Resenha: A Amante Infiel - Jessica Brody

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014





Sinopse: Descubra os segredos de A amante infiel, o romance em que fidelidades serão testadas. Jennifer Hunter é uma belíssima mulher, mas com um trabalho pouco convencional. Com uma identidade secreta, ela ficou conhecida como Ashlyn e, nos últimos dois anos, tem sido contratada por esposas e namoradas desconfiadas para aplicar uma “inspeção de fidelidade” em seus parceiros. Porém, a vida dupla de Jennifer começa a cobrar seu preço e seus dias de inspetora de fidelidade parecem estar contados quando surge o sexy e elegante Jamie Richards. Mesmo sabendo que não há espaço para romances em sua vida, ela se vê atraída por ele e, aos poucos, vai se apaixonando. Mas antes que aposente sua identidade secreta pelo amor verdadeiro, ela assume uma última missão. Um trabalho que irá alterar para sempre suas percepções de confiança, honestidade e amor. 

Título: A Amante Infiel
Autor: Jessica Brody
Editora: Novo Século
Pág. 496
Melhor preço: R$22,16


"(...)nove homens de duzentos era 4,5%. E, sim, essa era uma estatística deprimente, mas é preciso pensar que o número de duzentos homens que estou lidando não é uma amostragem exata de todos os homens. Esses eram maridos, namorados e noivos de duzentas mulheres receosas e muito desconfiadas(...) Isso não significa que 95,5% dos homens vão trair se tiverem a oportunidade." - Pág. 304

Bem, eu não sei se gostei desse livro ou não! Ele foi um misto de prazer e insatisfação durante 10 dias! Não costumo levar tanto tempo para ler um livro (apesar de suas quase 500 pág.) mas A Amante Infiel em certos momentos não me descia. E para falar a verdade não acho que isso seja uma coisa ruim. Quando fechava o livro revoltada com uma história muito detalhada e cheia de voltas, ficava pensando no que viria, dormia e acordava penando nele, e lá voltava a difícil tarefa de termina-lo. Agora estou sentindo falta dele!
Tire suas conclusões!

Jennifer Hunter é uma inspetora de fidelidade. Alguém lembra do teste de fidelidade do João Kleber? rsrs É mais ou menos isso que Jen faz, ela inspeciona a intenção de trair dos maridos, noivos ou namorados. Contratada na maioria das vezes pelas esposas sob o nome de Ashlyn, faz uma pesquisa apurada sobre a vida de sua "vítima", todos seus gosto e preferências. Assim fica mais fácil atrai-lo.
Como lema Jen só seduz, não toma nenhuma atitude, apenas espera pelo convite. E claro, não chega a transar com os maridos, apenas chega até o momento onde notavelmente não seria mais possível ele desistir de sua traição.

Entre muitos casos que nos são apresentados durante a leitura, conhecemos os melhores amigos de Jen; Sophie, Zoe e John. Eles não sabem sobre sua "profissão". Jen deixa claro para a família e amigos que trabalho em um banco, e suas muitas viagens se dão as negociações importantíssimas.
Com sua vida dupla, fica difícil se interessar por alguém, ainda mais quando 95,5% dos homens são infiéis e ela sabe disso como ninguém.
A distância que mantei do pai, pela magoa causada aos 13 anos, e o sofrimento pelo qual fez passar sua mãe após um divorcio também não ajudam na confiança de Jen nos homens.
Até que um dia retornando de um de seus trabalhos, conhece Jamie Richards no avião. Do modo como ela mais detesta, conversinhas sem sentido. Ela havia tirado os fones apenas um segundo para responder a aeromoça e pronto, alguém já estava puxando assunto. Porém dessa vez foi diferente, a conversa se tornou agradável e acabou na troca de telefones.
O que será que o destino reserva para Jen? Como diria Zoe - Não brinque com a força do universo.

Parece uma ótima estória não? E é sem dúvida, só que eu resumiria esse livro em 300 páginas no máximo.
Acredito que a autora quis passar muito realismo, e realmente passou, pois agora não saberia dizer com certeza se li um livro ou vi um filme. Isso é bom, sim é ótimo, mas em excesso deixa a leitura cansativa demais. 

A estória tem tanta coisa, tanto acontecimento diário, que quando estamos a 100 páginas do fim, ainda temos uns cinco casos mal resolvidos, e você fica com aquele medo de nada acabar no final, e surpreendentemente o enredo fecha nas últimas 50 páginas!
Acredito que algumas coisas eu faria diferente, mas o final sem dúvida agrada.

Achei que quando fosse classificar, a nota final seria de 5 ou 6, mas juntando tudo de positivo que temos, surpreendentemente chegamos próximo a um 8!




Falando sobre a editora:
Gostei muito da diagramação e da revisão, quase impecável. A capa e as cores são lindas, com certeza seria um dos livros que eu compraria pela capa!

Entendem minha dúvida agora? rs
Recomendo? Sim, sem dúvida, para uma leitura despretensiosa e divertida. Ah e para quem não gosta, não se preocupe, apesar do tema não é hot, não tem cenas de sexo.

"Lembrei-me de quando eu estava na escola e meus professores sempre exigiam que escrevêssemos a lápis. Nunca podíamos usar canetas, porque não podiam se apagadas, não eram corrigíveis(...) O lápis, por outro lado, não era nada permanente: podia-se mudar, perdoar(...) E, mesmo ainda pequena, tudo o que eu podia pensar era: pelo menos, o borrão feio de caneta era honesto". - Pág.441


Apesar de todas as citações de músicas e filmes no livro, nenhuma delas fazem parte da vida de Jen realmente, mas como ela associa várias situações, achei bem legal lista-las;




Entre outras do Def Leoppard e Bon Jovi no qual não são citado nomes.

Filmes:
Uma Família da Pesada
Mulheres Perfeitas
Além da Imaginação
24 Horas
Tubarão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.