de mas e ficam até se sentido sozinhas no mundo !

    ResponderExcluir
  8. Acho a capa super fofa e fiquei interessada desde o lançamento.
    Não sabia que era uma trama com adolescentes, estou um pouco sem paciência para eles no momento...

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.