✓ Resenha: O Rei - J.R. Ward

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014



Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma furiosa guerra entre vampiros e seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por guerreiros vampiros defensores de sua raça. Depois de recusar seu trono por séculos, Wrath finalmente assumiu o manto de seu pai – com a ajuda de sua amada companheira. Mas a coroa pesa fortemente em sua cabeça. Enquanto a guerra com a Sociedade Redutora continua, e a ameaça vinda do Bando de Bastardos está prestes a acontecer, Wrath é forçado a fazer escolhas que colocam em risco tudo e a todos. Beth Randall pensou que sabia em que estava se metendo quando ela se relacionou com o último vampiro puro-sangue no planeta: não seria nada fácil. Mas quando ela decide ter um filho, percebe que não está preparada para a resposta de Wrath – ou o afastamento que essa decisão criaria entre eles. A questão é: o amor verdadeiro vencerá... ou será derrotado pelo passado sombrio?


Título: O Rei (#12 Irmandade da Adaga Negra)
Autor: J.R. Ward
Editora: Universo dos Livros
Pág. 624
Melhor preço: R$28,32
Classificação: 10 (Excelente!)





Esse último lançamento da série Irmandade da Adaga Negra nos trás de volta como protagonista Wrath, que estrelou o primeiro volume da série, com ele virão as angústias e o peso de assumir o lugar de seu pai no trono. Lugar esse que ele relutou um bocado para assumir. Aqui os fatos se desenrolam por volta de 2 ou 3 anos após o primeiro livro.

Wrath sempre foi responsável com seu povo, mas agora ele será forçado a fazer escolhas que podem colocar todos em risco. Toda essa responsabilidade está pesando demais, logo que juntada a seu problema de saúde e o fato de sua esposa Beth querer desesperadamente um filho. Um filho ele jamais aceitaria, logo que para as mulheres de sua raça ou, no caso, de sua Leelan que era mestiça, a gravides é muito perigosa e ele não correria o risco de ficar sem sua amada. Logo Beth começa a se sentir traída, sem a confiança e parceria de Wrath, sem poder ter o que mais quer na vida, um pedacinho de seu amado e inevitavelmente a distancia acaba surgindo entre eles.

Enquanto o casal passa por uma pequena crise, integrantes do conselho se juntam para tentar tirar Wrath do trono, alegando que Beth não pode ser rainha já que ela é mestiça. Não demora muito e Wrath recebe uma notificação, e logo seu reinado estará em risco.

Agora será a vez de Beth ser a super companheira, guerreira ao lado de seu amado, domando seus extintos e mostrando como tudo pode ter uma saída sem que haja necessariamente uma guerra. Enquanto Wrath continua o mesmo apaixonado, aceitando agir com diplomacia pela esposa. Fazendo dela uma luz em sua vida que diminuiu a escuridão em sua alma.

"Sim Beth pensou. Porque era isso o que a Irmandade e as suas famílias eram. Próximos como irmãos, mais unidos do que o sangue, porque escolheram ser assim."

Esse décimo segundo livro fez uma volta as origens desse querido personagem, aproxima Wrath de seu pai através de flashbacks, mostrando que eles tem mais em comum que pensavam. São três séculos de reinado cheio de conflitos políticos e questões sociais.

Aqui também houve mais interação entre os personagens e diálogos mais reais. Todos os irmãos são citados, mesmo que em pequenas passagens, isso fez esse volume ganhar um ponto a mais em relação aos demais. Temos mais do convívio na mansão, temos mais do dia a dia, nos sentimos dentro daquela atmosfera. Um livro bem mais denso que os anteriores.

Só para relembrar onde cada personagem se apresenta:

Rhage e Mary   -  livro 2  Amante Eterno
Zsadist e Bella  - livro 3 Amante Desperto
Buch e Marissa - livro 4 Amante Revelado 
Vishous e Jane - livro 5 Amante Liberto 
Phury e Cornia  - livro 6 Amante Consagrado 
Rehv e Ehlena   - livro 7 Amante Vingado 
John e Xhex       - livro 8 Amante Meu 
Manny e Payne - livro 9 Amante Libertada 
Tohr e Autumn   - livro 10 - Amante Renascido 
Blay e Qhuinn    - livro  11 - Amante Finalmente 

As cenas de ação não são tantas como estávamos acostumados, nesse livro o foco é mais politico digamos, e as batalhas mais "intelectuais", o que não faz desse um livro menos interessante que os outros, pelo contrário, ele vem para fechar mutias pontas soltas e aprofundar algumas relações.
Temos aqui uma mudança na forma de narrar, alterações na narrativa entre os capítulos estará mais constante, portanto prestar atenção para não perder o fio da meada é importante. 

Teremos mais de IAN? Acredito que sim, apesar da autora ter fechado suas pontas abertas, trouxe como de costume, mais três histórias paralelas sem desfecho. Essas histórias são fora da trama central, mas tão boas quanto. Li em uma entrevista da autora que o próximo livro "Os Sombras" trará Trez e iAm (personagens desses contos dentro da história)
O Rei tem qualidade equivalente aos três primeiros da série, e acredito que veio para "fechar" em partes a trama toda envolvendo a Irmandade. 

Ela nunca foi uma daquelas meninas bobas que ficava sonhando com o Príncipe Encantado ou com um casamento de conto de fadas ou qualquer dessas bobeiras dos musicais da Disney. Mas, mesmo para alguém que não tinha ilusões e nenhuma intenção de se casar, se ela se imaginasse com alguém, nunca seria com um homem como Wrath, filho de Wrath, o Rei de uma raça que, até a poucos anos atrás, não passava de um mito de Halloween para ela.
No entanto, aqui estava ela, de quatro por um assassino mandão, que tinha o vocabulário de um caminhoneiro, vindo de uma linhagem real tão longa quanto seu braço, e com atitude suficiente para fazer Kanye West parece um coelhinho.

Como em todos os livro da série Irmandade da Adaga Negra, este também trás muitas cenas de sexo quente, violência e drama, que a meu ver é a fórmula perfeita. 

Para os fãs da série, assim como eu, recomendo totalmente, são muitas páginas, todas eletrizantes do princípio ao fim, prendendo totalmente nossa atenção. E para quem não leu todos os anteriores recomendo que corra ler, agora!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

5 comentários:

  1. OMG! Quanto livro!
    Eu tenho muita vontade de ler essa série, o que me falta mesmo é dinheiro! kkkkk

    Adorei a resenha, espero que eu possa lê-los algum dia...

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Ai eu sou doida,pirada nesta Irmandade da Adaga ;)
    Pedi o primeiro e tô no aguardo pra que chegue logo,só ouço e vejo coisas boas sobre estes.E eu amo tudo sobre vampiros kkkk.
    E vendo estes livros lindos na cadeira é de pirar e aumentar a vontade de ler,mandou bem na resenha Flor.
    beijo.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Karen.

    Nessa Black Friday eu comprei o primeiro livro e estou bem animada com a leitura. Espero quem sabe até o final de 2015 conseguir chegar ao Rei. Lerei um por mês, já tenho os dois primeiros. Gostei disso, vai ser minha meta do ano que vem chegar ao final do ano e ler O Rei.<3
    Não li totalmente a sua resenha por causa de spoiler, mas adorei a nota dada. <3

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Nossa Nunca li este livro ,mas parece ser om ,Para vocês verem mulher sempre ajuda homens e quando quer ,ela faz até com que seu homem suba na vida .Adorei O livro .

    - Bjos.

    ResponderExcluir
  5. Ah essa é a série que provoca tanto burburinho, rsrs.
    São 11 volumes, que extensa!
    Só que curte mesmo esse estilo pra embarcar nessa série longa.

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.