Resenha: A Última Carta de Amor - Jojo Moyes

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013


Nome: A Última Carta de Amor
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Pág. 384
Onde Comprar: Saraiva



Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento. Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.




RESENHA POR THAÍS

Ellie Haworth é jornalista e no atual momento vive um relacionamento bastante instável com um homem casado, se questionando constantemente sobre a reciprocidade deste amor.
Certo dia durante uma pesquisa no depósito do jornal onde trabalha, Ellie encontra uma antiga carta de amor, que a leva diretamente aos anos 60, na vida de Jennifer uma mulher casada, com um comportamento impecável perante a sociedade, e vivia uma vida boa ... pelo menos até sofrer um acidente que fez com que ela se esquecesse de muitos momentos de sua vida, inclusive dos momentos com o seu marido, o que a levou a pensar que talvez sua vida não teria sido tão boa assim.

" Quando você me olhava com aqueles olhos ilimitados, deliquescentes, eu me perguntava o que você podia ver em mim. Agora sei que isso é uma visão tola do amor. Você e eu não podíamos deixar de nos amar, assim como a terra não pode parar de girar em torno do sol."

A partir do momento em que conhece o jornalista Anthony O'Hare, Jennifer sente que jamais sentira nada parecido, acaba sendo uma explosão de sentimentos, algo inimaginável. E rapidamente se vê envolvida neste romance proibido, embalado por cartas contendo intensas palavras de amor, o que faz com que haja a imensa dúvida de se entregar a esta arrebatadora história de amor ou prosseguir com a sua vida bem sucedida e sua relação estável, o que era bastante relevante na época.

" Amo você de qualquer jeito - mesmo que não exista nenhum eu ou nenhum amor ou mesmo nenhuma vida; amo você."

" Se eu me permitisse amar você, isso me consumiria. Só existiria você. Eu viveria com medo de que você mudasse de ideia. E, se isso acontecesse, eu morreria." 

Ellie, em busca de respostas sobre esta história tão fantástica, se aprofunda cada vez mais no assunto, fazendo assim a busca das respostas não só do romance de Jennifer, mas sim, da sua própria vida amorosa.

" Saiba que você tem meu coração, minhas esperanças, em suas mãos."

Apesar de amar a tecnologia, sou perdidamente apaixonada pela boa e velha escrita com papel e caneta,  especialmente por cartas, e também amo histórias antigas, especialmente romances, então não preciso sequer mencionar a razão por este livro ter sido comprado não é ? É muito interessante a forma com que tempos tão distintos foram mesclados, e melhor ainda é perceber como o amor sempre teve a mesma intensidade - apesar das restrições e dos costumes - na vida das pessoas. A leitura é bem suave e fácil, tem frases incríveis em especial nas cartas, nos leva a atingir ápices de emoções, e é daquelas histórias que precisam ter um final clichê de tanto que esperamos por isso !
Vi muitas pessoas classificando este como o melhor romance, porém eu depositei grandes expectativas nele, aliás sou meio assim em tudo o que faço, e apesar de não tê-las alcançado não me arrependo por ter lido, e confesso que é uma das capas favoritas da minha coleção.

História:
 Capa:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.