✓ Resenha: O Que Restou de Mim - Kat Zhang

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Sinopse: Addie e Eva são híbridas duas almas no mesmo corpo. Em sua realidade, todos nascem assim mas, ainda na infância, uma das almas torna-se dominante. Mas isso nunca acontecia com as duas. Considerados instáveis e perigosos, os híbridos foram perseguidos e eliminados das Américas. E quando o segredo delas é ameaçado, Eva e Addie descobrirão da pior forma que há muito mais sobre os híbridos do que os noticiários de TV e os livros de história contam.
Título: O Que Restou de Mim
Autor: Kat Zhang
Editora: Galera Record
Pág. 320
Melhor preço: R$23,80
Classificação: 9,2 (Ótimo)




Será que vai funcionar?

O Que Restou de Mim, lançamento da editora Galera Record, promete nos trazer uma distopia um pouco diferente do que já conhecemos.
Temos um cenário futurista, uma América dividida e separada do restante do mundo. Aqui foi erguida uma sociedade mais próxima do normal, de como conhecemos hoje digamos.
Entretanto a diferença está em que, antes da guerra todos que habitavam o planeta tinham duas almas e um único corpo. As duas almas dividiam a controle, alternando em comunhão quem domina os movimentos e quem apenas coexistia. Por algum motivo do qual ainda não sabemos, o governo dos Estados Unidos levantou uma revolução, uma grande guerra onde todos os híbridos do pais foram exterminados.
Addie e Eva vivem nessa nova fase, onde é permitido pelo governo apenas uma alma por corpo. O que ninguém sabe é que Eva continua ali. 
Normalmente a partir dos cinco anos as crianças começam a se definir, uma das almas vai enfraquecendo enquanto a outro toma posse definitiva do corpo, e assim, um morre e o outro continua a vida, o que é completamente normal. Mas não para Addie, ela não sente vontade de se livrar de Eva, e muito menos Eva quer simplesmente desaparecer, com isso passam a viver com esse segredo. Eva já muito fraca não consegue mais ter controle sobre o corpo, estando somente ao lado de Addie, em sua mente, sendo boas amigas, mais que isso, irmãs.
O problema surge quando elas conhecem Hally que também é hibrida, ou seja, são duas almas em um corpo. Hally irá apresentar à Addie e Eva uma perspectiva totalmente diferente do que elas viveram até hoje, e até mesmo pretende ensinar Eva a controlar o corpo físico novamente. E claro que então irão se meter em um grande problema quando descobertas pelo governo e encaminhadas a "cura".

Mas porque mencionei no inicio, será que vai funcionar?

Porque a ideia é realmente boa e original, só li algo parecido em "Interligados" da autora Gena Showalter onde o protagonista convive com quatro almas no corpo, mas a proposta é totalmente diferente. 
Sendo assim tão original não achei que a autora conseguiu desenvolver bem a ideia. 
Posso fazer mil indicações boas para esse livro como a ótima narrativa, e a curiosidade permanente de entendermos como tudo aquilo é possível, o porquê e até onde vai. O enredo é realmente bom, mas preciso fazer críticas sobre ele, onde o que mais me deixou decepcionada foi a falta de maturidade dos personagens. Os pais de Addie e Eva acompanharam todo o drama das filhas na hora em que deveriam se definir, correram atrás e lutaram para prazos estendidos e conseguiram ficar com as filhas, mas é obviou que as duas estão ali, mas os pais simplesmente fingem não saber disso para viverem em paz; até ai tudo bem, mas de repente pais tão determinados se tornam muito passivos, abrindo mão de tudo que lutaram para simplesmente abandonarem Addie a própria sorte na clínica de "recuperação", como se todo sentimento que tinham tivesse simplesmente sido esmagado, isso me deixou muito triste.
Personagens que começaram muito determinados acabaram quase sumindo da metade pra frente. Os vilões não meteram o medo que a autora gostaria que eles tivessem metido, eles fazem coisas e tomam atitudes não condizentes com o contexto aplicado. 
Em contra partida temos uma protagonista que amadurece e ressalta como as duas almas podem ser tão diferentes, personalidade e expressões bem distintas.

Claro que existe um romance muito fofo e sútil próprio dos ya's, que irá surgir entre Eva e Ryan (que é irmão de Hally) e o toquezinho de conflito que existe no casal é que Addie e Devon, as outras almas envolvidas nesses corpos, se detestam! É muito gostoso vem o crescimento de Eva quando está na presença de Ryan, e como ela torce para ser ele o dominante quando se encontram!

Durante a narrativa é preciso ficar atenta para não se perder, principalmente no início enquanto ainda não estamos acostumados com a narradora, que é Eva o tempo todo, se referindo a um único personagem como eles ou elas.

Eu quero lembrar que esse é o primeiro volume de uma trilogia, e eu realmente não sei o que esperar dos outros. Eu realmente acredito que a trama pode ser imensamente explorada ainda e que a autora irá aprimorar os erros desse primeiro, ou até mesmo explicar que esses "erros" foram propositais.
Eu pretendo com certeza ler o restante da trilogia, pois tudo que eu possa avaliar como irregular é engolido pela ideia, adorei a trama e quero muito que a autora capriche nos próximos! Principalmente por ter sido citado nossa Amazônia em um grande bombardeio, ardendo na Revolução!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 comentários:

  1. Achei interessante o livro e estava com vontade de lê-lo até você dizer que é o primeiro de uma trilogia, eu não sou muita fã de séries, principalmente as novas, as poucas que li, muito famosas inclusive, tem tanta encheção de linguiça para prolongar a estória que dá preguiça de continuar a leitura, a maioria pode ser feita em um livro único grande mas são espichadas sei lá por quê.
    Abraços

    http://chacomresenha.blogspot.com.br/2014/12/conheca-gravity-falls.html

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse livro, mas gostei bastante da resenha
    E quando o livro tem uma continuação é uma ótima oportunidade do autor melhorar e juntar as pontas soltas
    Gostei da dica
    Já estou seguindo ;)

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Achei meio nonsense demais. Gosto de distopias que tenham o pé no chão. E depois que você mencionou a fraqueza dos personagem aí, sim, que eu desisti de ler mesmo. Acho muito ruim quando os personagens são descritos de uma forma, mas suas atitudes não condizem com essa forma. Porque, afinal, são os personagens que seguram uma história, independentemente da trama (uma coisa que aprendi em uma oficina de Cinema e Literatura, haha).

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. OMG! OMG! Preciso dizer que necessito? Só por ser uma distopia já me ganhou!
    Adorei a resenha, nunca li nada assim, fiquei mega curiosa!

    Bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  5. Mandou bem na resenha,o livro me parece ser muito bom (mesmo com os pequenos erros que vc citou) e eu adoro distopias já irei colocar na minha lista que só faz aumentar.
    bjokas

    ResponderExcluir
  6. Olá, Andréa.

    Eu tinha visto a capa desse livro e me apaixonado por ela, e uma coisa muito doida eu cheguei a ler a sinopse, coisa que não tenho costume de ler. Achei bem interessante, mas como você disse é algo complexo. Espero ter a oportunidade de ler este livro, quero muito acompanhar essa nova distopia.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Nossa Este Livro é super maravilhoso ,Minha prima que também é viciada em livros como eu rs ,já leu também e disse que muito diferente de tudo o que ela já tinha lido ,é muito intenso e vamos observar também que a fraqueza da personagem vai deixando com que ficamos com mas vontade de ler,não tive a oportunidade de ler ainda ,mas queria muito ,muito ler .

    Bjos.

    ResponderExcluir
  8. É a primeira vez que leio algo desse livro e me surpreendi, imaginava algo totalmente diferente.
    Fiquei um pouco confusa e desanimada por ser trilogia.

    ResponderExcluir

Se você tem um blog, deixe o link, retribuo com carinho todos os comentários!

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.