Resenha: Destino - Ally Condie

sexta-feira, 9 de setembro de 2011


Nome: Destino
Autor: Ally Condie 
Editora: Suma de Letras
Pág. 240
Onde Comprar: Saraiva





Sinopse: Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável, um emprego seguro e a certeza da escolha do companheiro perfeito para se formar uma família. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar oficial no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu amigo mais querido, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há tantos anos -, tudo parece bom demais para ser verdade.Quando a tela se apaga, volta a se acender por um instante, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.


No futuro, a sociedade escolhe: Onde você mora. O que você come. Onde você trabalha. Como você se diverte. Com quem você se casa. Quando você morre.

|"Não. Tiro as imagens da minha cabeça. Não vou fazer isso de novo. A escolha está feita. Para início de conversa, eu nunca tive escolha.” pág. 96

Cassia está fazendo 17 anos e está pronta para o banquete do par. O banquete é uma espécie de cerimônia, onde cada menina será apresentada ao seu par através de um telão. Seu par ideal pode estar em qualquer cidade. Não é comum que o seu par seja alguém conhecido, mas naquela noite, o telão se apaga para Cassia, prolongando ainda mais o suspense, e quando volta lá está o rosto de Xander, seu melhor amigo.

Em uma sociedade onde você só tem a opção de seguir as regras e nada mais, nada seria mais reconfortante que passar a vida ao lado de alguém do qual você já conhece.

Todos que participam do banquete do par, após serem apresentados aos seus futuros maridos/esposas, saem com um chip, onde poderá acessar do terminal em suas casas, a ficha completa do seu par. É claro que Cassia não precisa disso, pois conhece Xander desde criança. No dia seguinte, resolve dar uma olhada nas regras de namoro, e é quando ao colocar o chip no terminal que a imagem de Xander pisca e revela um segundo rosto, o de Ky Markham.

Ky é considerado uma aberração para a sociedade, ele é filho adotivo, costumava viver fora das províncias, e seu passado é um mistério.
Doce e atencioso, não demora para que Cassia se sinta atraída por ele. Começam a surgir dúvidas em sua cabeça, mesmo depois do esclarecimento, do porque Ky estava ali no seu chip. Cassia começa a pensar que a sociedade talvez não quisesse realmente o bem de seus cidadãos

Existe toda uma trama muito mais profunda do que uma simples apaixonite adolescente nesse livro. O controle que a sociedade exerce sobre seus "súditos" é no mínimo interessante. Nem tudo é o que parece ser.

Não é determinado claramente em que data a história acontece, em certos trechos são citados poemas de Dylan Thomas que datam de 1914-1953, referindo-se há tanto tempo atrás.

O mais interessante nessa sociedade é a proibição da escrita manual. Não é permitido que os cidadãos criem nada, nem histórias, nem poemas, nem música. São restritos a tudo que foi selecionado pela sociedade, tudo aquilo que não incentiva a liberdade de expressão. Talvez uma releitura do período da ditadura, de um modo mais "bonito", com base na ilusão de uma vida plena.

Esse livro superou facilmente minhas expectativas, com apenas 238 páginas de história, passou muita coisa, me fez refletir bastante e me deixou simplesmente desesperada pela continuação!  Será Cassia Reyes, a nova Katniss Everdeen (Jogos Vorazes)? rs

História:
Capa:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Olá Andrea!!
    Gostei bastante da resenha :D Adorei, vou ler esse livro assim que tiver uma oportunidade *--*
    Achei esta temática dele bem diferente e isto despertou bastante minha curiosidade!!

    ResponderExcluir

Por Dentro


© Fundo Falso - 2016. Todos os direitos reservados | não responsivo, melhor visualizado no Google Chrome.
Design e programação por Andréa Bistafa | Ilustração original de Marciano Palácio | Tema base: Blogger | Versão 4.0 | Blog no ar desde 11.01.2011.