✓ Resenha: O Último Homem Bom - A.J. Kazinski

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Sinopse: Uma série de mortes estranhas ao redor do mundo chama a atenção de um policial italiano. Todas as vítimas eram humanitários e apresentavam na pele uma marca desconhecida. Inicia-se assim uma investigação sobre o que parece ser o assassinato em série de um grupo de pessoas genuinamente boas e honradas. Juntos, o detetive dinamarquês Niels Bentzon e a astrofísica Hannah Lund embarcam na missão de descobrir o que está acontecendo.
Título: O Último Homem Bom
Autor: A. J. Kazinski
Editora: Tordsilhas
Pág. 480
Melhor preço: R$22,86
Classificação: 9,1




O Último Homem Bom é um thriller policial de qualidade, daqueles que você anseia pelo final, mas vou adiantar que você ira encontrar momentos de monotonia, explicações e questionamentos em excesso que podem causar aquela desaceleração no ritmo da leitura, porém a obra em si merece que você passe por esses trechos sem perder o interesse.

Mortes passaram a acontecer em várias cidades do mundo, pessoas relacionadas a cargos de ajuda humanitária, pessoas boas, que dedicam suas vidas a ajudar o próximo, passam a morrer sem causa aparente. Alguém estava matando todas as pessoas boas!

O detetive Tommaso da cidade de Veneza - Itália, foi o primeiro a desconfiar que houvesse uma ligação entre as mortes, pois todas as vítimas apareciam com uma tatuagem nas costas contento um número, porém seu superior, o comissário Morante, não acredita na sua teoria e o suspende, pois ele já havia alertado as autoridades dos outros países sem sua permissão. Mesmo suspenso Tommaso envia todos os documentos que possui sobre o caso para o  detetive Niels na Dinamarca com quem já havia falado por telefone, e passa a investigar possíveis vítimas.

Tommaso é um profissional muito detalhista e concentrado quando se trata da cena de um crime. Ele passa por um momento pessoal muito difícil pois tem sua mãe internada em uma clínica em estado terminal.
Niels é um detetive da cidade de Copenhague,  muito calmo e humano com as pessoas, geralmente é chamado em casos com reféns por ser  um ótimo mediador. Mas é muito discriminado dentro da polícia pois sofre de depressão e tem fobia de voos.
Hannah é uma astrofísica de Q.I elevado que vive no seu mundo, banhada pela tristeza recorrente a morte de seu filho, diagnosticado com esquizofrenia e o seguido abandono do marido.

Tommaso, Niels e Hannah, que se encontram ao acaso e juntos conseguem montar o quebra cabeça e desvendar muitos enigmas, unidos saem para uma corrida frenética tentando salvar as duas últimas pessoas previstas para morrer.

Um ponto diferente e muito interessante na obra são os relatos de atrocidades cometidas contra crianças em Serra Leoa, e como os humanitários tentam intervir e salvar algumas.
Também há relatos de experiência pós-morte, pessoas que foram consideradas mortas por vários minutos e depois voltaram. O livro é rico em conteúdo extra.

A estória se desenvolve de modo eletrizante com cenas surpreendentes e personagens marcantes e está corrida acaba com um final surpreendente e emocionante! Totalmente fora do clichê.

Só por curiosidade, Anders Ronnow Klarlund e Jacob Weinreich que, juntos, trabalham sob o pseudônimo de A.J.Kazinski são dinamarqueses! E este é o livro de estreia deles! Sempre bom fugir um pouco da literatura americana e descobrir grandes talentos mundo afora!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Oi Karen! Eu ganhei este livro em uma promo e já li tantas resenhas positivas sobre ele que não sei porque ainda não o li.... vou passá-lo na frente e em breve vou tbm desvendar esses crimes!
    Parabéns pela resenha, adorei!

    bjo bjo^^

    ResponderExcluir
  2. Nossa muito maneiro, adorei a resenha. Deu mó vontade de ler o livro, faz tempo que não leio um mistério... deu mó saudade agora XD
    http://coisasdebelaa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá Andrea, tudo bem??
    Primeira resenha que leio sobre este livo e confesso que adorei ter a oportunidade de conhecer e ler sua historia e apesar dele ter partes mais lentas, curto muito este gênero e com certeza seria uma leitura que me agradaria bastante.Sua historia me deixou muito intrigada e curiosa....
    Dica mais que anotada!!

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.